FINALMENTE O GOVERNO BRASILEIRO ACORDOU EM NOTA ITAMARATY CONDENOU O ASSASSINADO DO LIDER OPOSITOR DA VENEZUELA LUIS MANUEL DIAS E COBRA DE NICOLAS MADURO MAIS RESPONSABILIDADE EM SEUS ATOS

                                   wwww.gazetacentralblogspot.com.br
renato santos
27/11/2015
 
O  governo Brasileiro  finalmente acordou  pra   vida, tarde  é verdade  em  relação  ao assassinado  do líder da  oposição na VENEZUELA, mas,  mesmo  assim , não  foi  muito preciso em  suas declarações, precisamos  romper de vez  com NICOLAS MADURO, não podemos  mais  aceitar  calados  o que  NICOLAS  MADURO  esta  fazendo  com o País.
 
 
 
 
O governo brasileiro condenou, em nota divulgada nesta sexta-feira (27), o assassinato de Luis Manuel Díaz, opositor venezuelano dirigente do partido Ação Democrática (AD), ocorrido durante um comício na quarta.
A nota do Itamaraty também cobra que o governo de Nicolás Maduro mantenha a ordem durante o processo de eleições legislativas que acontece na Venezuela na próxima semana.
“Ao condenar com firmeza esse lamentável incidente, o governo brasileiro recorda que é da responsabilidade das autoridades venezuelanas zelar para que o processo eleitoral que culminará com as eleições no dia 6 de dezembro transcorra de forma limpa e pacífica, de modo a permitir que o povo venezuelano exerça com tranquilidade seu dever cívico e tenha plenamente respeitada sua vontade soberana.”
 
Díaz foi morto a tiros em um comício no Estado de Guárico, na região central da Venezuela. Ele era um dos líderes da coalizão de oposição Mesa de Unidade Democrática, e discursava ao lado de Lilian Tintori – mulher de um dos principais líderes da oposição, Leopoldo López, condenado a 14 anos de prisão.
Os tiros partiram de um carro que passou em alta velocidade.
Troca de acusações
O representante nacional da Ação Democrática, Henry Ramos, e Lilian Tintori atribuíram a culpa pelo assassinato ao Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), de Maduro, que negou veemente a acusação em um discurso nesta quinta-feira.
O governo da Venezuela criticou os Estados Unidos nesta sexta por ligar o assassinato de Díaz a iminente eleição que para a Assembleia Nacional, que os socialistas correm o risco de perder pela primeira vez em 16 anos.
 
Disse ainda que vai processar um líder da oposição por culpar o PSUV pela morte.
,A Ação Democrática é parte da coalizão opositora que, segundo pesquisas de intenção de voto, tem grande chance de conquistar a legislatura, o que seria um golpe duro no chavismo.
Maduro e outras figuras do governo disseram que investigações iniciais apontaram que a morte ocorreu por uma briga de gangues locais.
 
Eles acusaram a oposição de explorar o caso para desacreditar o PSUV aos olhos do mundo antes do pleito de 6 de dezembro.
A missão da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), que está na Venezuela para acompanhar o processo eleitoral, condenou o uso de violência nas eleições e cobrou a apuração dos fatos.
Na nota, o Itamaraty também cobra, ainda que em linguagem diplomática, a ação de Maduro contra a violência.
“O governo brasileiro confia em que o governo venezuelano atuará para coibir quaisquer atos de violência ou intimidação que possam colocar em dúvida a credibilidade do processo eleitoral em curso e a legitimidade dos resultados da votação.”

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog