GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

Meus Ouvidos Não São Penicos<<>> Moradores de Curitiba Já Estão Ficando Sem Paciência Com celebro sem noção







RENATO SANTOS  11/04/2018  A  situação de Curitiba  é  assustador, os moradores  já estão perdendo a  paciência, é melhor  o pessoal ter um bom senso  e  para  de  idolatrar uma pessoa  que  não  vale nada  diante  dos  olhos da  opinião publica.  Sabem  aquele  ditado meu ouvido  não  é um pinico, todos  conhecem, agora  imagina um bando de loucos  gritando  dia  e  noite.




Um tipo peculiar de penico, o Bourdaloue, foi elaborado especificamente para o uso das damas. O formato retangular ou oval alongado do vaso, às vezes com a parte dianteira alta, possibilitava que a mulher urinasse de pé ou agachada sem grande risco de errar o alvo, o que também ajudava na redução da quantidade de roupa para lavar.
O nome "Bourdaloue" supostamente vem de um famoso padre católico francês, Louis Bourdaloue (1632—1704), que fazia sermões tão longos que as damas da aristocracia que o ouviam colocavam tais vasos discretamente sob suas roupas para que pudessem urinar sem ter de sair do lugar. Todavia, isto muito provavelmente é só uma lenda.

Reportagem  Tribuna do Paraná 

Já  que  a noite  esses  manifestantes  não respeitam  ninguém  que tal  fazer  uma doação de  pinico  pra  eles, já escrito  "  aqui  é  vosso  lugar".  Não  em CURITIBA.

Fazer abaixo assinado  é  um,  bom  começo, mas ele não entendem, são  cegos  e  é aprova  que  o  comunismo  transformou  seus  cérebros  em nada,  eles  só  vão entender com uma  coisa  o pinico.

A gente tem que dar satisfação para poder entrar em nossas próprias casas. Estamos presos e desesperados mesmo, sem saber o que fazer”, desabafou Silmara Gomes Oliveira, 50 anos, nesta terça-feira (10). A mulher, que mora há 48 anos na Rua Guilherme Mater, no Santa Cândida, reclama da presença dos manifestantes contrários à prisão do ex-presidente Lula, que estão acampados no entorno da Polícia Federal (PF).


Além das barracas, que foram colocadas no meio da rua e também nos gramados das casas, há um grande movimento de pessoas circulando, carros de som, vendedores e também os ônibus parados. “Sem contar o cheiro ruim. A gente já até começou a sofrer com infestação de ratos dentro de casa, coisa que nunca teve”, desabafou Bárbara Weingartner, de 21, que nasceu no bairro.Assim como Silmara, os moradores das ruas que foram ocupadas estão na bronca com a presença dos militantes. Desde domingo (8), os organizadores do Movimento Sem Terra (MST) afirmam que vários ônibus chegaram e aproximadamente mil pessoas já estão nos arredores, todas acampadas.

Bárbara contou que as pessoas estão fazendo as necessidades na rua, na frente de casa, sem pudor algum. “A situação está caótica. Barulho alto o tempo todo, violão, tambor, algazarra. Não podemos receber gente em casa, receber encomenda. Está impossível, você tem medo de entrar em casa, eles estão sempre nos encarando”, disse.
Os moradores contaram à Tribuna do Paraná que não têm conseguido entrar ou sair de casa com tranquilidade. “A gente tem que pedir pra entrar em casa, já viu isso? Sem contar a baderna de madrugada, a bagunça que se formou na rua e a nossa paz, que simplesmente acabou”, comentou Vivian Comin, 41 anos, que trabalha numa seguradora no mesmo terreno da casa do avô, que tem 90 anos e vive ali há mais de 50.

As três moradoras pediram solução à Polícia Federal. Foto: Tribuna do Paraná.
As três moradoras pediram solução à Polícia Federal. Foto: Tribuna do Paraná.
Nesta terça-feira, as três moradoras se uniram e foram até o prédio da PF para pedir que alguma coisa fosse feita. “Nos disseram que nós precisamos esperar até, pelo menos, quinta-feira (12), para definirem o que vai acontecer. Pode ser que saiam daqui ainda nessa semana, mas enquanto isso nós continuamos totalmente fora da nossa rotina e ninguém aqui merece o que estamos passando”, contou Silmara.
As moradoras foram orientadas, por uma equipe da Polícia Federal, a registrar um boletim de ocorrência com a Polícia Civil, porque sentem medo de represálias. “Claro que, por termos enfrentado, nós seremos alvos. Por isso que estamos pedindo proteção, porque eles nos ameaçaram”.
Silmara disse que até um repórter foi hostilizado e teve que apagar o material que gravou. “Fui entrevistada e desabafei. Vieram várias pessoas para cima e eu perguntei se eles iam me bater. Botaram o repórter para correr e obrigaram que ele apagasse o que registrou. Estou com medo, tem gente barra pesada aí”, contou.
Outro morador, que vive na região há 32 anos, e que pediu para não ser identificado, já procurou o Ministério Público do Paraná (MP-PR), pediu ajuda à Polícia Militar (PM), mas foi informado que nada ainda pode ser feito. “Me disseram que não podem fazer nada. Enquanto isso, esse povo está acabando com nosso bairro, que sempre foi tranquilo. Os organizadores dizem que vai aumentar a quantidade de gente, e aí o que nós vamos fazer?”.

Além de ter que dar satisfação para conseguir entrar em casa, o homem contou que os moradores estão sem os serviços básicos. “O lixo não estão recolhendo, por exemplo. Se fosse no Batel, não teria nem começado um negócio desse na rua, mas como é Santa Cândida, deixaram tudo do jeito que está. E cada vez piora, alguém precisa dar um jeito”
.

O homem contou que foi dormir às 3h, porque o barulho na rua impedia. “Tinha rodada de samba no meio da rua. Minha mãe, que tem pressão alta, está muito mal e tenho medo que ela não aguente. O que mais tem aqui é gente idosa, nisso as pessoas não pensam. Já ouvimos até papo de que vão invadir casas”.

Abaixo assinado

Os moradores estão se organizando para fazer um abaixo assinado e pedir uma solução para o que julgam já ser um problema. “Nós estamos reunidos e vamos ter que cobrar das autoridades que nos ajudem, porque o problema da prisão de Lula não é nosso. Se ele merece ou não estar preso, também não nos diz respeito, o que nós não queremos é que as pessoas continuem acampadas em frente à minha casa”, explicou o homem.
Aos arredores do acampamento, jornalistas comentaram que, ao contrário do que os moradores entrevistados pela Tribuna do Paraná disseram, alguns moradores estão a favor dos manifestantes. À reportagem, um dos integrantes do movimento disse que as pessoas estão realmente divididas e que, apesar de muita gente ser contrária, em algumas residências a população já até abriu as portas para banho e outras coisas como recarregar o celular. Apesar disso, nenhum morador foi encontrado pela equipe de reportagem para comentar o assunto.
Representantes do Partido dos Trabalhadores (PT) foram procurados, para se posicionarem sobre as reclamações, porém, não retornaram. Até foi dito à Tribuna do Paraná, no local do acampamento, que havia uma nota sobre o assunto, mas até o fechamento da reportagem este posicionamento não chegou.

Seja Bem Vindo <<>> A Gazeta Central tem a honra de Apresentar o seu Mais Novo Colunista Doutor Gandra Martins <<>> Tema Harmonia e Independência De Poderes








RENATO SANTOS  11/04/2018   A  Gazeta Central (  blog)  entrou  em contato  com  Advogado Gandra  Martins, para  participar  com seus  conhecimentos  no mundo  jurídico  afim de conhecer  a  sua  experiência  para  leitores  do blog, trazendo  para  nós  uma  abertura  de conhecimento , é  com muita  honra  que teremos  esse  grande Jurista .  

foto  da página  Advocacia  Gandra Martins 

Vamos  apresentar  o mais  novo  colunista do  blog, doutor Gandra, o seu perfil, A Advocacia Gandra Martins é uma banca de advogados constituída em 1987, a partir de um núcleo de quatro profissionais que já vinha atuando em conjunto desde a década de 70. 


Ao longo do tempo, outros profissionais foram ingressando na sociedade, que hoje tem atuação na área consultiva, nos ramos do direito Constitucional, Tributário, Administrativo, Econômico e Societário e, na área contenciosa, especialmente em questões que envolvam matéria tributária, nas esferas administrativa e judicial. 


Exerce, ainda, de forma intensa e especial, atuação junto ao Supremo Tribunal Federal, no patrocínio de ações no âmbito do controle concentrado de constitucionalidade, para entidades públicas e privadas.

Todos os seus integrantes, além da dedicação prioritária à advocacia, desempenham, ainda, funções acadêmicas, institucionais, em entidades representativas de diversos setores da sociedade, e mantém produção jurídico-doutrinária, mediante a publicação de livros e artigos para revistas especializadas.
Nada obstante incorporando os recursos da moderna tecnologia para propiciar a sua clientela atendimento ao nível das exigências do momento atual, esta banca de advogados mantém-se fiel ao perfil tradicional da advocacia, fundado no atendimento personalizado ao cliente, na orientação segura, à luz do ordenamento jurídico –como, aliás, exige a relação de confiança subjacente ao exercido desse mister- e nos valores enunciados no Decálogo do Advogado, de autoria de seu fundador o advogado Ives Gandra da Silva Martins.


Já  de primeira  leitura  ele já  escreveu  na Folha de  São Paulo dia  05 de abril  de 2018, e  o  blog  já  tem autorização  via  
e mail  dr.renatosantos@gmail.com,  damos  boas  vindas  ao  doutor Gandra obrigado  ass, editor  Renato  Santos  as  18:07.

O  Tema  de  hoje  será Harmonia  e  Independência  dos Poderes. HARMONIA E INDEPENDÊNCIA DE PODERES (Jornal Folha de S. Paulo – 05/04/2018 – Tendências e Debates) IVES GANDRA DA SILVA MARTINS Presidente do Colégio dos Ex-Presidentes do IASP- INSTITUTO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO. e JOSE HORACIO HALFELD REZENDE RIBEIRO Presidente do IASP. 


A profunda crise que o Brasil atravessa colocou todos os holofotes sobre o Poder Judiciário. Esse movimento, impulsionado pela imprensa livre e pela liberdade de expressão dos cidadãos, aponta para o mesmo caminho indicado pela Constituição Federal, como princípio fundamental em seu art. 2º, de que “são Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. ” A ordem estabelecida não é aleatória, sendo o Judiciário, verdadeiramente, a derradeira e necessária instância de proteção da sociedade em uma democracia. 


Portanto, não é por acaso, que o Poder Judiciário emite decisões exclusivamente jurídicas, apesar de inegáveis consequências políticas, o que nos conduz para a falsa e perigosa tentação de fazer “justiça” ao invés de aplicar o direito. Sempre que o Poder Judiciário se distanciar do direito, todos nós perderemos nossa rota em busca da segurança jurídica e de uma sociedade menos desigual. 


No Brasil, o direito é resultado de um ordenamento jurídico posto, leis escritas pelo Poder Legislativo que traduzem a vontade do Povo que elegeu seus representantes para essa finalidade, em especial, para a Assembleia Nacional Constituinte que promulgou a Constituição Federal, adotando o regime federativo e estabelecendo competências claras para cada Poder exercer a sua função rigorosamente delimitada. Ora, a invasão de competências perpetradas por Poderes da República, nas atribuições de outros Poderes é, portanto, fato indesejável e gravíssimo. 


O Legislativo não governa, o Executivo não julga e o Judiciário não legisla, pois assim ficou estabelecido na Carta da República. 


A fim de garantir que harmonia e independência sejam asseguradas, o constituinte tornou o Supremo Tribunal Federal o guardião da Constituição, mas proibiu-o de legislar, como se pode ler no artigo 103, § 2º da CF, pois, nem nas ações de inconstitucionalidade por omissão, pode a Máxima Corte substituir o Congresso Nacional. 


Por ser um Poder técnico, os membros do STF são escolhidos por um homem só, o Presidente da República, e não por 140 milhões de eleitores. O STF é, assim, um legislador negativo, ou seja, não dá curso a leis inconstitucionais. 


Por outro lado, o Poder Legislativo não pode tolerar qualquer invasão em sua competência normativa, praticada pelos Poderes Judiciário ou Executivo, com base no inciso XI do artigo 49, pois deve zelar para que suas atribuições legislativas sejam apenas por ele exercidas. 


Nem mesmo a inegável e aguda crise de legitimidade que recai sobre o Legislativo, e que evidentemente precisa ser solucionada, poderia justificar a usurpação da competência constitucional de tal Poder. 


O Poder Executivo, fora as hipóteses dos artigos 62 e 68 da CF (Medida Provisória e Lei Delegada), não pode assumir competência normativa. Urge que sejam, pois, evitadas tais invasões indesejadas e indevidas, que geram o conflito entre Poderes da República, a fim de afastar consequências nefastas que deles podem advir para repor a lei e a ordem, ainda que no estrito âmbito das previsões constitucionais. 


A insatisfação com os rumos do País não autoriza o descumprimento da Lei e da Constituição Federal, tampouco autoriza definir novas regras a não ser pelo processo legislativo articulado pelos representantes eleitos pelo Povo. Devemos, pois, ouvir o verdadeiro apelo popular que clama por segurança jurídica e respeito à Lei, porque enfraquecer as Instituições da República e seus membros é um desserviço para a sociedade brasileira que somente poderá retomar o seu rumo com os Poderes da República independentes e harmônicos entre si, com o que sairia fortalecida a Democracia. 


Assinam também o presente os ex-Presidentes do IASP: EDUARDO CARVALHO TESS, RUI CELSO REALI FRAGOSO, MARIA ODETE DUQUE BERTASI e IVETTE SENISE FERREIRA. 

A Missa no ABC Foi Uma Afronta Contra a Igreja Católica<<>> Lula queria ser adorado como " deus" Assim como seu colega Hugo Chaves na Venezuela <<>> Arquidiocese da São Paulo Reagiu <<>> Pedimos a Curia da Igreja Católica Expulsem os Hereges







RENATO SANTOS  11/04/2018   Uma  das maires  ofensas  contra  a Igreja  Católica Brasileira  foi  a palhaçada  de  circo  feita  na Sede  do sindicato dos Metalúrgicos de São Bernado do Campo, a qual precisa  ser  repudiada  pelos  Católicos que defendem a  sua  fé. 

Os  envolvidos  religiosos deveriam ser  expulsos  e proibidos de  fazer  qualquer  missa  em nome da  Instituição, isso  coloca  a imagem da Igreja  numa linha  de cruzamento perigoso  entre católicos  e  comunistas.



Foi  uma aberração  no mundo  religioso,  uma  falta de respeito, um  escárnio para  nossa  fé, repudiaram  todas as Ordenanças Eclesiásticos  já defendida  pelos  País da Fé  Católica.  

Além de  colocar  uma heresia dentro da Instituição  só faltava  falar  que Lula  era santo, e todos  dobrarem seus  joelho  os saldando, quem fazia  isso  era  NERO , o imperador de ROMA  que  queria a sua  gloria.

Será  que lula  chegou a ponto de ser 'HUGO CHAVES",  sim,  sem  sombras de dúvidas, é  o seu sonho ser adorado. vejamos  o que NICOLAS MADURO  ditador  safado  fez na VENEZUELA .

Lula  queria  ser  "  adorado "  como qualquer  coisa, foi assim na VENEZUELA,  ele  tentou criar  sua religião  lulismo, assim como  chavismo. Por que ?  É  simples:

"Chávez nosso que estás no céu, na terra, no mar e em nós, os delegados", rezava María Estrella Uribe, delegada do Congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).
Vestida com camisa vermelha, a delegada pelo estado de Táchira proferiu a oração, inspirada pelo Pai Nosso da Igreja Católica, e foi ovacionada em um seminário do partido.
"Não nos deixe cair na tentação do capitalismo, mas livra-nos do mal da oligarquia, do crime de contrabando", termina o Chávez Nosso.
A reza imediatamente provocou uma polêmica nas redes sociais.
Ela é a mais recente estratégia dentro de um processo de "beatificação civil" de Chávez, por meio do qual seus herdeiros procuram converter o falecido presidente em uma figura que domine a dinâmica política da Venezuela como um deus inquestionável.
Enquanto isso, na Terra, seus devotos defendem seu legado dos assédios do mal (a oligarquia, o Império, o contrabando).

Fé no socialismo

Hugo Chávez chegou aos santuários sincretistas populares da Venezuela muitos anos antes de sua morte. Figuras suas de gesso ou de plástico para veneração há muito são vendidas em lojas esotéricas ao lado de Simon Bolívar ou Negro Primeiro, outros civis da coleção de "santos" venezuelanos.
Durante o enterro do presidente, em março de 2013, uma senhora chorosa abraçava uma dessas figuras de Chávez vestido com roupa camuflada de paraquedista e boina vermelha e dizia, com a voz embargada:
"É mentira, ele não morreu, está vivo em meu coração e vai continuar a olhar por nós do céu, como fez a partir de Miraflores", disse, em referência ao palácio presidencial venezuelano.

Direito de imagemREUTERS
Image captionVeneração por presidente começou antes de sua morte

Em pouco mais de um ano, o chavismo tem procurado se tornar, além de proposta política, em uma espécie de plataforma quase religiosa em que se milita com a fé socialista.
A adoração ganhou força depois que Chávez foi declarado "líder supremo" durante seu funeral, em março de 2013, e fotos gigantes a cores do ex-líder invadiram espaços públicos que rivalizam com as representações tradicionais de Simón Bolívar.
No discurso do presidente Nicolas Maduro e de seus ministros, onde antes havia referências a Bolívar, hoje aparecem citações a Chávez, que desalojou o Pai da Nação na retórica oficial.
Até sua obra leva sua assinatura, como se vê nas laterais de prédios de apartamentos de baixo custo que começaram a ser construídos no final de seu mandato.
A mesma assinatura pode ser tatuada na pele. E são muitos os que querem ter o próprio comandante consigo, porque ainda acreditam nele e no seu poder benéfico mesmo depois da morte.

Direito de imagemAFP
Image captionUm ano após morte, seguidoras seguem tendo fé em ex-presidente

Poucas semanas depois do falecimento de Chávez, uma série de desenhos animados transmitidos pela televisão oficial venezuelana mostrou a ascensão do ex-presidente a um paraíso socialista, onde foi recebido por Bolívar, Che Guevara, o chileno Salvador Allende, a argentina Eva Perón e outros notáveis santos da esquerda latino-americana.

Passarinho

Quando, em março de 2013, o então presidente em exercício Nicolas Maduro disse que viu seu chefe na forma de "um passarinho", a primeira reação foi de incredulidade. Depois, Maduro foi ridicularizado pela oposição.
Porém, para muitos dos milhões de seguidores de Chávez, o "passarinho" era portador da mensagem sobre a necessidade de completar o trabalho inacabado do líder morto e de apoiar Maduro, seu abençoado, na eleição daquele abril.
Não significa que todos os chavistas militem em crenças esotéricas, tenham em casa um altar sincretista onde rezem pelo ex-militar ou que sigam dogmas políticos mágico-religiosos na hora de votar. Na verdade, entre as eleições de outubro de 2012, que Chávez venceu, e nas de abril, que Maduro venceu por um triz, houve inclusive um abandono significativo do voto chavista.

Image captionComo um 'Big Brother', olhos de Chávez estão por toda parte

Ainda assim, entre as classes populares, onde está a maioria da base política do chavismo, são muitos os que acreditam que os "milagres" que lhes melhoraram a vida - os programas sociais que ajudaram a mitigar a pobreza venezuelana - podem seguir a partir do Além.
Pode haver uma estratégia de controle político entre os militantes do PSUV ao promover este processo de beatificação de Chávez. Mas do ponto de vista dos seguidores bolivarianos, confirmar que o líder foi e sempre será Chávez é uma forma de lembrar os que assumiram o governo de sua responsabilidade com o projeto original.
No fim, Chávez não é só santo, mas uma espécie de Big Brother que tudo vê, com seus olhos desenhados nas paredes do país, que parecem dizer: "Continuarei vigiando vocês para todo o sempre".

A  arquidiocese   de  São  Paulo reagiu imediatamente.
A arquidiocese de São Paulo divulgou uma nota sobre o showmício de Lula ontem em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, chamado de missa pelos petistas.
Dom Odilo Scherer, esclareceu:
“1. Não se tratou de Missa, mas de um ato ecumênico;
2. Foi iniciativa pessoal de quem promoveu o ato;
3. Não houve participação da CNBB nem da arquidiocese de São Paulo;
4. O ato aconteceu fora da jurisdição e responsabilidade do arcebispo e da arquidiocese de São Paulo.”
Dom Odilo disse, ainda, que “lamenta a instrumentalização política do ato religioso”.






Quarta Feira quente no STF <<>> Você já ouviu falar em " carona judicial?" Não saiba como é isso e como evita-la ?<<>> STF não coloca esse País no fogo<<>> O Caso do Lula não é o mesmo de Maluf e Palocci <<>> Maluf esta de Acordo com os Médicos Trombose Venosa Saiba o que é <<>>






RENATO  SANTOS  11/04/2018   Muitos  estão  digamos  "  preocupados"  com a decisão  do Ministro  Marco  Aurélio , mas, esquecem  que o julgamento  de hoje  vai  para  o plenário, então a preocupação  se estende  a  todos  os Ministros  da  Suprema  Corte. 



Pela  simples  razão o que  chamamos  de artimanhas jurídicas,  isso  é atitudes  manhosa,  que  pode  ser perigoso  no momento  que  o Brasil  vive.  

A defesa  do ex presidente  espera  exatamente  isso, para  libertar  seu  réu e  autor  dos crimes  imputados  a  ele, isso  é  "  pegar  carona|",  nas decisões  do STF, um mundo de esperteza, a  qual  se  for  concedido a  Inconstitucionalidade da  prisão na  2.ª  Instância irá mostrar  diante da  Nação a Traição dos Ministros. 

No mundo Jurídico, embutida  no caso de  Maluf  a  esperteza  de  pegar  uma  carona  pode  colocar  Lula  em liberdade, aparentemente  aos  olhos  normais  não tem nada  haver,  mas,  ao  olhar  crítico  tem sim  e é perigoso.

O  PERIGO  DA  "  CARONA" 

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga nesta quarta-feira os pedidos de habeas corpus do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) e do ex-ministro Antonio Palocci. 

O ministro Marco Aurélio Mello também pretendia levar a julgamento hoje o pedido do PEN para que fiquem suspensas a possibilidade de prisão de condenados após decisão na segunda instância do Judiciário. 

ELE  ACEITOU  O PEDIDO  DO PEN  POR  CINCO DIAS
No entanto, o ministro adiou a análise do caso em pelo menos uma semana após atender pedido do autor da ação, que trocou de advogados e requereu o adiamento para que os novos defensores possam conhecer melhor o processo.
O  CASO  DO MALUF ESPERAMOS QUE MANTENHAM A  DECISÃO DE MALUF  PRESO NA PRISÃO, ELE PODE  FAZER EXERCÍCIOS NA CADEIA   ACOMPANHADO DE  FISIOTERAPEUTA 
Maluf está atualmente em prisão domiciliar por determinação do ministro Dias Toffoli. Agora, o plenário vai definir se mantém ou revoga essa decisão. Já a ação penal que levou à condenação e prisão de Maluf é relatada pelo ministro Edson Fachin, que vinha negando recursos da defesa. 

Como as decisões dos dois ministros eram divergentes, o plenário terá a oportunidade de dar um ponto final à questão.

DIAS  TOFFOLI  JOGA  SUJO  EM SUAS DECISÕES  CUIDADO  COM ELE, PRECISA MUDAR ESSE  "  QUADRO"  ESTA PEGANDO  MAL.
Na quarta-feira da semana passada, ao atender o pedido da defesa, Toffoli destacou que não é praxe revogar decisões de outros ministros, mas ressaltou que, nesse caso, seria perigoso demorar em tomar uma decisão, em razão dos problemas de saúde do deputado afastado.
Alvo da Lava-Jato, Palocci está preso em Curitiba desde setembro de 2016. O habeas corpus dele até poderia ter sido julgado antes pelo plenário do STF, mas, em novembro do ano passado, a própria defesa pediu a retirada do caso até a volta do ministro Ricardo Lewandowski, que estava de licença médica. 

CUIDADO  COM LEWANDOWSKI  JÁ ESTA  CARACTERIZADO  O LADO  DA FORÇA NEGRA 
Lewandowski já voltou e os advogados de Palocci fizeram em 2018 vários pedidos para que o habeas corpus seja julgado logo, o que ainda não ocorreu. 

Também reclamou que o habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, rejeitado na última quarta-feira, furou a fila do plenário do STF.

EDSON FACHIN PODERÁ QUEBRAR  COM  OS SONHOS  DOS PETITAS 
Em despacho no mês passado, o ministro Edson Fachin, que relata os dois habeas corpus de Lula e Palocci no STF, decidiu que esperaria a conclusão do julgamento do pedido do ex-presidente para analisar a solicitação da defesa do ex-ministro. 

Na quinta-feira, terminado o julgamento de Lula, os advogados de Palocci voltaram a insistir no julgamento do habeas corpus.

Mais  uma  "  jogada"  de Maluf  diante  de tantas  que ele  já  fez, "  trombose "  e pesquisamos  no site vascular.pro, o que  é?  e sua  consequência.

TROMBOSE DE MALUF  O QUE É ?

A você paciente, nossos cumprimentos. Se está lendo este pequeno texto, isto significa que está interessado na sua saúde. Para se aprofundar no assunto ou avaliar a sua situação, passe em consulta com um cirurgião vascular.

A palavra trombose, que tanto nos assusta, significa a coagulação, uma espécie de solidificação do sangue dentro dos vasos sanguíneos. Ocorre a formação de coágulos de forma indiscriminada dentro dos vasos. Então, a trombose é a oclusão de uma artéria ou veia por causa de um coágulo que não deveria ter ocorrido e acaba impedindo a corrente sanguinea. Muitas pessoas confundem a trombose venosa com a arterial, ou seja, aquela que ocorre nos vasos responsáveis pela condução do sangue para nutrir as extremidades. Não é. A trombose venosa ocorre nos vasos sanguíneos responsáveis pelo retorno do sangue ao coração e pulmões, depois de passar pelos tecidos de nosso corpo. Ao contrario da trombose nas artérias, a trombose venosa raramente é causa de amputação, ainda assim, está longe de ser doença benigna.

Complicações ligadas à trombose venosa:

Existem pelo menos duas complicações importantes, uma de curto prazo e outra de longo prazo ligadas a TVP. Na fase aguda (que dura alguns dias), pode ocorrer o deslocamento do trombo ou a formação de novo trombo a partir do local de formação (90% se inicia nas pernas) e este material viaja através do sistema venoso até causar a oclusão de um vaso no pulmão. Isto é chamado embolia pulmonar. Se a oclusão for múltipla ou em vasos pulmonares maiores, há risco de falência cardíaca, infarto pulmonar e até morte. Passada a fase aguda, o trombo na veia costuma se estabilizar e a chance de embolia pulmonar diminui drasticamente. Entretanto, se a trombose na perna não for tratada adequadamente, a dificuldade do retorno do sangue ao longo dos anos pode causar o represamento do sangue nessa perna e isso é a causa da segunda complicação, a chamada síndrome pós trombótica. Esta é caracterizada pelo inchaço crônico, sensação de peso ou dor de forma geral, escurecimento das pernas e, nos estágios mais graves, a abertura de feridas geralmente próximas aos tornozelos. Podendo demorar meses ou até mesmo anos para cicatrizar, essa síndrome é fonte considerável de sofrimento ao portador.

Qual a origem da TVP?

A TVP pode ocorrer sem um motivo aparente, mas a maioria (7 em cada 10) pode ser relacionada a algum fator de risco como:
  • Cirurgia recente, em especial as prolongadas, ortopédicas, por câncer e em pacientes acima de 40 anos
  • Traumatismos, principalmente associado a fratura
  • Outro fator de risco é o Câncer em atividade
  • É importante também a Imobilização prolongada (ficar muito tempo sentada, no leito)
  • (link is external)
  • Trombose venosa prévia
  • (link is external)
     no último trimestre, e logo após o parto
  • Familiares (pais e irmãos) com TVP sem causa identificada
  • E a hospitalização. A TVP é uma das principais causas de mortalidade – não ligada à doença primária da internação durante a hospitalização – que é passível de prevenção
Alguns fatores são mais importantes do que outros, como as trombofilias, por exemplo.

Quais são os sintomas da TVP?

Um aspecto difícil com relação a esta doença é o fato de metade dos casos não apresentarem sintomas. Por outro lado, quando estes existem, em especial na presença de fatores de risco, devem ser valorizados. Dor em peso ou aperto associado ao inchaço em apenas uma das extremidades – que pode ser superior (braços), mas 90% dos casos envolvem os inferiores (pernas) – devem chamar a atenção para a possibilidade de TVP. Inchaços em ambos os lados sugerem outras causas, frequentemente sistêmicas como insuficiência cardíaca, renal, hepática, alterações da tireóide e outras.

Como se trata a TVP?

A TVP, quando diagnosticada e tratada precocemente, geralmente evolui bem, bastando o uso de medicamentos anticoagulantes, que atualmente podem ser administrados por via injetável e/ou por via oral. O uso destes anticoagulantes diminui a chance das complicações como embolia pulmonar e síndrome pós trombótica, ou ao menos minimiza seu impacto. O tempo de tratamento pode variar de poucas semanas até indefinidamente dependendo de sua origem, e pode envolver mais do que um tipo de medicação ao longe desse tempo.
Com relação a viagens, a chance exata de desenvolver trombose não está bem estabelecida. Sabemos que não é muito frequente, mas os portadores dos fatores de risco e, particularmente, em viagens aéreas de longa duração devem receber atenção especial. Beber agua em abundância, movimentar-se de hora em hora e, eventualmente, utilizar meias de compressão são medidas interessantes e suficientes para a maioria dos viajantes.
O exercício físico e a movimentação deve ser liberada pelo seu cirurgião vascular, mas, exceto poucos casos bem específicos, provavelmente será autorizado.

Dica:

Se você tem dúvidas sobre a prevenção, diagnóstico ou tratamento de trombose, converse com seu cirurgião vascular. Ele é o especialista que tem conhecimento sobre as melhores técnicas de investigação, prevenção e tratamento podendo, em conjunto com o paciente, definir a melhor forma de controlar esse problema.

Se  tratando  do STF, caso  venham  colocar  em pauta a votação  hoje  do caso  Lula, eles  estarão assinando  um documento de traição a Nação, para  que  isso  não ocorra  o plenário  não  pode aceitar  essas  argumentações  de  "  carona"  nas decisões  judiciais, é  que  todos  nós  brasileiros  esperamos , inclusive  mantenha  lula  preso, pois  há outros  processos  criminais  a caminho.

2ª Turma do STF determina retorno de Sérgio Cabral para presídio de Benfica, no Rio de Janeiro







RENATO SANTOS  11/04/2018    Sabe aquele  ditado  popular   "  o  bom filho  vota a casa", poderá ser aplicado  ao ex  governador  do Rio,  Sergio  Cabral.

  


A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o retorno do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral para a Unidade Prisional de Benfica, na capital fluminense, de onde foi transferido, em janeiro deste ano, para o Complexo Penitenciário de Pinhais (PR) por decisão conjunta dos juízes da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro e da 13ª Vara Federal de Curitiba. De acordo com os ministros, além de não atender ao interesse processual, a decisão desrespeitou o direto ao contraditório e à ampla defesa. A decisão foi tomada na sessão desta terça-feira (10), no julgamento do Habeas Corpus (HC) 152720.
O motivo da transferência foi um relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro que apontou que Cabral possuía, dentro do presídio, alimentos e objetos não permitidos, como aquecedor, chaleira e sanduicheira elétricos, colchões diferenciados e até uma televisão estilo home teather. Ainda conforme o relatório, o ex-governador recebia encomendas pessoalmente na porta de entrada da unidade e andava sempre com o que pareciam ser seguranças pessoais privados, sem qualquer controle em relação a visitantes e entrada e saída de itens e valores.
A defesa questionou, no Supremo, decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que negou liminar em HC apresentado naquela corte contra a transferência. Em sua sustentação oral durante o julgamento, o advogado do ex-governador salientou que a decisão foi tomada pelos juízes e executada sem que tivesse sido intimado. De acordo com ele, os defensores foram notificados da decisão após ser executada, o que impossibilitou o exercício da defesa.
Interesse do processo
Em seu voto, o relator do caso, ministro Gilmar Mendes, salientou que a transferência de Sérgio Cabral não atendeu aos interesses do processo. Inicialmente, Mendes frisou que o direito do preso à assistência da família é previsto na Constituição Federal e que a Lei de Execução Penal prevê o recolhimento do preso em local próximo ao seu meio social e familiar. Apenas razões excepcionais e devidamente fundamentadas autorizariam uma transferência para outra unidade, explicou o ministro.
No caso concreto, o relator observou que a transferência para o Paraná não faz sentido processual. Cabral foi condenado em uma ação penal em trâmite em Curitiba e há outras investigações naquele foro, mas ainda sem acusação formalizada. O interesse da instrução processual recomendaria, assim, sua permanência no Rio, onde responde a ações penais em fase de instrução, salientou Gilmar Mendes.
O ministro ressaltou ainda que a transferência teve amparo apenas nas palavras da acusação, que acabaram sendo tomadas como verdadeiras. A despeito de inexistir urgência, a defesa de Cabral não foi previamente ouvida, salientou, lembrando que o Código de Processo Penal prevê que, ressalvados os casos de urgência, os pedidos cautelares devem ser submetidos ao contraditório e à ampla defesa.
Algemas
Por fim, o ministro criticou as imagens televisivas que mostraram o ex-governador sendo conduzido com algemas nas mãos e nos pés durante a transferência, apesar de sua aparente passividade. 

Para o relator, o fato pode caracterizar até mesmo o crime de abuso de autoridade por afronta à Sumula Vinculante (SV) 11, que proíbe o uso de algemas. De acordo com Gilmar Mendes, não há notícia de que o fato esteja sendo investigado. Assim, votou no sentido de conceder o habeas corpus para determinar o imediato retorno de Sérgio Cabral ao presídio de Benfica e determinou, ainda, a instauração de investigação para apurar eventual abuso de autoridade, distribuída à sua relatoria.
Acompanharam o relator os ministros Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Em seu voto, o ministro Toffoli fez questão de ressaltar que o retorno do ex-governador ao Rio deve ser feito sem o uso de qualquer meio constrangedor.
Divergência
O ministro Edson Fachin foi o único a divergir do relator, por entender que a transferência, em certos casos, pode ser autorizada mesmo sem oitiva da defesa, como no caso concreto, em que o local em que o réu exerce influência pode representar risco para ele próprio.


O ministro Celso de Mello não estava presente à sessão.

HC 149734
Um pouco mais cedo, a Turma, dessa vez por unanimidade, concedeu o HC 149734 e confirmou liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes para reformar decisão do juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio que havia determinado a transferência do ex-governador Sérgio Cabral para presídio federal em Mato Grosso do Sul.
Essa decisão teria sido tomada em razão de menção feita pelo ex-governador à atividade profissional da família do juiz no ramo de bijuterias durante audiência de instrução e julgamento realizada no dia 23 de outubro de 2017. 

Nesse caso, entre outros argumentos, o ministro Gilmar Mendes lembrou que, antes dessa audiência, matérias jornalísticas deram notícia de que o pai do magistrado trabalhava no ramo. E, sobre esse ponto, lembrou que a Lei de Execução Penais permite que os presos se mantenham informados.
De acordo com o relator, a transferência para presídios federais é medida que só pode ser tomada em situações excepcionalíssimas, uma vez que se trata de medida mais gravosa ao preso.
MB/AD

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog