Aiatolá xiita Mohsen Araki chegou ao Aeroporto Internacional de Guarulhos






RENATO SANTOS 27/07/2017  Nascido no Iraque, ele é um dos 88 membros da Assembleia dos Especialistas do Irã, responsável por indicar e destituir o líder supremo do país, e já declarou publicamente que “Israel é um câncer que deve ser extirpado do Oriente Médio”.



Na foto, Araki desembarcando no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Uma das pessoas que o acompanham é o iraquiano Taleb Khazraji, do Hezbollah na América Latina. 

Ele foi citado dos relatórios produzidos pelos investigadores do atentado contra a sede da Associação Mutual Israelita (AMIA) como sendo um dos responsáveis pelo atentado à entidade, em julho de 1994.
O organizador do evento, o Centro Islâmico no Brasil, afirmou que o encontro, que ocorreria no dia 29 de julho no Novotel Center Norte, em São Paulo, foi transferido “por razões técnicas”, mas não informou o novo local.
A líder do PSDB no RJ, Teresa Bergher, solicitou que Araki fosse monitorado pela Polícia Federal. 
A pressão aumentou quando líderes religiosos brasileiros divulgaram nota alertando “contra qualquer discurso destinado a propagar o ódio entre nossas comunidades”. 
O texto é assinado pelo rabino Michel Schlesinger; pelo arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Scherer; pelo presidente do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs, dom Flavio Irala; e pelo xeque Houssam Ahmad el Boustani, do Instituto Futuro da Comunidade Muçulmana.
“Pessoas como esse líder, que tem o costume de realizar discursos inflamados pedindo a destruição do próximo, não combinam com o que a gente vê no Brasil”, afirma o rabino Schlesinger. “Nos orgulhamos muito da relação que temos no Brasil, um país que propicia que cristãos, muçulmanos e judeus convivam bem. É preocupante que essa paz possa ser ameaçada pela importação de conflitos que não são nossos”. Fonte: Veja.

Canadá <<>> E.E.U.U <<>> BRASIL <<>>> NO! CONSTITUIYENTE NO + DICTADURA <<>> MADURO RENUNCIA






RENATO SANTOS 27/07/2017 Canadá solicitó hoy al Gobierno venezolano la cancelación de la votación para la formación de una Asamblea Constituyente, al considerarla “contraria a la Constitución de Venezuela” y expresó su apoyo a las sanciones adoptadas este miércoles por EE.UU. contra la Administración de Nicolás Maduro.



La ministra canadiense de Asuntos Exteriores, Chrystia Freeland, señaló en un comunicado que “Canadá reitera sus graves preocupaciones con las intenciones del presidente Nicolás Maduro de establecer una Asamblea Constituyente el 30 de julio”.
“El proceso para crear la Asamblea Constituyente es contrario a la Constitución de Venezuela y pretende usurpar los derechos democráticos de sus ciudadanos”, añadió Freeland.
La ministra canadiense solicitó al Gobierno venezolano “la cancelación de la Asamblea Constituyente y tomar acciones concretas, con la oposición, para restaurar el orden democrático”.
Canadá también expresó su apoyo al tercer informe sobre Venezuela emitido hoy por el secretario general de la Organización de Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, así como por las sanciones adoptadas por Washington contra “líderes del régimen”.
“Los individuos que están socavando la democracia y los derechos humanos en Venezuela, deberían ser responsabilizados por sus acciones”, declaró Freeland.
Fuente: EFE

Previdência Social<<>> Não Adianta ficar Nervosos com Advogados <<>> Pelo Sono Profano do Congresso 180.,2 mil auxílios- doenças foram Cancelados








RENATO SANTOS 27/07/2017  É  vai  ter  advogados especializados  no INSS que  vai  colocar  suas  " barbas"  de molho, e  começar a pensar  se ainda  vale  a pena trabalhar nessa  área, haverá  muitas  cobranças  por  parte  de seus clientes previdenciários, muitos  só querem ter os direitos e não os deveres, é  uma das aéreas  na  advocatícia que  não agrada ninguém, isso quando  não  tem  os picaretas que  sabem  do resultados  mas mesmo  assim  continuam  no  erro.



Após 200  mil  perícias e anos  para  a  respostas  pra quem necessita realmente  dos benefícios do INSS, agora  vem  uma resposta  que  deixará  muitos  revoltados, mas,  a  culpa  não  é do advogado  que  trabalha e se  empenha nessa  tarefa, e sim de quem fazem as Leis, nesse caso  os  Deputados e Senadores.

Levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) aponta que, após realizar 200 mil perícias, o governo decidiu cancelar 180 mil auxílios-doença. Com isso, diz a pasta, será possível economizar R$ 2,6 bilhões por ano.
O resultado, abrange os cancelamentos até 14 de julho. O pente-fino do ministério focou naqueles beneficiários que há mais de dois anos não passavam por revisão no INSS, o que é obrigatório.
Previsto em lei, o auxílio-doença estabelece o repasse de dinheiro ao segurado do INSS que, por uma doença ou acidente, fica temporariamente incapaz de trabalhar. Para receber os recursos, a pessoa precisa apresentar laudo médico e passar por revisão.
O pente-fino nos benefícios pagos pelo INSS, previsto em medida provisória, começou em 2016, mas foi suspenso porque o Congresso não aprovou a MP a tempo. O governo, então, editou uma nova MP, e a revisão foi retomada no início deste ano.
Pente-fino no auxílio-doença
Total de perícias até 14 de julho199.981
Benefícios cortados no período180.268
Meta de revisão do governo530.191
Auxílios-doença pagos em julho
1.306.710
Perícias
 De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, foram pagos em julho 1,3 milhão auxílios-doença e o objetivo é revisar 530,1 mil.
Até o último dia 14 de julho, diz o governo, foram feitas 199,9 mil perícias e, segundo o secretário-executivo do MDS, Alberto Beltrame, a meta é concluir o pente-fino até setembro deste ano.
Dos 180,2 mil auxílios-doença cancelados: 
  • 159.964 foram cortados após perícia
  • 20.304 foram cancelados em razão do não agendamento ou não comparecimento do beneficiário ao exame
"Constatou-se que a pessoa já tinha recuperado condições de voltar ao trabalho, ou seja, não persistia a incapacidade que deu motivo ao benefício, lembrando que recebê-lo nesta condição é indevido e causa prejuízo aos contribuintes", disse Beltrame .
"Nenhum benefício será cancelado sem que o trabalhador esteja apto ao trabalho, nenhuma injustiça será cometida", acrescentou o secretário.
Economia
O secretário-executivo do MDS destacou também que, com o pente-fino, será possível economizar R$ 2,6 bilhões por ano, de maneira "consolidada e permanente".
Em seguida, Beltrama Beltrame acrescentou que também haverá revisão nas aposentadorias por invalidez e a expectativa do governo é economizar, ao todo, cerca de R$ 10 bilhões por ano.
Aposentadoria por invalidez
 Após o pente-fino no auxílio-doença, o INSS revisará as aposentadorias por invalidez, possivelmente a partir de agosto.
Pente-fino nas aposentadorias por invalidez
Aposentadorias por invalidez pagas em julho 3.477.468
Meta de revisão do governo1.004.886
Beltrame explicou que o INSS vai usar na aposentadoria por invalidez o mesmo modelo do auxílio-doença para convocar as pessoas que precisam ser examinadas pelos peritos. Elas receberão carta com aviso de recebimento. Depois de notificadas, terão cinco dias úteis para ligar no 135 e agendar a perícia.
O pente-fino nas aposentadorias por invalidez será realizado em quem tem menos de 60 anos e está há dois anos ou mais sem passar por perícia.
Ficarão de fora da medida os maiores de 60 anos e quem tem 55 anos e já recebe o benefício há pelo menos 15 anos.

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog