GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

Susana Barreiros es tendencia en Twitter, la gente habla de presunto suicidio

Susana Barreiros vuelve a ser polémica en Venezuela, luego de que el pasado 10 de septiembre fuese la jueza que condenó a el líder opositor Leopoldo López a más de 13 años de prisión en la cárcel de Ramo Verde en una celda chica y sin los implementos necesarios como para tener una estadía digna de tener los derechos humanos.


Luego de que un tuit de Carlos Peñaloza en la red social del pajarito azul Twitter dijera que la jueza Susana Barreiros sufría de depresión, su caída en una crisis nerviosa y luego su reclusión en el hospital de Fuerte Tiuna, los tuiteros comenzaron a hablar del rumor de su suicidio 

(O intento de suicidio) y muchos confirmaron la veracidad de este hecho porque el gobierno no ha pronunciado una sola palabra a raíz de este fuerte rumor que viene asechando las redes sociales desde el domingo por la tarde.


NICOLAS MADURO TEM QUE LIBERTAR LEOPOLDO LOPES IMEDIATAMENTE, CASO CONTRÁRIO RESPONDERÁ POR CRIMINOSO DE GUERRA NO TRIBUNAL DE HAIA

Renato Santos  escreve que a libertação imediata do líder nacional do Popular Will, Leopoldo Lopez, solicitada em Barcelona, ​​sábado, deputado à Assembleia Nacional, Carlos Andres Michelangelli e presidente da Fundação EPA, advogado Manuel Ferreira, com base em declarações do imposto nacional Franklin Nieves, nos Estados Unidos e argumentam que a evidência trazida contra o líder do toldo laranja, são falsas.Precisa ser  feita  rápido, por que a agora o tribunal de HAIA, e  a  OTAN, juntamente  com os ESTADOS UNIDOS, poderão  intervir na VENEZUELA  para derrubada  deste regime cleptocrata.

Ferreira explicou que o Tribunal de Apelações, onde ela introduziu o recurso de Lopez advogados, após a sentença de mais de 13 anos de prisão, devem agora declarar a nulidade do processo, ordenar a reintegração do julgamento, com um novo ato consultivo e será imediatamente liberada, o prisioneiro político.

O advogado acredita que após o imposto Nieves emitiu suas declarações sobre a evidência falsa com a qual sentenciado Lopez, o Gabinete do Procurador-Geral, não tem nenhuma outra ação, para solicitar a demissão do caso.

Se Nieves disse que foram fabricados e manipulado as provas contra Lopez, a justiça deve corrigir essa anomalia ", porque se eles fizeram isso Leopoldo Lopez, um líder que tem estado a observar o mundo inteiro, o que restará para o resto dos detidos político e com quem me encontrei ordens ouvidores prisão para o governo nacional ", explicou em conferência de imprensa.

Para o representante da EPA, uma organização de defesa dos direitos humanos em Anzoategui, o Tribunal de Justiça do Supremo Tribunal, deve proceder de imediato para derrubar a condenação.

O parlamentar nacional Carlos Andres Michelangelli mencionou que revelou por Nieves, mostra que Lopez é inocente e que tudo foi forjado "por um governo opressivo, que tem mostrado que não é democrático, e é usado para manipular a aplicação da justiça, à vontade ".

Ele acredita que ele tenha danificado o sistema de justiça venezuelana, este ramo da Executiva Nacional, de modo que a liberdade de Lopez vem agora. 

Ele também argumentou que tanto Franklin Nieves como Eladio Aponte Aponte, autoridades venezuelanas que vieram para esclarecer as coisas, também devem ser investigados ", porque eles deixaram de imprensa e de saber quem paga as famílias dos detidos injustamente, todas as dificuldades que aconteceram "ele disse.

Na terça-feira, o Comitê de Política Interior, mantenha um pedido por escrito para ser investigado declarações do imposto nacional Franklin Nieves, porque não só Lopez, mas muitas pessoas que causaram-lhes mal, esses forjamientos de testes entre os vários julgamentos.

Ele está convencido de que a 6D, as pessoas vão votar para superar esses males, que arbitrariedade, existem organismos públicos da Venezuela.

COMO MOSTRAR A NOSSA Diplomacia do Aço: Como o exército calou Maduro e Morales.

renato santos
25/10/2015
fonte
direita livre
Não faz muito tempo, os presidentes Evo Morales (Bolívia) e Maduro (Venezuela), ao tentar defender o PT e Dilma Roussef, deram declarações ameaçadoras à soberania do Brasil. Sendo a mais grave aquela feita por Morales, ao afirmar que “…Se tiver golpe (impeachment) no Brasil vamos atacar com nossas forças armadas…”.
Inicialmente ridicularizado, em razão do aparentemente pequeno poderio militar boliviano, muitos se esquecem de que a Bolívia faz parte do chamado “grupo bolivariano”, que é composto por Venezuela, Equador, Nicarágua e Bolívia. Grupo que possuí suporte militar cubano e russo…
A Venezuela, por exemplo, tem larga vantagem em relação ao Brasil no que diz respeito a defesa terra-ar (aliás, o grande “calcanhar de aquiles” brasileiro). Enquanto a Venezuela possui até mesmo mísseis de longo alcance, como os S-300 russos (abate aviões a até 150km de distância), ou ainda os “S-125 Pechora” (cerca de 35km de alcance) o Brasil sequer possui um único míssil de médio  alcance para defender seus cerca de 16.000 km de fronteiras terrestres.

s300_rian
Low-Blow-Pechora-2M-Mobile-1S
S-125

Tudo o que temos se restringe a um punhado de MANPADS (pequenos mísseis disparados do ombro por soldados) como o IGLA (SA-18 e SA-24), que tem meros 5km de alcance e apenas 3,5km de altura (um SU-30MKK Venezuelano pode voar a 17,300 m de altura…) e, mais recentemente, a míseros 12 a 16 sistemas suecos RBS-70 (também de curto alcance). Em suma, nunca se pensou em defesa aérea em “multicamadas” no Brasil. E hoje, uma vez neutralizados nossos caças, ficaremos totalmente vulneráveis, uma vez que os poucosgepard existentes se destinam, também, a defesa de curto alcance.
 110717-N-3927-123
RBS 70
SA-24-igla-S
Igla SA-24

Tenho visto muitos pilotos brasileiros comentarem, talvez por ingenuidade, que a “dobradinha” EMB R-99 + F-5Mseria capaz de “segurar” os SU-30MKK venezuelanos. Pois os F-5M voariam “apagados” (radar desligado) e receberiam por datalink com o R-99 a posição dos SU-30 , podendo disparar seus mísseis BVR antes de serem detectados. Nada mais pueril. O voo de um ZDK-03 até a Venezuela demora menos de 1 dia (compra de urgência). Lembrando que a Venezuela já opera o Y-8 (no qual o ZDK-03 é baseado), de modo que adquirir um ZDK parece o natural, pois pulverizaria essa “vantagem” brasileira, uma vez que o radar do ZDK-03 é um AESAainda mais potente que o Erieye usado no R-99 brasileiro.  Isso, claro, na hipótese do potentíssimo radar dos SU-30 (190 km de detecção aérea) realmente não conseguir “enxergar” um F-5M “apagado” a tempo e o abater com seus mísseis R77 (até 110km de alcance)…
CETC-ZDK-03-AEW+C-Karakoram-Eagle-2
ZDK-03

No imaginário Venezuelano (segundo observei de vários fóruns de língua espanhola), uma eventual guerra com o Brasil se daria por ar, onde os Bolivarianos teriam larga vantagem pois, uma vez neutralizados nossos 43 caças F-5M, os modernos caças russos SU-30, bem como seus F-16 de origem americana, poderiam voar impunemente sobre os céus do Brasil, desde que a média ou alta altitude. Em contrapartida, suas baterias de mísseis S-300, S-125, bem como ainda os BUK tornariam “inviável” uma incursão aérea brasileira na Venezuela/Bolívia.

431px-Buk-M1-2_9A310M1-2
Sistema de defesa antiaérea BUK

Isso porque, além de terem superioridade aérea, a distância de suas fronteiras para os grandes centros militares brasileiros (a região sul concentra a grande maioria de nossa força de blindados) inviabilizaria, teoricamente, um rápido contra-ataque por terra do Brasil. Seria como, numa comparação, atirar de estilingue num inimigo em campo aberto, enquanto se abriga atrás de um muro. O “estilingue” representaria a superioridade aérea e o “muro” a própria “defesa natural” que inviabilizaria um contra-ataque terrestre eficiente, por questões logísticas.
Logo, a “ameaça bolivariana” feita por Morales deve ser levada a sério. E foi.
Por coincidência (ou não), a resposta “diplomática” das FFAA brasileiras já estava a caminho. A estratégia do “estilingue atrás do muro” foi derrubada.
Sem alarde, o exército brasileiro pôs em campo duas operações militares: I- operação Bormann (10 e 23 de outubro de 2015), onde se realizou testes de grande deslocamento de blindados por via ferroviária de SC até o PR; II- uma segunda operação, finalizada em 29/09/2015, que sequer recebeu nome (chamei de “As portas abertas da Venezuela), onde, pela primeira vez na história, foi feito o deslocamento de um tanque pesado por rio até a fronteira da Venezuela (link do facebook do exército brasileiro).  E, como diz o popular, “…onde passa um boi, passa uma boiada…”.
Uma ilustração vale mais que mil palavras.

portas_da_venezuela_abertas3
Estas duas singelas operações criaram uma variável nova no tabuleiro das possibilidades Bolivarianas, pois as baterias de defesa antiaérea venezuelanas poderiam ser neutralizadas por um mix de ataque terrestre em conjunto com uso de mísseis MAR-1 brasileiros e baterias de ASTROS. Fato que, ainda, coloca Nicolás Maduroem “barbas de molho” com relação a suas ameaças de atacar a Guiana.
Mas a “diplomacia do aço” não parou por aí. Ainda na mesma época ocorreram as operações: I- operação de ataque “Formosa 2015”, com adestramento de fuzileiros navais e, coincidentemente, o uso do ASTROS em conjunto com o jato AF-1  e II- operação “Príncipe da Beira”, exatamente às portas da Bolívia… (links do exército brasileiro).
A inteligência e sutileza de nossas FFAA devem ser aplaudidas e o desenrolar dos fatos servem para mostrar que os moços não estão “dormindo”, ao contrário do que dizem alguns. Porém, serve mais uma vez para denunciar nosso “eterno calcanhar de aquiles” (defesa terra-ar), fato que vem sendo criticado por mim há anos, desde os tempos em que era redator do www.aestrategia.com (hoje defunto). Claro que os recursos são escassos e, pior que isso, inconstantes. Mas evitar a supremacia aérea (segundo a NATO, corresponde a”…degree of air superiority wherein the opposing air force is incapable 

NÃO MEXA COM SERVO DE DEUS, O PREÇO É ALTO PARA SE PAGAR, JUÍZA QUE USOU A JUSTIÇA CLEPTOCRATA CONTRA LEOPOLDO LOPES ESTA EM ESTADO GRAVE NO HOSPITAL

renato santos
25/10/2015

Todos os venezuelanos lembrar Juiz Susana Barreiros como a mulher que depois de um longo julgamento cheio de problemas e atrasos Leopoldo Lopez condenado a 13 anos, 9 meses, 7 dias e 12 horas no Ramo Verde prisão.

Texto Base: Salmos 137:1-4
Junto aos rios de Babilônia, ali nos assentamos e choramos, quando nos lembramos de Sião. Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. Como cantaremos a canção do SENHOR em terra estranha?

Neste Salmo, os judeus estão lamentando a vida no cativeiro babilônico. Cativeiro que durou setenta anos, conforme anunciara o profeta Jeremias.

Os judeus foram levados cativos para Babilônia, por Nabucodonosor. Mas o que levou o povo de Judá para o cativeiro não foi o poderio do Império Babilônico, foi à desobediência as leis de Deus. Eles foram avisados por muitos anos pelos profetas sobre o que lhes aconteceria se não se voltassem para Deus, mas não deram ouvidos.

Entre os cativos haviam pessoas que eram fiéis ao Senhor. Alguns tiveram uma vida próspera na Babilônia, apesar dos contratempos que tiveram. A história de Daniel, confirma isso. Ele preferiu não se contaminar com os deuses do povo babilônico,  permanecendo fiel ao Deus do céu.

Quem serve a Deus e tem o Senhor no coração, onde for será abençoado, pode mudar de bairro, de cidade, de estado, de país ou de Igreja, Deus estará dentro dele, por que ele pertence ao Senhor. Assim foi com Daniel. Levado jovem para o cativeiro, mas sabendo a quem servia, sabendo com quem poderia contar sempre.

Quando estava se aproximando o tempo determinado por Deus, para que a sorte dos judeus mudasse, e eles pudessem voltar a Jerusalém, o Senhor começou a agir.

O rei da Babilônia, Belsazar deu um grande banquete para mil de seus nobres. Mandou trazer os utensílios que Nabucodonosor tinha retirado do templo em Jerusalém, para que todos usassem na festa. De repente apareceram dedos escrevendo na parede. Todos os presentes viram. Belsazar ficou pálido. Apavorado mandou convocar todos os encantadores, astrólogos, adivinhos e prometeu a eles: “Aquele que ler a escritura e der sua interpretação receberá presentes nobres e será o terceiro em importância no reino”. Ninguém conseguiu ler o que estava escrito. Isto deixou o rei ainda mais aterrorizado.

Na oferta de presentes para quem interpretasse a escrita na parede, há algo interessante, é que Belsazar oferece o terceiro lugar em importância no reino da Babilônia. Porque não o segundo lugar? Quem seria o segundo? A Bíblia não explica, mas a história da Babilônia deixa bem claro o porquê dessa oferta. O rei da Babilônia era Nabonido que se encontrava em viagem, por isso Belsazar estava reinando. Nabonido era pai de Belsazar. Belsazar era co-regente. Então Nabonido era o primeiro e Belsazar o segundo no reino.

Quando a rainha mãe soube dos acontecimentos, disse ao rei para mandar chamar Daniel, homem que havia interpretado sonhos do seu antepassado, Nabucodonosor. Ela falou assim sobre Daniel: “Porquanto se achou neste Daniel um espírito excelente, e conhecimento, e entendimento, interpretando sonhos e explicando enigmas, e resolvendo dúvidas, ao qual o rei pôs o nome de Beltessazar. Chame-se, pois, agora Daniel, e ele dará a interpretação" (Daniel 5:12).

Daniel foi convocado e ouviu do rei as mesmas promessas. Disse que recusava os presentes, mas que o Deus do céu o revelaria o que estava escrito e também a interpretação. Daniel fez a leitura e a interpretação. O texto escrito na parede era: 

MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM (Parsim).

Esta é a interpretação:
MENE: Contou Deus o teu reino, e o acabou.
TEQUEL: Pesado foste na balança, e foste achado em falta.
PERES(singular de Parsim): Dividido foi o teu reino, e dado aos medos e aos persas(Dn 5.25-28).

Naquela noite foi morto Belsazar, rei dos caldeus. Terminou o império babilônico. Inicia-se o período Persa.

Depois desses acontecimentos, no primeiro ano do reinado de Dario, Daniel entendeu pelas profecias do profeta Jeremias que o abandono de Jerusalém duraria setenta anos, e este tempo estava se cumprindo.

Após este entendimento, o profeta foi orar ao Senhor. Daniel não foi exigir ou determinar a Deus o fim do cativeiro. Fez uma oração de humilhação, de reconhecimento que os acontecimentos que sobrevieram sobre os judeus, foi por culpa de seus pecados, e suplicou ao Senhor que concedesse aos filhos de Israel o retorno para sua pátria.

Daniel servia a Deus com sinceridade de coração e poderia ter feito uma oração de auto-afirmação, poderia ter cobrado a Deus seus direitos de servo cumpridor de seus deveres, mas não, ele colocou-se em igualdade com os que pecaram contra o Senhor. Sua oração foi ouvida e suas súplicas atendidas.

Aprendemos com Daniel, que não devemos ficar nos justificando para o Senhor, devemos sim, reconhecer que somos servos, que somos dependentes de sua graça. Que por mais que façamos, por mais que nos santifiquemos, por mais que Ele nos use em visões, profecias, palavras de conhecimento ou sabedoria, não devemos nos colocar acima dos outros irmãos, afinal somos o vaso e o Senhor o oleiro. É Ele quem nos molda para que O sirvamos conforme a sua vontade. Devemos nos permitir ser moldados por Deus, e esse permitir, significa estar pronto para fazer a vontade Dele, colocar a vontade do Senhor acima de nossas vontades.

Na oração que Jesus nos ensinou, o Pai Nosso, a maneira correta de pedir a Deus é: reconhecer quem é o Senhor, afirmar Sua Santidade e deixar que seja feita a sua vontade (Lc 11.2).

Não faça orações exaltando a si mesmo, dizendo para Deus suas qualidades, Ele te conhece. Jesus disse que quem se humilha será exaltado e quem se exalta será humilhado (Lc 14.11).



Lopez, que seguiu um julgamento de quase 19 meses, com três estudantes, antes de ouvir sua sentença, ele deu um discurso emocionado e lhe assegurou que ela daria mais medo de ler a sentença para ele de receber.

A poucas horas atrás via Twitter conta Carlos Penaloza (@ GenPeñaloza), ele disse que, nos dias após o julgamento, Barreiros sofre um colapso nervoso constante e foi admitido ao hospital em Fort Tiuna em estado crítico.

"O juiz estava bem ciente Barreiros danos que fiz para Leopoldo, seus filhos, sua esposa Lilian Tintori e todo o país caiu em uma profunda depressão ligada com um coquetel de antidepressivos e muita bebida", informaram os usuários através de redes sociais.

A POLÊMICA NO ENEM : NINGUÉM NASCE MULHER: TORNA-SE MULHER, MOSTROU QUE BRASILEIROS CONFUNDEM IGUALDADE DE GÊNERO COM IDEOLOGIA DE GÊNERO, POR ISSO QUE NA PROVA APARECEU A RESPOSTA " EU NASCI MULHER E TENHO VAGINA" A AUTORA JAMAIS DEFENDEU IDEOLOGIA DE GÊNERO QUE É UMA PALAVRA TERMINOLÓGICO MAS, FOI USADA EM UMA PERNICIOSA IDEOLOGIA

renato santos
25/10/2015

Mais  uma polêmica  no ENEM , que  vai dar  o que  falar , antes  vamos conhecer  a mais  nova  personagem  envolvida  SIMONE BEAUVOIR.

Simone Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir, mais conhecida como Simone de Beauvoir (Paris, 9 de janeiro de 1908 — Paris, 14 de abril de 1986), foi uma escritora, filósofa existencialista e feminista francesa.
Escreveu romances, monografias sobre filosofia, política, sociedade, ensaios, biografias e uma autobiografia.

Simone de Beauvoir era a mais velha das únicas duas filhas de Georges Bertrand de Beauvoir, um advogado em tempo integral e ator amador, e Françoise Brasseur, uma jovem mulher de Verdun. 

Nasceu em Paris como Simone (então um nome pomposo que seu pai gostava)-Lucie (por sua avó materna)-Ernestine (por seu avô paterno, Ernest-Narcisse) -Marie (pela Virgem Maria) Bertrand de Beauvoir (ela foi orientada enquanto criança a dar seu nome como simplesmente "Simone de Beauvoir"). 

Era uma criança atraente, mas mimada, teimando em obter o que queria, tendo sido o centro das atenções da sua família. 

A mãe não foi uma grande costureira, e as roupas que costurou eram mal ajustadas. 

Ao crescer, Beauvoir não tinha amigos além da irmã Poupette, que era dois anos e meio mais nova e de quem ela era próxima.

Em 1909, o avô materno de Beauvoir, Gustave Brasseur, presidente do Banco Meuse, faliu, jogando toda a sua família em desonra e pobreza. Georges não recebeu o dote devido, por casar-se com Françoise, e a família teve que se mudar para um apartamento menor. 

Georges de Beauvoir teve de voltar ao trabalho, embora o trabalho não lhe agradasse. A família lutou durante toda a infância das meninas para manter seu lugar na alta burguesia, e Georges dizia frequentemente: "Vocês, meninas, nunca se vão casar, porque vocês não terão nenhum dote".

Beauvoir sempre esteve consciente de que seu pai esperava ter um filho, ao invés de duas filhas. Ele afirmava, "Simone pensa como um homem!" o que a agradava muito, e desde pouca idade Beauvoir distinguiu-se nos estudos.

Georges de Beauvoir passou seu amor pelo teatro e pela literatura para sua filha. Ele ficou convencido de que somente o sucesso académico poderia tirar as filhas da pobreza. (Hélène tornou-se uma pintora.


Educação

Ela tornou-se uma adolescente desajeitada, dedicada completamente aos livros e à aprendizagem, e preferiu ignorar os desportos porque ela não era nada atlética. 

Ela e sua irmã foram educadas no Institut Adeline Désir, ou Cour Désir, uma escola católica para meninas, algo que era desprezado pelos intelectuais da época. 

As escolas católicas para meninas eram vistas como lugares onde as jovens aprendiam uma das duas alternativas abertas às mulheres: casamento ou um convento. Sua mãe, que Beauvoir considerava uma intrusa espiando cada movimento seu, frequentou as aulas com elas, sentada atrás delas, como se esperava que a maioria das mães fizessem. 

Lá Beauvoir conheceu sua melhor amiga, Elisabeth Le Coin (ZaZa nas memórias de Beauvoir), que influenciou de forma definitiva a personalidade de Simone. Simone adorou a escola e se formou em 1924 com "distinção".

Aos 15, Beauvoir já havia decidido que seria uma escritora. Jacques Champigneulle tornou-se seu mentor intelectual e amigo, aquele que sua mãe esperava que iria se casar com ela. Geraldine Paro (GéGé) e Estepha Awdykovicz (Stépha) tornaram-se suas amigas.


Depois de passar nos exames de bacharelado em matemática e filosofia, estudou matemática no Instituto Católico e literatura e línguas no Instituto Sainte-Marie, e em seguida, filosofia na Universidade de Paris (Sorbonne). 

Em 1929, quando na Sorbonne, Beauvoir fez uma apresentação sobre Leibniz. Lá, ela conheceu muitos outros jovens intelectuais, incluindo Maurice Merleau-Ponty, René Maheu e Jean-Paul Sartre. 


Enquanto na Sorbonne, Maheu deu a Beauvoir o apelido que lhe acompanharia ao longo da vida, Castor, dado a ela por causa do forte trabalho ético do animal. Em 1929, na idade de 21, Beauvoir se tornou a pessoa mais jovem a obter o Agrégation na filosofia, e a nona mulher a obter este grau. No exame final, ficou em segundo lugar; Sartre, 24 anos, foi o primeiro (ele havia sido reprovado em seu primeiro exame). 

O júri do Agrégation discutiu sobre a possibilidade de dar Sartre ou Beauvoir primeiro lugar na competição. No final, concederam a Sartre. Sua amizade com Elizabeth Mabille ("Zaza") foi abruptamente rompida com a morte precoce de Zaza. Simone narrou esse episódio de sua vida, posteriormente, em seu primeiro livro autobiográfico, Memórias de uma moça bem-comportada, em que critica os valores burgueses.

Logo uniu-se estreitamente ao filósofo e a seu círculo, criando entre eles uma relação polêmica e fecunda, que lhes permitiu compatibilizar suas liberdades individuais com sua vida em conjunto. 

Na verdade, é difícil caracterizá-los como casal, porque viveram longas relações amorosas cada um com outras pessoas; Beauvoir, por exemplo, teve uma forte relação com o escritor norte-americano Nelson Algren logo após a guerra, e na década de 1950 manteve outra relação duradoura com Claude Lanzmann. 

No verão, era comum Beauvoir e Lanzmann viajarem com Sartre e sua amante Michelle Vian, ex-esposa do escritor Boris Vian.

Foi professora de filosofia até 1943 em escolas de diferentes localidades francesas, como Ruão e Marselha. Morreu de pneumonia em Paris, aos 78 anos. Encontra-se sepultada no mesmo túmulo de Jean-Paul Sartre no Cemitério de Montparnasse em Paris.

AGORA  VAMOS  QUESTIONAR A  PROVA DO ENEM DE  2015.


Quem elaborou a questão fez sem conhecimento do pensamento da autora, apenas distorcendo as  palavras  dela, e num só objetivo defender a  igualdade de gênero, não  no sentido  biológico  mas  filosófico. Infelizmente  "  distorcem" o que  é verdade  em mentira, até  o livro  sitado abaixo da prova  fala  sobre o assunto, mas,  como brasileiro  não  têm costume  de ler, começam a  questionar  a frase, não lê na entrelinhas. 

Uma das questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 que mais repercutiu nasredes sociais após o término da prova foi a que trouxe a citação da filósofa e escritora francesa Simone de Beauvoir: "Ninguém nasce mulher: torna-se mulher. 

Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam de feminino". A pergunta pedia para o candidato caracterizar para qual movimento social da década de 1960 o pensamento de Beauvoir contribuiu. 

A resposta correta era "organização de protestos públicos para garantir a igualdade de gênero", o item "C" no caderno de provas de cor branca.

A DIFERENÇA  ENTRE A  IGUALDADE DE GÊNERO E A IDIOLOGIA DE GÊNERO :

ENQUANTO A IGUALDADE DE GÊNERO TRATA  DOS DIREITOS ENTRE A MULHER E  O  HOMEM A IDEOLOGIA  TRATA  DE TRANSFORMAR AS REGRAS  BIOLÓGICA. MAS,  O POVO  CONFUNDEM AS  DUAS  COISAS, POIS  NINGUÉM EXPLICOU ISSO  NEM NAS ESCOLAS  MENOS  AINDA NAS IGREJAS.AÍ  TORNA-SE  UM CAMINHO  PERIGOSO DE PRECONCEITO. COMO HAVIA  NO SÉCULO  19.

Essa  prova  do ENEM mostra  o quanto  é necessário  aulas de FILOSOFIA  nas ESCOLAS  BRASILEIRAS, o povo  não sabe pensar, a  resposta  escrita  na prova  mostra  o quanto a  ignorância  está  destruindo a  capacidade do raciocínio do brasileiro, vejamos a  resposta  "  EU NASCI MULHER  TENHO  VAGINA".

Por  essa  razão  em confundir a  IGUALDADE DE GÊNERO E A  IDEOLOGIA DE GÊNERO fez  não  só  essa  resposta  mas  talvez  outras  semelhantes, vejamos  o  causou  isso : 

Em 2013, foi proposto a introdução da palavra “gênero” no Plano Nacional de Educação (PLC 103/2012), mas que não foi aprovada. O que poderia parecer somente um simples acréscimo terminológico, na verdade esconde uma perniciosa ideologia, chamada de “Ideologia de Gênero”.

O conceito “Ideologia de Gênero” foi criado por sociólogos reunidos em uma conferência da ONU na cidade de Pequim, em 1995. Apesar de ser uma invenção dos últimos 20 anos, essa ideologia solidificou-se na cultura global de tal maneira que afeta a compreensão da família, repercute na esfera política e legislativa, no ensino, na comunicação social e na própria linguagem corrente.

Segundo esta ideologia, os papéis entre homens e mulheres, dentro do contexto do matrimônio e da família, devem ser substituídos por relações sexuais física e psicologicamente versáteis e que não obedecem uma ordem da natureza e dignidade que lhes é própria. Segundo essa teoria ideológica os dois sexos – masculino e feminino – são considerados construções culturais e sociais, de modo que, embora existindo um sexo biológico, cada pessoa tem o direito de escolher o seu sexo social (gênero). 

Seus adeptos querem ensinar às crianças que elas, socialmente falando, não são homens ou mulheres, mas podem escolher qualquer opção sexual que quiserem. Para os seus defensores, quando a criança nasce ela não deve ser considerada do sexo masculino ou feminino, mas somente uma pessoa do gênero humano, que depois fará a escolha do seu próprio sexo. 

Ao mesmo tempo, a Ideologia de Gênero ensina que a família, sempre considerada pela humanidade de todos os tempos como lugar autêntico onde se transmite as formas fundamentais de ser pessoa humana, passa a não ter um formato pré-estabelecido pela natureza, pois a construção do gênero despreza as diferenças dos sexos e as bases, tanto biológicas quanto psicológicas, da complementariedade entre o homem e a mulher. 

Assim sendo, a criança e o adolescente perdem os referenciais éticos e antropológicos da construção da própria identidade e passam, arbitrariamente, a construir-se e definir-se como lhe agrade, refletindo um subjetivismo relativista levado ao extremo e negando o significado da realidade objetiva.

A igualdade entre homem e mulher é um dos maiores direitos da pessoa humana. Na Ideologia de Gênero, porém, não se trata de igualdade de diretos, mas do próprio nivelamento de qualquer diferença, inclusive a diferença biológica entre homem e mulher. Infelizmente, a maioria das pessoas, os pais principalmente, desconhecem o que significa o conceito “gênero”, a ideologia que está por detrás dele e as consequências que podem produzir na educação das crianças e dos adolescentes – confusão nas crianças, uso comum dos banheiros, promiscuidade, gravidez na adolescência, perda da autoridade paterna sobre a educação sexual dos filhos, impedimento do ensino da moral cristã mesmo nas escolas confessionais, etc.

Um olhar crítico seria suficiente para verificar a não plausibilidade de tal ideologia, como prova o norueguês Harald Eia, formado em Ciências Sociais, em uma série de programa televisivos por ele dirigida chamada “Brainwash” (Lavagem cerebral), onde demonstra a inconsistência e não razoabilidade da Ideologia de Gênero 



Ações na Arquiocese de Goiânia

 Na tarde do dia 9 de junho, no auditório da Cúria Metropolitana, o Bispo auxiliar e responsável pelo Vicariato da Comunicação da Arquidiocese de Goiânia, Dom Levi Bonatto, esteve reunido com vereadores da Câmara Municipal, a fim de estabelecer um diálogo e suscitar reflexão a respeito da Ideologia de Gênero proposta para fazer parte do Plano de Educação Municipal. Todos os municípios do País estão elaborando seus Planos de Educação, que deverão ser aprovados até o dia 24 de junho de 2015 e terão validade de 10 anos, o que significa que toda uma geração será educada segundo o modelo ético antropológico por ele estabelecido.

Após acolhida, Dom Levi salientou o intuito da Igreja em exercer sua missão de valorizar a família, defesa e  promoção  da dignidade humana e da vida em todas as suas instâncias. “A Igreja Católica, na pessoa dos bispos não pode se omitir quando percebe que um assunto tão importante para educação e principalmente para formação das crianças e jovens não está sendo discutido como deveria estar; com paz, serenidade e principalmente com tempo. A igreja não tem nenhum partido político, nosso intuito e preservar a família e a juventude. Neste encontro incentivamos que o diálogo aconteça para que as pessoas reflitam e principalmente entendam o que propõe o projeto e a ideologia de gênero".


Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog