GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

SEGUNDO TURNO PROMETE EM GUARULHOS <<<>>> GUTI O MORADOR DE GUARULHOS COM 208.591 VOTOS CONTRA 135.134 DO ELI CORREIA O AVENTUREIRO <<>> GUARULHOS SE LIVROU DO PT EM TERMOS





RENATO SANTOS 02/10/2016, Eleições Municipais de Guarulhos, levou o que já esperava, apenas uma ressalva quando a GAZETA CENTRAL recebeu a última pesquisa por força da lei eleitoral não pudemos publicar a qual já apontava GUTI em primeiro lugar nessa campanha. 

Guarulhos se livrou do PT em termos, pois elegeram a esposa dele JANETE PIETÁ como vereadora.

Eles receberam, respectivamente, 34% e 22% dos votos válidos.
Terceiro lugar ficou com candidato do PT, o ex-prefeito Elói Pietá.


GUTI                                                    E                                    ELI CORREIA 


Agora pela primeira vez o vereador que era avacalhado nos bastidores da Câmara Municipal de Guarulhos logo no início de sua legislatura a qual fui testemunha da crueldade que os " velhos coronéis " faziam dele, com essa vitória GUTI DEU uma resposta para tudo que ele passou as chamadas águas amargas .

Guti abre uma história diferente na política de Guarulhos, desbancou de lavada os famosos " coronéis de guarulhos" ,agora no segundo turno a possibilidade de GUTI ganhar não é tão pequena ao contrário ele leva vantagem do seu adversário, em duas questões, uma ele mora em GUARULHOS faz tempo e a outro não tem nada que o desabone. 








Como fica agora GUTI poderá receber apoio de outros candidatos, MARTELO, WAGNER FREITAS, CARLOS ROBERTO, possivelmente do NÉFI TALES, quanto ao ELI CORREIA , poderá ter apoio do JORGE WILSON e quanto as demais poderão abster do apoio, mas, tudo ainda está sendo analisado .

O segundo turno das eleições para prefeito de Guarulhos será disputado entre os candidatos Guti (PSB) e Eli Correa Filho (DEM). Segundo a Justiça Eleitoral, com 100% dos votos apurados às 22h01 deste domingo (2), Guti teve 208.591 votos, o que corresponde a 34,54%% dos votos válidos. Filho recebeu 135.134 votos, o equivalente a 22,38%. Eloi Pietá (PT) ficou em terceiro, com 19,32% (total de 116.676 votos).
Com população de 1.337.087, segundo estimativa para 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , o município de Guarulhos tem eleitorado de 902.720 pessoas aptas a votar.
Candidato mais jovem à Prefeitura de Guarulhos, Guti, de 31 anos, disse que, se for eleito, irá fazer auditoria nos contratos existentes no município e fazer com que a cidade se torne um destino turístico sustentável e de negócios. 
Para reduzir os gastos públicos, ele pretende diminuir o número de secretarias e coordenadorias, além de reduzir os cargos comissionados. Ele também quer dar incentivo fiscal para empresas se instalarem em Guarulhos.
Em 2008, Guti foi eleito o vereador mais jovem da cidade de Guarulhos. Em 2012, foi reeleito. Atualmente é o presidente municipal do PSB de Guarulhos. Ele disputa o cargo de prefeito de Guarulhos pela primeira vez.
Eli Corrêa Filho, de 40 anos, disse que se for eleito vai ampliar o atendimento na educação, além de universalizar a coleta e tratamento do esgoto e garantir o fornecimento de água. 
O candidato também pretende implantar gestão participativa e transparente, e de desenvolver e implantar programas de atendimento à mulher.
Após ser eleito três mandatos consecutivos como deputado estadual, Eli Corrêa Filho foi eleito deputado federal em 2010 e reeleito em 2014. Ele concorre à Prefeitura de Guarulhos pela primeira vez. É administrador e natural de São Paulo.





CUIDADO COM AS BOCAS DE URNA É PROIBIDO POR LEI <<>> EM GUARULHOS TEM CANDIDATO A VEREADOR COLOCANDO ADESIVOS NOS CARROS É DO PRB






RENATO SANTOS 02/10/2016  Atenção Guarulhos esta cheia de bocas de urnas dos candidatos, a GAZETA CENTRAL está recebendo denuncias de boca de urnas estamos vigiando , não tentem fazer o que não está nas regras. 


Boca de urna correndo solta no Cecap, vila Barros, vila Fátima, Bom Clima, Jovaia... No Cecap, houve denúncia e teve cabo eleitoral levado pela Polícia. 

Um outro cabo eleitoral, residente no condomínio em frente ao Chicão, levou uma prensa e parou de distribuir cartões de um candidato. Mas voltaria, certamente.

Na porta da ASMG, no Bom Clima, uma senhora está com sacola na mão e aborda uma ou outra pessoa. Na esquina da rua Morro Agudo, jovens cabos eleitorais do vereador João Barbosa (PRB) oferecendo adesivos aos motoristas que param para espera no farol.


Ernesto Dos Santos Milagre No Maria Leôni, jardim Paraventi, também tem boca de urna.
Luiz Antonio Gonçalves Isso é em todas as eleições e ninguém faz nada...
Gaby Blume Guarulhos inteira tem boca de urna e nenhuma fiscalização. ..
Valdir Carleto Exato. Só vi viatura na porta do Allyrio (vila Fátima) e Padre Conrado (Bom Clima)
CurtirResponder124 min
Gabriel Góes No Marconi na vila Flórida tb tá sem fiscalização nenhuma
Valdir Carleto Essa boca de urna é só disfarce, pois está na cara que contrataram milhares de boqueiros como forma indireta de compra de votos. Se fosse um país decente, haveria ônibus recolhendo todo mundo para passar o dia de castigo em um estádio.
CurtirResponder117 min
Adriana Vieira Valeriano Eu fui adesivada por uma cabo eleitoral de um vereador...renomado, mas sem noção, mesmo depois de falar q não queria...boca de urna tá rolando solta no Cantidio. ..
Pedro Marques Palhaçada , eu arranjei uma briga com uma pessoa de um tal candidato que diz que está em primeiro lugar , oferecendo , cade a polícia militar jque não está nas porta das escolas ????
Renato Santos Gazetacentral ATENÇÃO BIOCA DE URNA É CRIME FAZEM AS FOTOS E MANDEM PRA GAZETACENTRAL QUE PUBLICAREIwww.gazetacentral.blogspot.com.br
Renato Santos Gazetacentral POSTEM NA REDE SOCIAL
Renato Santos Gazetacentral facebook renato santos
Renato Santos Gazetacentral que as publicarei no blog
Alex Albino Capistrano tranquilo sem boca de urna. Tinha polícia
Cláudio Torres No Virgo Potens idem, nada de boca de urna e polícia presente.
Vera Forti amigo fui votar e espantei com boca de urna,Na porta da escola!!!!!
Valdir Carleto Na internet, pode. Na fila da seção, é muita cara de pau



Saiba o que candidato e eleitor podem e não podem fazer até a eleição

Campanha municipal termina oficialmente às 22h deste sábado (1º).
Neste domingo (2), mais de 144 milhões de eleitores devem ir às urnas.


A campanha nas ruas das eleições municipais de 2016 se estenderá até as 22h deste sábado (1º), véspera do primeiro turno. Neste último dia, pelo cronograma oficial, da campanha mais curta dos últimos 18 anos (45 dias), candidatos e eleitores ainda têm de cumprir uma série de regras determinadas pela Justiça Eleitoral.
No domingo (2), dia da votação, as regras para candidatos e eleitores são ainda mais restritas. Por exemplo, não será permitido boca de urna, ou seja, fazer comícios, carreatas ou propaganda de partidos ou candidatos com alto-falantes.
O eventual descumprimento de regras vedadas aos candidatos pode levar a punições que variam desde o pagamento de multa até a cassação da candidatura, dependendo da gravidade da infração.
No entanto, não são apenas os candidatos a prefeito e vereador que precisam se manter na linha.
A Justiça Eleitoral elaborou uma série de restrições aos mais de 144 milhões de eleitores que devem ir às urnas neste domingo, que vão desde regras para o uso da internet até limites para doações aos candidatos.
Nos municípios onde a eleição for decidida no segundo turno, a campanha irá até 29 de outubro, um dia antes da última votação, no dia 30 (domingo).
Um dos principais responsáveis no Ministério Público pela fiscalização do processo eleitoral deste ano, o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, ressalta que a contribuição mais importante dos eleitores para manter a lisura dessas eleições é não venderem seus votos.
"Se isso vier a ocorrer, e espero que efetivamente essa consciência eleitoral se expanda, acho que haverá um salto de qualidade muito grande em relação aos resultados eleitorais em quaisquer eleições", afirmou Dino ao G1.
Veja abaixo um resumo do que podem e não podem fazer candidatos e eleitores até a votação deste domingo (2):
Head - Pode candidato (Foto: Editoria de Arte / G1)
>> Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);
>> Usar bandeiras portáteis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;
>> Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem a dimensão de 50 cm x 40 cm.
>> Usar alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros;
>> Realizar comícios entre 8h e 22h, inclusive, com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e discursos políticos;
>> Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;
Head - Não pode candidatos (Foto: Editoria de Arte / G1)
>> Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive, com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;
>> Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;
>> Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração; cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;
>> Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;
>> Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;
>> Pagar por propaganda na internet, inclusive com impulsionamento de publicações em redes sociais ou com anúncios patrocinados nos buscadores;
>> Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos, que não estão proibidos de repassar cadastros eletrônicos a candidatos;
>> Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;
>> Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;
>> Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;
>> Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.
>> Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
>> Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.
Head - Pode eleitor (Foto: Editoria de Arte / G1)
>> Participar livremente da campanha eleitoral, respeitando as regras sobre propaganda nas ruas e na internet aplicadas aos candidatos;
>> No dia da votação, é permitida só manifestação individual e silenciosa da preferência pelo partido ou candidato, com uso somente de bandeiras, broches, dísticos e adesivos;
>> Manifestar pensamento, mas sem anonimato, inclusive na internet.
Head - Não pode eleitor (Foto: Editoria de Arte / G1)
>> Fazer “selfie” no momento de votar. Para assegurar o sigilo do voto, é proibido levar à cabine de votação aparelho celular, máquina fotográfica e filmadora. Cabe ao mesário alertar o eleitor que, se insistir em levar o equipamento, pode incorrer em crime eleitoral.
>> Trocar voto por dinheiro, material de construção, cestas básicas, atendimento médico, cirurgia, emprego ou qualquer outro favor ou bem;
>> Cobrar pela fixação de propaganda em seus bens móveis ou imóveis;
>> Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto, conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita;
>> Inutilizar, alterar, impedir ou perturbar meio lícito de propaganda eleitoral;
>> Degradar ou ridicularizar candidato por qualquer meio, ofendendo sua honra.
>> Fazer boca de urna no dia da eleição, ou seja, divulgar propaganda de partidos ou candidatos com alto-falantes, comícios ou carreatas, por exemplo.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog