VAMOS PROVAR A PEC 241<<>> CORTANDO OS SALÁRIOS PELA METADE DE TODOS OS POLÍTICOS BRASILEIROS <<>> ENTRE ELES <<>> SENADO,CAMARA DOS DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS, GOVERNADORES, PREFEITOS, VEREADORES,<<>> MAS ISSO ELES NÃO QUEREM<<>>





RENATO SANTOS 09/10/2016  Antes de mais nada de entrar nesse assunto tão " polemico" por que não cortar os gastos altíssimo dos políticos que estão dentro das CASAS.



Temos saída para evitar os gastos, porém, os senhores " coronéis" não querem, por exemplo:

Ve se esses senhores querem cortar na carne, claro que não, poderiam por exemplo renunciar seus altos salários e suas aposentadorias, entregar seus luxos, suas verbas extras de gabinetes, reduzir o salário dos presidentes do STF, STJ,SENADO,CÂMARA DOS DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS, GOVERNADORES, PREFEITOS, VEREADORES, DIMINUIR OS CHAMADOS CARGOS COMISSIONADOS, E TODOS REALMENTE TRABALHANDO COM A MESMA CARGA HORÁRIA DE UM TRABALHADOR COMUM, USAR O TRANSPORTE PÚBLICO, CORTAS AS CHAMADAS DESPESAS DE GABINETE, MAS NÃO FAZEM , O QUE ESTA NAS ESCURAS COM A  PEC 214, QUE NÃO FALAM A VERDADE.


Nesse momento Michel Temer esta reunido com os deputados e alguns interessados para o chamado " bens do Brasil", o objetivo é definir a estratégia do governo para aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC 241/16) que limita os gastos do governo por 20 anos.

A intenção do governo é que a votação ocorra amanhã (10). Para isso, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou a convocar uma sessão de debates para sexta-feira (7), que contaria como prazo. A sessão não aconteceu por falta de quorum.

A medida foi batizada pelo Executivo de novo regime fiscal. Pela proposta, o aumento das despesas no Orçamento ficará limitado pelos próximos 20 anos, sendo reajustado somente pela inflação do ano anterior.

O domingo foi de movimentação por parte dos integrantes do governo para tentar garantir maioria para aprovação do texto. Mais cedo, Temer, Moura e Maia se reuniram para afinar o discurso do governo, que espera superar os 308 votos necessários para a aprovação da PEC em primeiro turno.

"Estamos confiantes de que a votação amanhã será positiva e que teremos número superior aos 308 votos necessários para aprovação do texto", afirmou Moura. "Nós já tínhamos certeza, pois passamos os últimos dias na confirmação dos deputados. A expectativa é que mais de 320 deputados do governo estejam na Casa amanhã", acrescentou.

Moura novamente rebateu a afirmação da Procuradoria-Geral da República (PGR), de que a PEC é inconstitucional. Em nota, a PGR rejeitou a proposta, classificando-a como inconstitucional. Para a instituição, a proposta vai diminuir a atuação da instituições do Sistema de Justiça no "combate às demandas de que necessita a sociedade, entre as quais o combate à corrupção e ao crime"
.
De acordo com o líder do governo, a PEC é constitucional e cumpre os ritos previstos no regimento da Câmara. "As regras e os efeitos são para todos os poderes. Que todos possam dar sua parcela de contribuição", concluiu André Moura.

O Brasil gasta muito mais do que arrecada. Por isso nosso país está sempre endividado. Para fechar a conta, o governo tem que tomar dinheiro emprestado, pagando juros gigantes. Aí a dívida só aumenta. E por causa disso falta dinheiro para investir no que é fundamental. E como os juros são altos, as empresas também não investem, e o desemprego só aumenta. É um círculo vicioso, de que o Brasil precisa escapar.

O que exatamente diz a PEC 241? Que nos próximos 20 anos, até 2036, o governo do Brasil só poderá gastar exatamente o que gasta hoje. O único ajuste permitido será o da inflação anual. É isso que vai ser votado, e provavelmente aprovado, pelo Congresso.

Só tem um probleminha. Que vai virar um problemão.

E o Brasil é um dos países que menos investe em educação. O gasto anual do poder público com educação é de aproximadamente R$ 10 mil por aluno do ensino básico. 

Quanto é nos países mais desenvolvidos? Três vezes mais. Por isso é que eles são desenvolvidos... e a gente não.


Ou seja: se a gente aprovar a PEC 241, e continuar investindo essa mesma miséria, o Brasil não vai pra frente. Aliás, vamos piorar muito.

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog