Nossos Leitores Obrigado Por Ler

大決戦!超人ウルトラ8兄弟(完整版日語中字)(2008)

ALERTA A TODOS USUÁRIOS DO SITE AVAAZ, CONGELOU CERCA DE 1 MILHÃO 341, 563 DE ASSINATURAS DE IMPEACHMENT CONTRA DILMA, ESTE SITE FOI CRIADO PARA ABRIR ESPAÇO DEMOCRÁTICO E AINDA YUSSEF LEVOU SOZINHO 10 BILHÕES, DILMA E O PT DESQUALIFICA A REVISTA VEJA, NA OPERAÇÃO LAVA JATO EXISTIA OUTRO BANCO CENTRAL O DA CORRUPÇÃO

Desde o início da manhã o site Avaaz “congelou” em 1,114 milhão a contagem do abaixo-assinado pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT). No começo da noite, o site “atualizou” o número para 1.341.563, mas o mantém congelado.
 

E nos exibe as adesões à medida em que são inseridas pelos internatas. Pelo ritmo de adesões a essa petição, esse número deveria estar muito maior.

O Avaaz, que no Brasil é comandado pelo militante petista Pedro Abramovay, foi criado com o objetivo de abrir espaço “democrático” para abaixo-assinados virtuais. Abramovay foi assessor no Ministério da Justiça e secretário nacional Antidrogas, no governo Lula, de onde saiu após assumir polêmica posição em defesa da liberalização da venda de entorpecentes.

No site, o Avaaz publicou um aviso em que atribui a paralisação da contagem à “grande quantidade de tráfego”, mas outras petições continuam funcionando normalmente no mesmo site Avaaz, até com número superior a 3 milhões de adesões.


“O contador de assinaturas não está atualizando automaticamente por causa da grande quantidade de tráfego em nosso site. Nossa equipe de tecnologia está trabalhando para consertar isso o quanto antes. Enquanto isso, atualizaremos o contador manualmente com frequência”, diz o Avaaz, em aviso na página referente ao impeachment de Dilma. Apesar disso, o site diz continuar registrado adesões: clique aqui.


Na noite de sexta-feira (24), o documento  acumulava mais de meio milhão de assinaturas (exatas 575 mil). A petição ganhou ainda mais força após a revelação da doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal de que a presidente reeleita Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras, batizado de “Petrolão”. A PF suspeita que Youssef “lavou” R$ 10 bilhões no propinoduto.


Dilma e o PT optaram por desqualificar a revista Veja, que publicou a notícia, ameaçando-a de processo em sua propaganda eleitoral na tevê, além de ter protocolado pedido de resposta e de censura no Tribunal Superior Eleitoral.


O megadoleiro Alerto Youssef era o homem-caixa do esquema de gatunagem na Petrobras, desmantelado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Youssef e seu “sócio”, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa comandavam uma espécie de “banco central” da corrupção, instalado em 2006, durante o governo Lula.

JAUA NÃO TINHA AUTORIZAÇÃO PARA VIAJAR NO BRASIL, O CONGRESSO NACIONAL E O SENADO PODEM INTIMA-LO PARA PRESTAR CONTA O QUE ELE FOI FAZER NO PARANA ISSO É INVADIR SOBERANIA BRASILEIRA ELE NÃO ESTAVA COMO CHEFE DE ESTADO QUEBRANDO ACORDOS INTERNACIONAIS DA DIPLOMACIA

A entrada silenciosa do Vice-Presidente e ministro para o Poder Popular das Comunas e Desenvolvimento Social, Elías Jaua, no Brasil, causou mal-estar no governo brasileiro. Apesar de ter chegado a São Paulo por motivos particulares – a doença de sua esposa, que foi operada no hospital Sírio-Libanês – e não estar em missão oficial, seria de praxe um aviso ao Itamaraty, o que não foi feito.



Não há uma obrigação de avisar o governo local da visita de um ministro. Mas, nos meios diplomáticos, esse procedimento é visto como uma cortesia e, também, uma questão de segurança. Um aviso à embaixada ou ao Ministério das Relações Exteriores pode evitar constrangimentos, como uma revista da Receita Federal ou questionamentos pela Polícia Federal. 


“Há uma série de inconvenientes que poderiam ter sido evitados se tivesse sido avisado”, diz uma fonte do Itamaraty.
O Itamaraty ficou sabendo da presença do ministro venezuelano pouco antes dos jornais, ao ser informado pelo sistema de segurança na PF nos aeroportos de que o ministro estava no País. 


Até agora, não houve qualquer contato da embaixada da Venezuela no Brasil nem do governo venezuelano. Ao contrário, a delegação do país nega que haja alguma comitiva da Venezuela no Brasil. 


Tampouco o governo brasileiro tomou a iniciativa de fazer qualquer tipo de reclamação – a avaliação é de que não é para tanto, apesar dos constrangimentos causados pela prisão da babá dos filhos do ministro, que tentou entrar no Brasil, aparentemente sem saber, com uma arma em uma bagagem de mão. 


Ainda assim, diplomatas afirmam que o assunto deve ser tratado em “eventuais conversas” em algum futuro encontro entre o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, e seu colega venezuelano, Rafael Ramírez. Não em tom de reclamação, mas uma “sugestão amigável”. Os dois devem se encontrar este final de semana, em Cartagena, durante a reunião Mercosul-Aliança do Pacífico.


Tudo que o Itamaraty sabe até agora é que Jaua veio ao Brasil para acompanhar a mulher em exames que seriam feitos no Sírio-Libanês. Ao chegar a São Paulo, no entanto, a avaliação foi de que ela teria de ser operada imediatamente. 


O ministro teria decidido, então, trazer a sogra, os filhos e a babá das crianças. Ao entrar no País com uma maleta do ministro, Jeanette del Carmen Anza terminou presa por trazer junto a documentos uma arma calibre 38 pertencente a Jaua. Solta há dois dias, vai responder a um processo por tráfico ilegal de armas.


Apesar de não estar em missão oficial no Brasil, Jaua não deixou de trabalhar, mesmo sem comunicar o governo brasileiro. Desde setembro responsável pela relação do governo de Nicolás Maduro com as comunas e os movimentos populares – depois de ter deixado a Chancelaria venezuelana – o ministro assinou, há dois dias, acordos com lideranças do Movimento Sem Terra nas áreas de “treinamento, organização e conscientização do povo”. 


Também esta semana foi a Curitiba, conhecer projetos de transporte público – informações que o Itamaraty diz saber pela imprensa.


O governo brasileiro não vê problemas nas atividades de Jaua, apesar de não ser uma visita oficial. Diplomatas alegam que vários ministros estrangeiros em visita ao Brasil costumam programar sua agenda e mesmo assinar acordos com organizações não-governamentais sem que essa negociação passe pelo Itamaraty. 


Não há lembranças, no entanto, de ministros cumprindo agendas em nome de seus governos sem que o país anfitrião sequer seja comunicado da sua presença.

LUTAR PELO FIM DO COMUNISMO VALE APENA A IMPRENSA INTERNACIONAL ESTA DE OLHO In Brazil, Some Want Military Dictatorship Back

America's Richest People
FORBES ESPECIAL

In Brazil, Some Want Military Dictatorship Back



Less than a week after her re-election, Brazil’s president Dilma Rousseff has thousands calling for her impeachment. One guy was even quoted by Estado de São Paulo newspaper, the nation’s second largest daily, as wishing for a return to the military dictatorship years.

“If you think what we have now is democracy then I’m in favor of a return to militarism,” Estado quoted a São Paulo police officer named Sergio Salgi as saying in Saturday’s edition. Salgi was 17 years old when the military dictatorship ended in Brazil in 1985. The voting age in Brazil is 18.

Dilma won in a squeaker on Sunday against her Workers’ Party chief opponent, the Social Democratic candidate Aécio Neves. She won with a little over 52% of the vote. Voting is mandatory in Brazil.


Dilma might not be the most popular president since the fall of the military junta, she won without any instances of vote rigging or “hanging chads”. And the thousands that took to the streets in São Paulo on Saturday numbered around 2,500, with another 500 or so gathering in Brasilia, the nation’s capital, calling for her impeachment. This is hardly a mass movement by any means.

Nevertheless, the vocal anti-Dilma protesters see her as part of a political party that has become corrupted. The latest scandal involving state oil firm Petrobras involved a number of party members, with one accidental whistle blower — Alberto Youssef — saying that Dilma knew about the money laundering taking place within the company. Rumors on Brazilian social media had the former Petrobras insider pronounced dead, inciting hatred among the already rabid anti-Dilma brigade in existence in Brazil.

Their voices were picked up by the local microphones of Brazilian media this weekend on Avenida Paulista in downtown São Paulo. They were hardly impressive.

Eduardo Bolsonaro, a congressman in Brasilia, said over a loud speaker for all the neighbors to hear: “If my father was running for president this year, he would have shot Dilma Rousseff.” Eduardo’s father Jair is a congressman from Rio de Janeiro. Ironically, or not, Eduardo is a member of the Social Christian Party. Eduardo, a newly elected politician for the state of São Paulo, also noted that he would vote for a known drug lord before casting a vote for Dilma.

Although FORBES was not at the protest in the city to witness cooler heads in the crowd, it is true that tens of thousands of Brazilians have been protesting since the (southern hemisphere) winter of 2013. Brazilians are not happy with the government.

The 2013 protests erupted in São Paulo over a roughly five cent increase in bus fare. While the price seemed minuscule and innocent enough, protests began in the college neighborhoods around the city, and turned ugly when police opened fired on the students with tear gas and rubber bullets, causing well-publicized tragedy. The general population quickly turned on the police and its government handlers. Soon after, protesters turned their angst over bus fare hikes into an expression of Brazil’s deep-seated disgust over the government’s inability to deliver services to the public, no matter who was in charge.


TRADUÇÃO

No Brasil, alguns querem ditadura militar voltar


Menos de uma semana após sua reeleição, Presidente do Brasil Dilma Rousseff tem milhares, pedindo seu impeachment. Um cara nem foi citado pelo jornal Estado de São Paulo, o segunda maior do país diariamente, como desejando um retorno aos anos de ditadura militar.

"Se você acha que o que temos agora é democracia, então eu sou a favor de um retorno ao militarismo," Estado citou um oficial de polícia de São Paulo chamado Sergio Salgi como dizendo na edição de sábado. Salgi tinha 17 anos quando a ditadura militar acabou no Brasil em 1985. A idade para votar no Brasil é 18.

Dilma venceu em um squeaker no domingo contra festa principal adversário seus trabalhadores, o candidato do Partido Social Democrata Aécio Neves. Ela ganhou com pouco mais de 52% dos votos. O voto é obrigatório no Brasil.

Dilma pode não ser o presidente mais popular desde a queda da junta militar, ela venceu sem quaisquer instâncias de voto aparelhamento ou "chads de suspensão". E os milhares que saíram às ruas em São Paulo no sábado numeradas em torno de 2.500, com outro 500 ou então reunir em Brasília, a capital da nação, pedindo seu impeachment. Isto é quase um movimento de massas por qualquer meio.

No entanto, os manifestantes anti-Dilma vocal vê-la como parte de um partido político que se corrompeu. A mais recente escândalo envolvendo Estado empresa petrolífera Petrobras envolvido um número de membros do partido, com um soprador de apito acidental — Alberto Youssef — dizendo que Dilma sabia sobre o branqueamento de capitais ocorrendo dentro da empresa. Rumores na mídia social brasileira tinham o antigo Petrobras insider declarado morto, incitamento ao ódio entre a brigada anti-Dilma raivosos já existentes no Brasil.

Suas vozes foram apanhadas pelos microfones da mídia brasileira locais neste fim de semana na Avenida Paulista, no centro de São Paulo. Eles estavam quase impressionantes.

Eduardo Bolsonaro, um congressista em Brasília, disse um alto-falante para todos os vizinhos ouvir: "Se meu pai se candidatou a Presidente este ano, ele teria atirado Dilma Rousseff." Pai de Eduardo Jair é um deputado do Rio de Janeiro. Ironicamente, ou não, Eduardo é um membro do Social Christian Party. Eduardo, um político recém-eleito para o estado de São Paulo, também notou que ele votaria para um traficante conhecido antes de lançar um voto para Dilma.

Embora FORBES não estava no protesto na cidade para testemunhar as cabeças mais frias no meio da multidão, é verdade que dezenas de milhares de brasileiros têm sido protestando desde o inverno (hemisfério sul) de 2013. Os brasileiros não estão satisfeitos com o governo.

Os protestos de 2013 eclodiram em São Paulo, sobre um aumento de aproximadamente cinco centavos na tarifa de ônibus. Enquanto o preço parecia minúsculo e inocente o suficiente, os protestos começaram em bairros ao redor da cidade de faculdade, e ficou feia quando a polícia abriu disparou contra os estudantes com gás lacrimogêneo e balas de borracha, causando a tragédia bem divulgada. A população em geral, rapidamente se transformou em seus manipuladores de governo e a polícia. Logo depois, os manifestantes virou sua angústia aumentos de Tarifa de ônibus em uma expressão de profunda repulsa do Brasil sobre a incapacidade do governo para prestar serviços ao público, não importa quem estava no comando.

MAIS DE TRES MIL PESSOAS NA AVENIDA PAULISTA CONTRA FRAUDES NAS ELEIÇÕES, ROUBALHEIRA NA PETROBRAS,E CONTRA A REVOLUÇÃO BOLIVARIANA NO BRASIL

Derrotada até agora nas tentativas de desencadear um pronunciamento militar e de provocar o caos nas ruas, a reacção brasileira mostrada  neste dia 1 de novembro  em quase  todo o País,vem mostrar que se ninguém não fizer nada o próximo passo da revolução bolivariana no Brasil  vai ser através do desabastecimento e da carestia de vida, cujas consequências afectam o moral e a confiança importantes da população.


O combate nessa frente hoje decisiva parece não ser assumido até às últimas consequências por quadros de valor da Revolução Bolivariana. 

Nuns casos, porque se impôs a ideia de que é possível construir o socialismo sem enfrentar inimigos poderosíssimos. Noutros casos, porque perante a duríssima e eventualmente cruenta perspectiva de levar para a frente a transição optam por travar.


O Brasil em seu inicio, a qual muitos  não acreditaram  numa possível união entre  o Brasil e a Venezuela através  do golpe bolivariano, em resultados das  eleições que  são muitos parecidos, podemos dizer sem medo de errar que a mesma empresa  que fez as contagens de votos entre NICOLAS MADURO E CAPRILLES, deu  exatamente igual entre o AÉCIO NEVES E DILMA. Nesse , pensamento errônio e na pura utopia muitos  foram enganados, não por  falta de informação, pois o blog GAZETA CENTRAL, vinha alertando e  postando na rede social o que estava por  vir.

Consumada a vitória frente ao plano golpista desencadeado em Fevereiro, o governo de Nicolás Maduro enfrenta a necessidade de levar até ao fim o combate contra a “guerra económica”. 


Nesse ponto de extrema tensão,Dilma  vai  fazer o mesmo, alias já esta  fazendo as altas  de juros, o fim da  bolsa familia  aos poucos etc.,  tem que lidar também com não poucos nomes associados ao processo iniciado e levado muito longe por Hugo Chávez,no nosso  caso LULA, que dão um passo atrás ou ao lado no ponto crucial do combate.


Ficou igualmente à luz o fracasso da tentativa de lançamento de uma espécie de “foquismo”. 


É desta maneira  que os  golpitas, pensam e são radicais, primeiramente  começa  com uma " guerra economica", mas, chamo a sua  atenção  pela essa guerra, eles  os  bolivarinos  socialistas estão totalmente  equivocados,engando as  pessoas, traindo sua pátria, e até  matando  por um idealismo  falso e mesquinho.

Por  outra esfera, a  tal Revolução Bolivariana na verdade,  é  uma ditadura  branca, onde  seus opositores tanto  da classe média  como da classe alta, são considerados  traidores  não da pátria e sim do sistema socialista, e  como traidores  tem seus bens  confiscados, seus direitos confiscados, suas  casas e  seus apartamentos confiscados, seus carros confiscados, suas contas bancárias confiscadas,no caso dos militares de alta patente seja do EXECITO MARINHA  OU AERONAUTICA, eles  são obrigados aceitar  o  alto  comando  vindo  dos generais de CUBA, caso, não aceitem irão para  os presidios militares o que eles chamam de desertores de  seus deveres.



Mas,  não para  só neste caminho  de pensamento, o coroamento de uma cadeia de desastres políticos da oposição. Tando faz ser  o ÁECIO NEVES  ou LEOPOLDO LOPES, basta ser  opositor de proclamada filiação fascista e iniciador do plano golpista,é assim que  eles ve, nesse caso  o que resta  ao AECIO NEVES  e se  entregar  para preservar a sua vida perante a ameaça de outros partidos da coligação burguesa,pois eles  vçao se manifestar o PDT, já começou, esse  caminho  não tem  mais volta, uma vez opositor declarado  vira inimigo do sistema. 


Depois do fracasso do delirante objectivo secessionista que tornaria Mérida independente da Venezuela. 

Veja  o  mesmo caminho que  RIO GRANDE DO SUL, SANTA CATARINA E PARANÁ, estão  tomando, é um caminho que  não tem perdão, simplesmente depois que DILMA unificar  os tres poderes, não se enganem, ela  fazer  isso e  juntar  todos  em um só, cria-se por decreto presidencial A  GUARDA NACIONAL BOLIVARIANA DO BRASIL.

Como bravo combatente, López subiu por sua própria vontade para um carro onde o esperava o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, para o levar são e salvo para a prisão. Aécio Neves SENADOR,corre esse mesmo risco,    ao intitular-se opositor, terá apenas duas saídas, ou  ele se entrega a GNBB, ou  simplesmente faz acordo  com atual  governo  e vira de uma vez o TRAIDOR  DO BRASIL, não HÁ outro caminho.


No caso de LEOPOLDO LOPES, ele preferiu ser preso do que trair  seu País,com isso, ele criou  uma das  mais fortes oposição da VENEZUELA, que  não aceita acordos  com o governo venezuelano pois como aconteceu  com a DILMA, eleita  por uma enchurradas de fraudes eleitorais  encobertos pelo STE, STF,o mesmo que ocorreu  na CNE, E NO TSJ, da VENEZUELA.

A outra cabeça falante da história, a deputada Maria Corina Machado amiga de George Bush foi expulsa da Assembleia Nacional depois de cometer um erro imperdoável: por indicação da CIA, aceitou o cargo de embaixadora do Panamá (!) para acusar a Venezuela perante a OEA (!!). 

Essa  visão distorcida DA MARIA CORINA MACHADO, não corresponde  com a verdade,  simplesmente ela precisou denunciar, pois a VENEZUELA estava sem meios de comunicação nem rádio e nem redes de televisão. quando eles tratam inimigos  do sistema eles  também levatam falsas  provas, falsas denuncias, mas, no caso do Brasil não temos uma mulher que se  compara  com a MARIA CORINA MACHADO, que queira se repetir  a sua história heróica, aqui no Brasil tem um ditado popular, que é melhor ser  um covarde vivo do que um herói morto. 

Mas,  na  atual situação  não  vai exitir covarde vivo, e  sim traidores da  NAÇÃO BRASILEIRA.E se tem uma coisa que a revolução bolivariana não aceita, é traidor. 

Além disso, está agora formalmente processada pelos seus apelos públicos ao derrube violento do presidente Nicolás Maduro.

Como corolário, a denominada Mesa de Unidad Democrática,na VENEZUELA, ao contrário do Brasil ,aqui não existe pois todos os partidos estão vendidos, inclusive o PSDB,que se diz oposição, mas  eu  não creio que seja  uma frente única contra a REVOLUÇÃO BOLIVARIANA.

O que  os brasileiros e  o próprio AÉCIO NEVES, podem fazer  juntos  é  criar o mais  rapido possível a RESISTÊNCIA contra  o sistema bolivariano. 

A Resistência  não é  para usar armas e  nem métodos  violentos, e sim  uma união de brasileiros  que estão cançados dos partidos politicos  traidores e de seus  represnetante, a resistência  é  aunião de todos  por  uim objetivo denunciar a  CORTE DE HAIA OU TRIBUNAL INTERNACIONAL  as  fraudes eleitorais e com certeza os  direito  civis, e termos junto conosco AÉCIO NEVES,e quem quiser lutar por esta causa.

A Resistência seria nos moldes da RESISTçENCIA NA VENEZUELA, com material de  divulgação e fazer um trabalho de formiguinha, não é fácil mas  é preciso e  em nome da  RESISTÊNCIA condenar essa eleição e começar  ir para as ruas com tudo pedindo a renuncia da DILMA, ou  uma nova eleição. 

Eles que estão no poder vão nos tratar como traidores do sistema desta maneira. Nem a  DILMA,e nem o  LULA  e seus apoiadores abriram mão, pois eles só enxergam os  seus direitos  mas  não os seus deveres.

Odeiam a classe média mas, não abre  mão dela, pois eles  odeiam os ESTADOS UNIDOS, mas  como disse, são hipócritas, pois  não renunciam as suas riquezas,e  ainda enganam as pessoas  envolvidas 

Digamos  com um pratinho de  ervilhas,eles compram essas  pessoas mas, depois que  elas descobrem e começam a querer  cobrar seu chamados honorário s pela  traição, ou são mortos  como foi o deputado da A.N da Venezuela  ou desaparecem, digamos que fizeram um contrato com LUCIFER , nesse caso, FIDEL CASTRO.

 A NUVEM NEGRA  NO BRASIL:

Já  vai começar a  grande  nuvem, mas  aos poucos, Quanto ao desabastecimento, corrupção e violência, esses são problemas reais que o país vive. 


É sabido que a Venezuela é um país que se sustenta sob a renda do petróleo, sem qualquer lastro na produção. Durante o processo de revolução bolivariana, esse foi o ponto central da luta de Hugo Chávez: fazer com que o país passasse também a produzir comida, manufaturas, enfim, criasse um parque industrial e agrícola capaz de sustentar suas demandas internas. 

Infelizmente, Chávez não conseguiu criar novas matrizes de desenvolvimento. Isso ocorreu por alguns erros de condução, mas fundamentalmente por conta do fato de que nos 13 anos em que ficou à frente do governo, Chávez precisou enfrentar uma oposição ferrenha, de dentro e de fora, que gerou um golpe de estado e muitos outros conflitos difíceis de resolver. 


Ao longo do processo, a proposta revolucionária que capitaneava o bolivarianismo era a de organização popular.Conscidência é  o mesmo do Brasil.

Depois de séculos de opressão e invisibilidade, as gentes venezuelanas precisavam de muito trabalho para assumir o protagonismo de suas vidas, como sujeitos históricos do que acontecia no país. 

Foram anos de construção da organização comunitária e popular. E isso era necessário para, depois, entrar em outros campos de mudança, como a transformação da matriz produtiva.

Mas, o Brasil esta realmente se  fundando, Lula ficou no poder deste  2002, passou seu tempo e a dilma ficou, passou  o seu tempo e  aDilma esta novamente, mas,olhando  bem, no fundo da questão quem manda  é  o LULA, mais  uma vez,e como se CHAVES estivesse  vivo e NICOLAS MADURO obedecendo suas ordens.

Por essas  outras  razões  o Brasil  não pode ficar de braços  cruzados, tem que ir as ruas e se manifestar  mais ainda,tem que aprender a se organizar e deixar as diferença de lados, respeitar  os nordestinos. e se unir, pois  somos filhos da Pátria, e não devide, abrem bem seus olhos, pois  começou assim na VENEZUELA  dividndo a classe média da classe rica e depois dos pobres.


A união faz a força, podemos juntos mudar essa triste história, basta conquistar  os eleitores do NORDESTE  e não atacá-los, vamos  unir-nos, eles também foram enganados  pela  essa  corje  de corruptos, e  unir-mos  é  em todos  os sentidos.

Esse  sábado  foi apenas inicio  em São Paulo a tarde  chewgou a  tres mil pessoas  na avenida paulista, outros estados  da federação também partiparam,vamos  juntos. 

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog