DEPOIS DO EXODO DOS COLOMBIANOS SAINDO DA VENEZUELA, NICOLAS MADURO DA PRAZO DE 52 HORAS PARA OUTROS PAÍSES TIRAR SEUS CIDADÃO DA VENEZUELA ENTRE ELES OS BRASILEIROS E AMERICANOS

renato santos
26/08/2015

Estado de Tachira, esta no limite, em todos  os sentidos, NICOLAS MADURO, expulsa os COLOMBIANOS, da VENEZUELA, deste  sábado mais  de 23 mil pessoas  foram expulsas de suas residências  e  a norma  vai estender  aos AMERICANOS, BRASILEIROS, CUBANOS  ARGENTINOS MEXICANOS que  vivem na VENEZUELA   e tudo o que  foi feito  por  eles  serão confiscados  pelo GOVERNO.

O Governo  nazista  de  Nicolas  já mandou  um aviso  para as EMBAIXADAS  e deu prazo de  52  horas  para retirarem seus cidadãos  o mais rápido possível, inclusive  a  Embaixada  do Brasil  o  Itamaraty  ainda não se pronunciou, caso  não saiam serão retirados a  forças  pela fronteiras  do Brasil e Venezuela exatamente  o  que aconteceu  com os COLOMBIANOS.

Mais de dois mil colombianos foram deportados da Venezuela após o encerramento das fronteiras anunciada pelo presidente Nicolas Maduro e decretar um estado de emergência em seis municípios de Táchira.

Com armários, aparelhos e até mesmo animais de fazenda no rebo que Centenas de colombianos começaram o êxodo da Venezuela por medo de que suas casas são destruídas.

A provação para eles começou há quatro dias com o decreto do Maduro, que tinha colombianos no olho do furacão.

Um vídeo divulgado pela nossa estação aliado FM mostra como dezenas de colombianos que cruzam o rio Táchira cantar o hino nacional enquanto a Polícia Nacional uniformizado sobre a ajuda de seus pertences.




JANOT DISSE FUI INDICADO PELA PRESIDENTE DILMA, MAS NÃO DEVO A MINHA RECONDUÇÃO A ELA O MINISTÉRIO PÚBLICO É LIVRE EM RESPOSTA AO JADER BARBALHO

renato santos
brasilia
16:58
26/08/2015

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é sabatinado nesta quarta-feira, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. Indicado pela presidente Dilma Rousseff para permanecer por mais um mandato à frente do Ministério Público, Janot negou que ele teria feito um acordo com o Palácio do Planalto para poupar investigações de determinados políticos na Operação Lava-Jato.


O procurador-geral disse que a Petrobras é alvo de "megaesquema" de corrupção.

— Eu, com 31 anos de Ministério Público, jamais vi algo precedente. Esse mega esquema de corrupção chegou a roubar o nosso orgulho e é por isso que a gente investiga, e investiga sério, esse esquema — afirmou. 

Janot também comentou que há um mal-entendido sobre as delações premiadas e defendeu o procedimento que, segundo ele, acelerou as investigações. O procurador-geral destacou que a prática não é exclusividade do Brasil e ocorre também na França, em Portugal e na Itália, por exemplo.

— O colaborador (delator) não é um dedo-duro, não é um X9. Pela lei, primeiro ele tem que reconhecer a prática do crime e dizer quais são as pessoas que também estavam envolvidos na prática daquele crime — esclareceu.

Após a sabatina, o procurador-geral terá seu nome avalizado pela comissão. Se aprovada, a indicação segue para análise do plenário ainda nesta quarta. Para ser reconduzido, Janot precisa ser aprovado por 41 dos 81 senadores.

Collor

Numa bateria de duras perguntas que fez a Rodrigo Janot, o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL) acusou o chefe do Ministério Público Federal de ser um "catedrático" em vazamentos de informações de investigações. Collor questionou se Janot tem como estratégia repassar dados a grandes veículos de comunicação.

Alvo de denúncia de Janot na Lava-Jato, o ex-presidente também perguntou o motivo pelo qual ele omitiu do seu currículo o fato de ter advogado contra a Orteng, ligada à Petrobras.

— Essa atuação é moralmente aceitável? — questionou.

Ele cobrou o motivo pelo qual Janot não abriu uma investigação sobre sociedade de propósito específico. Além disso, Collor quis saber o motivo pelo qual houve contratação de uma empresa de comunicação sem licitação pela Procuradoria-Geral da República. Ele questionou se o órgão alugou uma mansão no Lago Sul, em área nobre de Brasília, por R$ 67 mil. E ainda afirmou que o procurador tinha um parente "contraventor" procurado pela Interpol - ele estaria na lista vermelha. O ex-presidente pediu para fazer uma reinscrição, pois ainda tem uma "série de questionamentos".

Lava-Jato

Durante a sabatina no Senado, Janot revelou que a Operação Lava-Jato e outras investigações sob responsabilidade do Ministério Público Federal já resultaram no bloqueio e repatriação de mais de US$ 740 milhões.

— Estamos falando em 570 milhões de dólares, mais 170 milhões, são 740 milhões de dólares de repatriação e bloqueio no exterior — destacou o procurador-geral, ao responder a uma indagação do senador Blairo Maggi (PR/MT), que o questionou sobre o aumento de gastos com diárias internacionais de procuradores da República.

Vazamento

O procurador-geral da República disse estar certo de que o vazamento de supostos nomes citados pelo empreiteiro Ricardo Pessoa, delator da Lava-Jato, não foi realizado por nenhum investigador. A suposta lista de indicados pelo dono da UTC foi publicada pela revista Veja.

— Um vazamento dessa pretensa colaboração do senhor Ricardo Pessoa, que foi ter a uma revista, também está com inquérito instaurado. E esse vazamento para essa revista não foi de nenhum investigador — disse Janot.

Painel

Mesmo com a continuidade da sabatina de Janot, a CCJ do Senado abriu o painel de votação para que os senadores se manifestem se são a favor ou contra a recondução ao cargo do chefe do Ministério Público Federal. Parlamentares investigados por Janot na Lava-Jato apareceram para registrar o voto.

Sabatina de Janot: Jader Barbalho (PMDB-PA) afirmou que o Ministério Público deve defender interesses da sociedade, sem se envolver no jogo político. Ele questionou os critérios usados por juízes nas colaborações premiadas e prisões preventivas.

Sabatina de Janot: Jorge Viana (PT-AC) chamou de promíscua a relação entre empresas e políticos nas campanhas. E disse que o mensalão do PSDB de Minas precisa ser julgado, como foi o do PT.


Janot diz que não deve sua recondução ao Executivo: Janot disse a Jader que não deve a recondução ao Executivo. E explicou a operação Lava Jato, o instituto da prisão preventiva e o da delação premiada.

Sabatina de Janot: Randolfe Rodrigues questionou PGR sobre mudanças do processo penal e inquérito policial. Ele questionou por que não se privilegiam acordos judiciais, que favorecem a ressocialização.
26/08/2015 - 17h54

Sabatina de Janot: Rodrigo Janot, que está sendo sabatinado pela CCJ, defende encurtamento da lista dos que têm prerrogativa de foro para não sobrecarregar tribunais.

26/08/2015 - 17h48

Sabatina de Janot: Cássio Cunha Lima lamenta que a sabatina tenha virado um “ringue político”. Para ele, a diferença entre PT e PSDB no financiamento de campanha é o recebimento de propina pelo PT.
26/08/2015 - 17h35

Sabatina de Janot: Randolfe e Jorge Viana apelam para encurtar a sabatina. Cássio Cunha Lima, Marcelo Crivella e Magno Malta dizem que, não havendo tempo, o Plenário pode votar a indicação noutro dia.

26/08/2015 - 17h32


Sabatina de Janot: O procurador-geral disse que a delação premiada ainda é instrumento novo e precisa ser aperfeiçoado
26/08/2015 - 17h24

Sabatina de Janot: Janot observou que quem tem mais participação nas organizações criminosas recebe penas maiores, mas pode fornecer informações mais valiosas e por isso receber benefícios maiores.

26/08/2015 - 17h15


Sabatina de Janot: Humberto Costa declarou voto favorável à recondução de Rodrigo Janot. Ele questionou o vazamento de informações, que prejudica pessoas públicas, ao se referir à Operação Lava-Jato.

26/08/2015 - 17h00

Sabatina de Janot: José Serra (PSDB-SP) pediu apoio de Janot à prorrogação do prazo de pagamento de precatórios por mais 4 ou 5 anos para que os estados possam suportar a conta.

26/08/2015 - 16h43

26/08/2015 - 16h24
Sabatina de Janot: Jader Barbalho (PMDB-PA) afirmou que o Ministério Público deve defender interesses da sociedade, sem se envolver no jogo político. Ele questionou os critérios usados por juízes nas colaborações premiadas e prisões preventivas.

Sabatina de Janot: Jader Barbalho (PMDB-PA) afirmou que o Ministério Público deve defender interesses da sociedade, sem se envolver no jogo político. Ele questionou os critérios usados por juízes nas colaborações premiadas e prisões preventivas.
26/08/2015 - 16h14
Pré-sal: A audiência da comissão especial com os governadores Luiz Fernando Pezão (RJ) e Paulo Hartung (ES) foi cancelada por falta de quórum. O projeto do pré-sal será discutido no Plenário.
26/08/2015 - 16h06
Pré-sal: O senador Otto Alencar (PSD-BA) declarou encerradas as atividades da comissão encarregada de analisar o projeto que trata da participação da Petrobras no pré-sal (PLS 131/2015).
26/08/2015 - 16h04
Sabatina de Janot: Reafirmando o tratamento igualitário do MP a todos os partidos, o procurador Rodrigo Janot disse que "a caneta que assina a denúncia é mesma que assina um arquivamento".
26/08/2015 - 16h03
Tributação do lucro dos bancos: A comissão mista que analisa medida provisória sobre o tema aprovou relatório de Gleisi Hoffmann favorável à alíquota de 20% sobre o lucro, como estabelecia o texto original da MP.
26/08/2015 - 15h52

Sabatina de janot: O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse que a Polícia Federal tem feito 220 operações por ano desde o governo Lula e fazia seis, anualmente, durante os dois mandatos do tucano Fernando Henrique Cardoso.
26/08/2015 - 15h48

26/08/2015 - 15h26
Sabatina de Janot: Janot negou seletividade nas denúncias da Lava Jato e disse que não fez lista. "Os nomes surgiram a partir de indicações das delações. É o material que nos chega às mãos".
26/08/2015 - 15h06
Sabatina de Janot: Fátima Bezerra (PT-RN) acusou o ministro do STF Gilmar Mendes de extrapolar suas funções, por "ódio ao PT", e ter atuação política ao julgar as contas da campanha de Dilma no TSE.
26/08/2015 - 14h56
Sabatina de Janot : O presidente da CCJ, José Maranhão (PMDB-PB), autorizou a abertura do painel de votações para os senadores que já formaram sua opinião. Só os titulares votam. E a a sabatina segue.
26/08/2015 - 14h44
Sabatina de Janot: A senadora Ana Amélia (PP-RS) pediu mais detalhes sobre o instituto da delação premiada, usado em muitas democracias consolidadas.
26/08/2015 - 14h41
Sabatina de Janot : José Pimentel (PT-CE) reclamou pelo fato de o mensalão do PSDB mineiro caminhar para a prescrição, ao contrário do que houve com o do PT. 'Não pode haver dois pesos e duas medidas'.
26/08/2015 - 14h30
Sabatina de Janot: O pedido feito pelo ministro Gilmar Mendes, do TSE, de investigação das contas da campanha de Dilma Rousseff à reeleição foi tema de pergunta de José Agripino (DEM-RN). Janot disse que não teve tempo de ver o conteúdo do pedido.
26/08/2015 - 14h28
Sabatina de Janot: Em consequência da reunião da CCJ, a sessão Plenária do Senado começará às 15h30, conforme informou o vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC).
26/08/2015 - 14h13
Sabatina de Janot: Procurador-geral diz que Operação Lava Jato não afeta a economia. "O que impacta o PIB [Produto Interno Bruto] é a ação dos criminosos contra a Petrobras", afirmou Janot.
26/08/2015 - 14h04
Sabatina de Janot: Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) defende o fim da contribuição de empresas a campanhas políticas e parabeniza o MPF por parecer na mesma direção.
26/08/2015 - 13h58
Sabatina de Janot: O senador José Pimentel (PT-CE) questionou Janot sobre o financiamento empresarial das campanhas eleitorais. Janot disse que o MPF já se manifestou contra o financiamento empresarial.
26/08/2015 - 13h47
Sabatina de Janot: Collor afirma que Janot hospedou em sua casa um contraventor procurado pela Interpol. Janot disse que o suposto "contraventor" era seu irmão, que já morreu: "Não participarei dessa exumação pública", disse.
26/08/2015 - 13h36
Sabatina de Janot: Sobre o aluguel de imóvel, Janot diz que foi apresentado à Procuradoria-Geral da República alvará falso. As providências legais e judiciais, informou, já foram tomadas.
26/08/2015 - 13h28
Sabatina de Janot: Janot negou irregularidade na nomeação de sua chefe de cerimonial. Cinthia Oliveira de Almeida teria sido escolhida pela experiência: “Não existe curso superior de cerimonial”.
26/08/2015 - 13h25

Sabatina de Janot: “Nego que seja um vazador contumaz. Eu sou discreto”, disse o procurador sobre supostos vazamentos para a imprensa.
26/08/2015 - 13h23
Sabatina de Janot: Também em resposta a Collor, Janot registra que Constituição autoriza membros do MP que entraram na carreira antes de 1988 a advogar.
26/08/2015 - 13h20
Sabatina de Janot: Em resposta a Collor, o procurador-geral da República afirma que os contratos com empresa de comunicação são legais.
26/08/2015 - 13h18
Sabatina de Janot: Fernando Collor (PTB-AL) disse que Janot teria advogado enquanto atuava como subprocurador da República e pergunta se isso é eticamente aceitável.
26/08/2015 - 13h10
Sabatina de Janot: Collor questiona nomeação de servidora de nível médio para ocupar cargo de nível superior na Assessoria de Cerimonial do Gabinete do Procurador-Geral da República.
26/08/2015 - 13h07
Sabatina de Janot: Collor acusa Janot de vazar para a imprensa informações que tramitavam em segredo de Justiça.
26/08/2015 - 13h03
Sabatina de Janot: Collor também questionou Janot sobre aluguel de imóvel para anexo da Procuradoria-Geral da República. O senador afirma que o procurador alugou uma mansão, em Brasília, por R$ 67 mil mensais, sem licitação.
26/08/2015 - 13h01
Sabatina de Janot: Collor também colocou sob suspeição contrato sem licitação que teria sido firmado entre o MP e a empresa de comunicação Oficina da Palavra.
26/08/2015 - 12h59
Sabatina de Janot: Fernando Collor (PTB-AL) acusou Janot de ter advogado para uma empresa privada enquanto atuava como subprocurador-geral da República. Ele perguntou se o sabatinado considera isso moralmente aceitável.
26/08/2015 - 12h59
Sabatina de Janot: Em resposta a Ronaldo Caiado (DEM-GO), Janot disse que o MPF vai elaborar parecer técnico sobre projeto de repatriação de dinheiro. Caiado queria saber se aqueles que repatriarem recursos ficarão isentos de investigação pelo MP.
26/08/2015 - 12h48
Sabatina de Janot: O presidente da CCJ, José Maranhão, previu uma longa jornada da comissão: pelo menos mais 10 horas de sabatina, a julgar pelo número de inscritos. A reunião com o procurador-geral começou às 10h.
26/08/2015 - 12h43
Sabatina de Janot: Janot explicou a Marta Suplicy sua posição contrária à descriminalização do porte de drogas de uso pessoal, pois também valeria para crack, heroína, cocaína e outras substâncias.
26/08/2015 - 12h23
Sabatina de Janot: Janot respondeu que a responsabilização de Dilma é discussão jurídica e o MP não se contamina por conjunturas políticas. "Não há prejuízo para uma investigação agora ou depois”.
26/08/2015 - 12h21
Sabatina de Janot: Em resposta a Aécio, Janot reafirma independência de atuação do MPF na investigação das “pedaladas fiscais”.
26/08/2015 - 12h21
Sabatina de Janot: Aécio Neves (PSDB-MG) questiona Janot sobre as "pedaladas fiscais". Também pergunta sobre responsabilização de Dilma Rousseff por atos cometidos anteriormente ao seu mandato.
26/08/2015 - 12h06
Sabatina de Janot: Depois dos acordos de cooperação internacional firmados pelo MP com outros países, o órgão já conseguiu repatriar e bloquear no exterior cerca de US$ 740 milhões, disse Janot.
26/08/2015 - 11h51
Sabatina de Janot: O senador Blairo Maggi (PR-MT) questionou o valor das diárias pagas pelo MP. Janot disse que houve aumento de diárias por conta da cooperação internacional feita pelo órgão.
26/08/2015 - 11h47
Sabatina de janot: Ao responder o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), o procurador-geral negou com veemência a chance de um "acordão" com governo e aliados para interferir nos processos relacionados à Lava Jato.
26/08/2015 - 11h29
Sabatina de Janot: Sobre a atuação de vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, Janot afirmou que a atuação do MPF durante eleições presidenciais perante o TSE teve índice de acerto de mais de 90%.
26/08/2015 - 11h20
Sabatina de Janot: Em resposta a Aloysio Nunes, Janot disse que aguarda informações da Presidência da República sobre as “pedaladas fiscais”. Representação de partidos da oposição sobre o assunto foi apresentada em maio.
26/08/2015 - 11h11

Sabatina de Janot: Aloysio Nunes também questiona atuação de vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, na aprovação de contas de partidos durante eleições.
26/08/2015 - 11h06
Sabatina de Janot: O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) questiona Janot sobre a questão das chamadas "pedaladas fiscais" do governo federal.
26/08/2015 - 11h04
Sabatina de Janot: Ao defender o mecanismo de delação premiada, o procurador-geral disse que o delator não é um "dedo-duro, X9 ou alcaguete", mas alguém que primeiramente confessa a participação em crimes.
26/08/2015 - 10h58
Sabatina de Janot: Janot informou que só 20% dos acordos de delação premiada realizados no âmbito da Lava Jato foram feitos com os réus presos. Ele destacou que a delação é feita de forma espontânea.
26/08/2015 - 10h52
Sabatina de Janot : Na opinião de Janot, acordos de leniência firmados com o Cade e com a Controladoria Geral da União não têm repercussão na esfera penal.
26/08/2015 - 10h47
Sabatina de Janot: O relator, Ricardo Ferraço, é o primeiro a inquirir Rodrigo Janot. Para ele, o indicado preenche os requisitos para ser reconduzido ao cargo de procurador-geral da República.
26/08/2015 - 10h29
Sabatina de Janot: Cada senador terá 10 minutos para arguir o procurador-geral da República, que foi indicado para um segundo mandato. Para réplica e tréplica, serão 5 minutos.
26/08/2015 - 10h22
Sabatina de Janot: Em sua apresentação inicial, Rodrigo Janot lembrou que em sua primeira sabatina, em 2013, assumiu o compromisso de combater sem trégua a corrupção.
26/08/2015 - 10h12
Sabatina de Janot: A CCJ iniciou pontualmente às 10h a reunião para sabatinar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Questionamentos ligados à Lava Jato devem dominar a audiência, presidida por José Maranhão (PMDB-PB).
26/08/2015 - 10h01
Sabatina de Janot: O plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) já está lotado para a sabatina de Rodrigo Janot. Senadores, assessores e jornalistas aguardam o início da reunião, marcado para 10h.
26/08/2015 - 09h50
Sabatina de Janot: O procurador-geral, Rodrigo Janot, já chegou ao Senado para participar de sabatina na CCJ.
26/08/2015 - 09h48

CAMPANHA DA DILMA, ELEIÇÕES DE 2014, LEITORES ATENTEM PARA ISSO VOTO SECRETO SIM MAS APURAÇÃO DOS VOTO NÃO A DEMOCRACIA NÃO PERMITE ISSO É CRIME ELEITORAL GOLPE

renato santos
26/08/2015

Será  que finalmente  vamos começar a  ver  uma luz  no fundo  desse túnel chamado comunismo e traição da  Pátria,  o que  não podemos aceitar é ser mandado por um País  fascista  como CUBA, ou  CHINA, ou então por  traidores da Nação.

Assim esperamos  do TSE, que use do  Diploma  Jurídico  com  seu  Fulcro das Legislações  e comecem a  trabalhar  para  Investigar a  Campanha  de todos  os envolvidos  nos escada-los , que se tornou  o  Câncer  de um sistema da própria Governabilidade do País.

As seguintes  frases da  Dilma  "  Nem Jesus Cristo  tira  eu do poder"  e  " Respeitem a minha legitimidade dos  votos", se resumem  nisso " Brasil  rejeita através dos  71%  o  governo de  Dilma", mediante  a  isso, e  dentro  da respeitabilidade a qual  ela  não teve e para  piorar  ela mesma  confessa com a própria  boca "  eu  não sabia que a crise  durante a minha campanha era grave" Ou   ela  sabia que  estava  fazendo  ao " perdoar"  as  dividas de outros Países sem passar  pelo Congresso e  o Senado, ao  emprestar  dinheiro  para  os ditadores assassinos  como Nicolas Maduro e  ainda  usar tráfico de fluência para beneficiar  as  empresas que  hoje  estão  mais que  envolvidos  nos escada-los , se tudo  isso  não for  crime, então  o que  são, qual nome que se da.


O caminho  foi dado  no meio do julgamento onde  houve debate  entre os Ministros  do TSE, a qual aceitou  um Recurso  do PSDB, numa  maioria formada,  a qual pede que  o mandato  do Presidente e  o Vice seja  Impugnado.

Mas, teve  um  terceiro Ministro, que  pediu  VISTAS  AO PROCESSO, com isso  quatro  Ministros entre  eles  GILMAR MENDES, JOÃO OTÁVIO DE NORONHA, LUIZ  FUX  E  HENRIQUE NEVES  dão   votos  pelo continuidade,  a  Ministra Maria Thereza foi a  favor do  arquivamento e os demais  ainda não votaram, a Ministra  Luciana  Lóssio  foi a que  fez  o pedido de VISTAS, e  o Ministro  Dias  Tóffiri  ainda não votou. 

O TSE  tem que  julgar a  Campanha  eleitoral da Dilma, entre os quais  crimes existem, como  votos  fraudulentos  e  o Resultado  em  chamados RESULTADOS SECRETOS, isso  nunca  aconteceu  no Brasil  nem mesmo quando  os Militares  estavam   no Poder.,

CAPÍTULO V
DA FISCALIZAÇÃO DA TOTALIZAÇÃO


Mais informações sobre o conteúdo Impressão

*RESOLUÇÃO Nº 23.399

INSTRUÇÃO Nº 962-63.2013.6.00.0000 – CLASSE 19 – BRASÍLIA – DISTRITO FEDERAL
Relator: Ministro Dias Toffoli
Interessado: Tribunal Superior Eleitoral
Ementa:
Dispõe sobre os atos preparatórios para as Eleições de 2014.
O Tribunal Superior Eleitoral, no uso das atribuições que lhe conferem o artigo 23, inciso IX, do Código Eleitoral e o artigo 105 da Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, resolve expedir a seguinte instrução:



Como  provar que  houve fraude  nas eleições  brasileiras, é  simples, em nenhum dos  artigos  do Diploma Legal em seu  fulcros existe  o que  chamamo de RESULTADOS SECRETOS, ao contrário , foi  vergonhoso  e  criminoso  o que ocorreu, por tanto  não é reconhecida  esses  resultados  dessa  eleições  de 2014, e ainda, nada  foi respeitado. 


Art. 205. Aos candidatos, partidos políticos e coligações, à Ordem dos Advogados do Brasil e ao Ministério Público é garantido amplo direito de fiscalização dos trabalhos de transmissão e totalização de dados.
Parágrafo único. Nas instalações onde se desenvolverão os trabalhos de que trata o caput, será vedado o ingresso simultâneo de mais de um representante de cada partido político ou coligação, ou da Ordem dos Advogados do Brasil, os quais não poderão dirigir-se diretamente aos responsáveis pelos trabalhos.
Art. 206. Os partidos políticos e coligações concorrentes ao pleito poderão constituir sistema próprio de fiscalização, apuração e totalização dos resultados, contratando, inclusive, empresas de auditoria de sistemas que, credenciadas perante a Justiça Eleitoral, receberão os dados alimentadores do Sistema de Totalização (Lei nº 9.504/97, artigo 66, § 7º).
§ 1º Os dados alimentadores do sistema serão os referentes aos candidatos, partidos políticos, coligações, municípios, zonas e seções, contidos em arquivos, e os boletins de urna.
§ 2º Os arquivos a que se refere o parágrafo anterior serão entregues aos interessados em meio de armazenamento de dados definido pela Justiça Eleitoral, desde que os requerentes forneçam as mídias.
Art. 207. Em até 3 dias após o encerramento da totalização em cada Unidade da Federação, o Tribunal Superior Eleitoral disponibilizará em sua página da internet os dados de votação especificados por seção eleitoral, assim como as tabelas de correspondências efetivadas.
Art. 208. Concluída a totalização, os Tribunais Regionais Eleitorais ou os Cartórios Eleitorais entregarão aos partidos políticos e às coligações, quando solicitados, o relatório dos boletins de urna que estiveram em pendência, sua motivação e a respectiva decisão.
Art. 209. Após a conclusão dos trabalhos de totalização e transmissão dos arquivos de log das urnas, os partidos políticos e coligações poderão solicitar aos Tribunais Eleitorais, até 13 de janeiro de 2015, cópias desses arquivos, dos espelhos de boletins de urna, dos arquivos de log referentes ao sistema de totalização e dos Registros Digitais dos Votos.
§ 1º O pedido de que trata o caput deste artigo deverá ser atendido no prazo máximo de 3 dias.
§ 2º Os arquivos deverão ser fornecidos em sua forma original, mediante cópia, não submetida a tratamento.

E por falar  nisso o trabalho  de divulgação das  eleições  não passou de puro interesse  dos  envolvidos, cometendo  crimes  de  todos  os níveis:

CAPÍTULO VI
DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS
Art. 210. Na divulgação dos resultados parciais ou totais das eleições, pela Justiça Eleitoral, deverá ser utilizado o sistema fornecido pelo Tribunal Superior Eleitoral.
§ 1º A divulgação será feita nas páginas da internet da Justiça Eleitoral, por outros recursos disponibilizados pelos Tribunais Eleitorais e pelas entidades cadastradas como parceiras da Justiça Eleitoral na divulgação dos resultados.
§ 2º Os resultados das votações para todos os cargos, incluindo os votos em branco, os nulos e as abstenções, serão divulgados na abrangência estadual e distrital, e para o cargo de Presidente da República, serão também divulgados na abrangência nacional, observado o seguinte:
I – os dados do resultado para o cargo de Presidente da República serão liberados somente a partir das 17 horas do fuso horário do Acre;
II – os dados de resultado para os demais cargos estarão disponíveis a partir das 17 horas do fuso horário da respectiva Unidade da Federação;
III – é facultado à Presidência do Tribunal Regional Eleitoral suspender a divulgação dos resultados da eleição de sua Unidade da Federação a qualquer momento;
IV – é facultado à Presidência do Tribunal Superior Eleitoral suspender a divulgação dos resultados da eleição para o cargo de Presidente da República a qualquer momento.
§ 3º A estatística dos resultados das eleições será publicada no sítio do Tribunal Superior Eleitoral em até 3 dias após a totalização final.
Art. 211. O Tribunal Superior Eleitoral definirá, até 7 de julho de 2014, o modelo de distribuição e os padrões tecnológicos e de segurança a serem adotados na disponibilização dos dados oficiais que serão fornecidos às entidades cadastradas, bem como os serviços e os níveis de qualidade dos serviços delas exigidos.
Art. 212. Até 7 de julho de 2014, a Justiça Eleitoral realizará audiência com os interessados em firmarem parceria na divulgação dos resultados para apresentar as definições do artigo anterior.
Art. 213. As entidades interessadas em divulgar os resultados oficiais das eleições deverão solicitar cadastramento nos órgãos da Justiça Eleitoral até 6 de agosto de 2014.
§ 1º Os pedidos de inscrição deverão ser dirigidos à Assessoria de Comunicação dos Tribunais Eleitorais para análise e aprovação.
§ 2º A Secretaria de Tecnologia da Informação do respectivo Tribunal Eleitoral, observada sua capacidade operacional de prestação de suporte técnico, poderá limitar o número de parceiros, priorizando-se, dentre as entidades aprovadas, a ordem cronológica das inscrições.
Art. 214. Os dados do resultado das eleições serão distribuídos pela Justiça Eleitoral às entidades parceiras da divulgação por meio de arquivo digital ou de programa de computador.
§ 1º Os dados de resultados estarão disponíveis de forma centralizada em Centro de Dados provido pelo Tribunal Superior Eleitoral no período de 5 a 8 de outubro de 2014, para o primeiro turno, e de 26 a 29 de outubro de 2014, para o segundo turno.
§ 2º Será de responsabilidade dos parceiros estabelecer infraestrutura de comunicação com o Centro de Dados provido pelo Tribunal Superior Eleitoral.
§ 3º Para estabelecimento da parceria, a entidade interessada deverá cumprir as seguintes exigências:
I – ser provedora de acesso à internet, empresa de telecomunicação, veículo de imprensa ou partido político com representação na Câmara Federal;
II – acatar as orientações, critérios e prazos determinados pelos órgãos da Justiça Eleitoral;
III – disponibilizar os resultados gratuitamente a qualquer interessado;
IV – divulgar os dados recebidos, informando a sua origem;
V – ter inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) com situação regular na Secretaria da Receita Federal do Brasil;
VI – cadastrar-se na Justiça Eleitoral no prazo e nos moldes estabelecidos nesta resolução.
§ 4º As entidades inscritas como parceiros da divulgação deverão buscar os arquivos periodicamente à medida que esses sejam atualizados, em conformidade com os padrões a serem definidos pela Justiça Eleitoral.
Art. 215. Após o término do prazo de cadastramento e até 21 de agosto de 2014, será realizada audiência com os parceiros aprovados para tratar de assuntos de caráter técnico, visando esclarecer aos parceiros sobre os procedimentos e recursos tecnológicos utilizados na divulgação dos resultados.
Art. 216. É vedado às entidades cadastradas envolvidas na divulgação oficial de resultados promover qualquer alteração de conteúdo dos dados produzidos pela Justiça Eleitoral.
Art. 217. Na divulgação de resultados parciais ou totais das eleições, as entidades cadastradas não poderão majorar o preço de seus serviços em razão dos dados fornecidos pela Justiça Eleitoral.
Art. 218. O não cumprimento das exigências descritas neste Capítulo impedirá o acesso ou acarretará a desconexão do parceiro ao Centro de Dados provido pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Fica a  cada  momento comprovado a  tal Lei  criada  pelo Presidente  do TSE, não só suspeita, mas,  covarde e  traidora da Nação , essa lei nos  tira a possibilidade  de acompanhar os resultados  em determinados  Estados Federativos  do  Brasil, e nos  coloca  numa  escuridão não só de dúvidas  mas de incertezas, o que a corrupção  é  capaz de fazer, essa  é a doutrina satânica  a qual  os  homens  que estão no poder vendem  suas  consciências e  suas  almas  ao  inferno.

Agora estou aqui, fazendo o que o pessoal competente não faz. Não é estranho que precisemos ficar como mendigos, catando fatos, indícios, relatos, para fazer valer o direito natural de comprovação da retidão desse obscuro processo eleitoral? 

Esse é mais um roubo que o PT fez à nação, o roubo do DIREITO de garantir seu voto, sem o qual a Eleição é  apenas um teatro. Já reparou como comunista adora transformar tudo em teatro? 

A Imprensa não noticia, as leis não beneficiam, a polícia não protege, a escola não ensina, mas fazem de conta, fingem um teatrinho para nos  enrolar e de quebra entortar nossa inteligência.A apuração secreta dos votos é tão ilegal quanto os EMPRÉSTIMOS SECRETOS. 

E o mais estranho é o fato do eleitor não ter notado que a apuração dos votos se tornou mais secreta que o voto! Uma democracia NÃO admite isso! Isso destrói a democracia.

Atentem para isto: eles usam a lei contra nós, enquanto que eles não a respeitam. Será que dá para mover uma ação legal num caso desses?



Leia Mais:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,tse-ja-tem-maioria-para-investigar-campanha-de-dilma,1750643
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog