GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

AGORA DO OUTRO LADO DO MUNDO Bolsas chinesas se recuperam após eliminação do ‘circuit breaker’

Os mercados de renda variável da China abriram ainda com muitas dúvidas nesta sexta-feira, mas cerca de uma hora depois já operavam com uma moderada tendência de alta, que se consolidou ao longo da sessão. Xangai fechou em alta de 1,97%, e Shenzhen, mais concentrada em papéis de empresas de tecnologia, 1,05%. 




Trata-se da última jornada mercantil de uma semana conturbada nos mercados chineses, protagonizada pelo fechamento antecipado dos pregões de segunda e quinta-feira, quando as quedas superaram 7%, acionando o mecanismo automático de interrupção de negócios conhecido como circuit breaker. As bruscas oscilações negativas no gigante asiático contagiaram dos demais mercados mundiais.

Nos últimos dias, Xangai e Shenzhen abriram com fortes altas, à vezes superiores a 3%, mas em poucos minutos voltavam ao terreno negativo. Era um sinal da indecisão e eventual pânico dos investidores em meio à incerteza que cercou os mercados acionários do país nesta semana, após numerosas alterações regulatórias e dados pouco alentadores a respeito da segunda economia mundial.
A Comissão Reguladora do Mercado de Valores da China (CRMV) tentou na quinta-feira, após uma sessão que durou apenas meia hora, acalmar os imprevisíveis pequenos investidores locais. 
Por um lado, apresentou uma nova norma que regulamenta a venda de títulos dos grandes acionistas, conselheiros e diretores de empresas de capital aberto. Por outro, decidiu eliminar o circuit breaker, que havia entrado em vigor justamente na segunda-feira, prevendo uma interrupção de 15 minutos nas Bolsas quando as oscilações chegassem a 5%, e a suspensão definitiva dos pregões quando passasse de 7%.
O objetivo do novo mecanismo era evitar a volatilidade tão característica das Bolsas. Mas o resultado, como admitiu nesta quinta-feira a agência reguladora, foi o oposto do esperado. “Após analisarmos suas vantagens e inconvenientes, atualmente os efeitos negativos são maiores que os positivos”, afirmou o porta-voz da CRMV em um comunicado. A notícia foi bem recebida por investidores e analistas, para quem o sistema aumentava a pressão sobre os operadores para venderem suas ações nos momentos de queda, de modo a evitar prejuízos ainda maiores.
Antes da abertura dos mercados, o Banco Popular da China (banco central) agiu para conter a contínua desvalorização da moeda chinesa, o yuan, frente ao dólar norte-americano, após oito jornadas de quedas consecutivas. O BC chinês estabeleceu a taxa de câmbio em 6,5636 yuans por dólar, um pouco mais forte que os 6,5646 da véspera.
O yuan não é livremente conversível nos mercados de divisas, pois seu valor depende da taxa de referência estabelecida pelo Banco Central chinês, e está sujeita a uma flutuação de no máximo 2% ao dia. Em agosto, uma mudança no cálculo dessa taxa (para adaptá-la a critérios menos arbitrários e levando em conta as cotações de dias anteriores, segundo o BC chinês) provocou uma desvalorização de 4% da divisa.
Nos últimos meses, sobretudo depois que a moeda chinesa foi aceita como moeda de reserva do Fundo Monetário Internacional, o yuan voltou a perder valor. Vários analistas especulam que a China poderia estar realizando uma desvalorização disfarçada, a fim de estimular as exportações, ao passo que as autoridades sustentam que a moeda sofre uma forte pressão para baixo, e que as flutuações decorrem da progressiva liberalização da taxa cambial.

SAÚDE ATENÇÃO Qual é a pressão arterial ideal? Mais baixa do que a que você tem Estudo conclui que os valores máximos recomendados devem diminuir ainda mais

"Quando um paciente me pergunta qual deve ser a pressão arterial ideal, sempre respondo: “Menor do que a de agora". O comentário do cardiologista Tim Chico, da Universidade de Sheffield (Reino Unido), resume a principal conclusão de uma meta-análise (estudo de estudos), publicada pela revista TheLancet, sobre os benefícios da redução desse indicador básico da medicina para a saúde cardiovascular.





No estudo conduzido por Kazem Rahimi, da Universidade de Oxford, foram revisados 123 trabalhos publicados entre 1966 e novembro de 2015. Esses estudos contaram com a participação de mais de 600.000 voluntários. 
Foram incluídas pessoas com todos os tipos de doença e várias medidas de pressão arterial, e a conclusão geral foi que reduzir a pressão em 10 milímetros de mercúrio significaria, de maneira geral, diminuir a mortalidade em 13%. Outras conclusões apontam que seria reduzido em 20% o risco de complicações cardiovasculares graves; em 17% as doenças cardíacas coronárias; em 27% o risco de infartos; e em 28% o risco de insuficiência cardíaca.
Essa meta-análise segue os recentes resultados publicados do estudo Sprint, afirma Almudena Castro, presidenta da Seção de Risco Cardiovascular da Sociedade Espanhola de Cardiologia, enfatizando que o valor científico de um estudo é sempre maior do que o de uma meta-análise. 
Essa pesquisa acompanhou 9.000 pessoas durante quatro anos, distribuídas em dois grupos: um buscava a redução da pressão máxima para menos de 14 (140 milímetros de mercúrio) e, o outro, para 12 milímetros. Os benefícios foram tão claros para aqueles que recebiam um tratamento para uma redução mais agressiva da pressão que, aos 3,26 anos, o estudo foi interrompido, e todos os pacientes foram transferidos ao grupo que busca o alvo mais rígido. "Com 12/8, há uma melhor sobrevida", diz Castro.
A pesquisa é importante porque questiona as recomendações assumidas por muitos médicos e pacientes para uma redução da pressão para 14/9, considerado o limite mais saudável. Há exceções, diz Castro, como em pessoas com insuficiência renal (que precisam de uma pressão arterial maior para que os rins funcionem bem) ou com insuficiência cardíaca (que precisam que a pressão mínima seja mais alta para que o coração receba sangue suficiente).
Essas duas características (problemas renais ou insuficiência cardíaca) fazem parte das nuances que se aplicam às conclusões do estudo. Proporcionam a oportunidade de medicar anti-hipertensivos a pessoas com valores iniciais desse indicador considerados seguros, caso o perfil geral de risco cardiovascular (que inclui fatores como idade, tabagismo, peso, níveis de atividade física, colesterol ou diabetes) permita, diz Liam Smeeth, da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.
A hipertensão arterial é uma ameaça global. A Organização Mundial de Saúde estima que um terço dos adultos sofre do problema, embora em países ricos medidas como o controle farmacológico, dietas com pouco sal e exercícios tenham reduzido o mal, enquanto a doença continua a aumentar em países pobres. A hipertensão é influenciada por muitos aspectos, tais como tabagismo, exercício físico, consumo de álcool e obesidade. Pode causar sangramento da aorta, doença renal crônica, ataque cardíaco e insuficiência cardíaca, trombose, problemas de visão e acidente vascular cerebral. Segundo a Fundação Espanhola do Coração, a hipertensão está relacionada a 13% das mortes no mundo.



VIXI MARIA GUARULHOS SÓ SE FERRA MESMO : Alckmin suspende por um ano extensão da Linha 2-Verde até Guarulhos

O governo Geraldo Alckmin (PSDB-SP) suspendeu, por pelo menos mais 12 meses, o início das obras para extensão da Linha 2-Verde até Guarulhos. 

O ramal hoje liga a Vila Madalena, na zona oeste, à Vila Prudente, na zona leste. O congelamento foi oficializado por aditivos contratuais publicados pelo Metrô no Diário Oficial do Estado do dia 31 de dezembro.


Com a medida, já são quatro linhas de transporte suspensas pelo governo estadual desde a reeleição de Alckmin, em 2014. Em todos os casos, o governo alega que, diante das incertezas da economia, preferiu dar prioridade para obras que já estão em execução.
No caso da extensão da Linha 2-Verde, a emissão da ordem de serviço para o início das obras vinha sendo atrasada desde setembro de 2014, quando o governo terminou a licitação e assinou contratos com oito consórcios de construtoras diferentes - cada um para a execução de um lote da obra.
O Estado tem autorização ambiental para construir 12,5 quilômetros de novas linhas de metrô, totalizando 12 novas estações e uma nova conexão com a Estação Vila Prudente, atual parada final da linha. Também há previsão de construção de pátio de manobras e de manutenção para os 35 trens que a linha deve ter.
Os demais ramais suspensos são os monotrilhos da Linha 15-Prata, também na zona leste, paralisado a partir de São Mateus, sem seguir para Cidade Tiradentes; da Linha 17-Ouro, na zona sul - que iria até o Morumbi, em uma das pontas, e até Jabaquara, na outra, mas agora só está prometido entre o Aeroporto de Congonhas e a Marginal do Pinheiros; e ainda a Linha 18-Bronze, monotrilho da capital até o ABC, que teve os contratos para as obras assinados em 2014 e, agora, está parado.

Impactos

A extensão da Linha 2-Verde fez parte de um projeto apresentado há 11 anos pelo governo de São Paulo, que definiu a chamada "rede essencial do Metrô", com propostas para ramais que deveriam estar em operação total até o ano de 2020. Nenhuma das seis linhas previstas saiu do papel.
O plano é citado no Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e no Relatório de Impactos Ambientais (Rima) aprovado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), que liberou as obra da Linha 2.
Os estudos do Metrô, que tinham como base a Pesquisa Origem-Destino de 1997, previam que a cidade deveria ter, daqui a quatro anos, uma rede metroviária de 163 quilômetros. Atualmente, são 68,5 quilômetros - sem contar trechos em obras na Linha 5-Lilás (zona sul), 6-Laranja (zona norte) e os monotrilhos das zonas sul e leste.
"Há dois tipos de impactos que esses atrasos trazem", diz o arquiteto e urbanista Flamínio Fichmann. "O primeiro é o aumento da superlotação. As pessoas têm demandado cada vez mais transporte de massa e a falta de ampliação da rede acaba criando pressão sobre o que já existe", afirma.
O segundo impacto, explica o consultor, é no planejamento do futuro da cidade. "O Plano Diretor de São Paulo, que foi aprovado em 2014 e já está valendo, prevê as zonas de estruturação urbana, que são locais onde os limites de verticalização são maiores do que no restante da cidade. São zonas criadas ao longo dos eixos de transporte", explica.
"Uma crítica ao Plano Diretor é que ele permite essa estruturação a partir da ordem de serviço para essas obras. Imagine o caso da Linha 5, na zona sul, que vem de Santo Amaro até a Chácara Klabin (ambas na zona sul). Essa obra vem sendo construída há 20 anos. Você acaba penalizando a população, uma vez que induz o crescimento para uma área que, dada a demora (na construção do metrô), fica sem estrutura de transporte público necessária", conclui.

Repasses

Em nota, o Metrô relacionou a suspensão de obras na Linha 2-Verde às restrições orçamentárias feitas pela União para o ajuste fiscal. Parte do financiamento vinha de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Em decorrência da não liberação de limite pela União durante o Plano de Ajuste Fiscal, no segundo semestre de 2015, de um financiamento de R$ 2,5 bilhões via BNDES previstos para a extensão da Linha 2-Verde, os 8 contratos da obra foram suspensos até dezembro de 2016", diz a empresa estadual, em nota.
O texto segue. "Priorizando a conclusão de empreendimentos já iniciados, o governo do Estado decidiu realocar os recursos de outro financiamento do BNDES destinado à Linha 2 (R$ 1,5 bilhão) para a conclusão de duas obras já em andamento: R$ 760 milhões para a Linha 5-Lilás (na zona sul) e R$ 740 milhões para a Linha 6-Laranja (feita por meio de uma parceria público-privada)". "A medida foi aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo em dezembro de 2015", conclui o texto da nota. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Oposição venezuelana SET DA LEI DE ANISTIA PARA PRESOS POLÍTICOS LEOPOLDO LOPES PODERÁ SER SOLTO ESSE ANO AINDA



renato santos
08/01/2016


Presidente da Assembleia Nacional, Henry Ramos, reuniu-se com a esposa de Leopoldo Lopez, Lilian Tintori. "Espero que nos próximos dias nós podemos apresentar o projeto", disse MP





"Estamos trabalhando com uma equipe de advogados altamente qualificados, o projeto está em fase de conclusão de discussão entre muitos fatores", disse o presidente da Assembleia Nacional, Henry Ramos, no âmbito da reunião com o A esposa de Leopoldo Lopez, Lilian Tintori, em que se discutiu a Lei de Anistia.

Ramos Allup confiante de que o projecto de lei da amnistia recebe este breve uma vez que o parlamento, e através do Periscópio plataforma digital, tanto enviou uma mensagem para o povo venezuelano. Ramos Allup disse que o bloco de oposição a Chávez é esperado para apresentar o projeto em breve. "Espero que nos próximos dias", disse ele.

De acordo com o relatado por El Universal, disse que "a apresentação deste projecto não é incompatível com outros projetos, que também devem ser abordados, discutidos e aprovados na Assembleia Nacional que tratam de questões económicas e sociais de importância" .

Ele concluiu que é fundamental que a autonomia da Assembleia como "uma potência que utilizar plenamente as suas funções de legislar, controlar e discutir" se recupera.

O MUD projeto sobre os presos políticos

É imperativo para buscar a libertação dos presos políticos, a fim de criar condições de paz e entendimento nacional. Para este efeito, propõe-se para emitir um:

Geral Lei de Anistia

Sua finalidade seria a de dar anistia total e geral para todos os cidadãos no âmbito penal, administrativo, disciplinar ou inquérito policial, procedimentos administrativos ou penais e durante os protestos políticos e posições divergentes. Esta seria também a Anistia conclusão das desqualificações e procedimentos políticos sobre a invasão da imunidade parlamentar.

Garantir a Declaração de Independência do Judiciário

Por este ato o concurso Assembly projetar o mecanismo previsto na Constituição para a nomeação de juízes com o objetivo de eliminar o estatuto provisório de juízes da Venezuela e converter os mais aptos profissionais certos para o judiciário dotado verdadeiros juízes da estabilidade mandato.

A lei também estabeleceu a necessidade de disponibilizar agentes judiciais dos salários em linha com o importante papel da administração da justiça, bem como medidas relacionadas com a segurança social, a saúde e as instalações para a aquisição de uma habitação decente

ATENÇÃO MEUS AMIGOS DO FACEBOOK E DOS MEUS 205.889 MIL LEITORES VAMOS COMPARTILHAR AO MÁXIMO EM LOCALIZAR OS FAMILIARES DO SENHOR JAIR DOS SANTOS TEM 60 ANOS ELE NASCEU EM 24/10/1955 E SE ENCONTRA INTERNADO NO HOSPITAL GERAL DE GUARULHOS PARQUE CECAP, PEDIDO FEITO PELA NOSSA AMIGA NO FACE CAROL VIEIRA


renato santos
08/01/2016

A  nossa  amiga  da rede  social facebook renatosantos/gaetacentral, nos mandou um pedido de ajuda para  identificar  os familiares  do senhor  JAIR DOS SANTOS, que se encontra  internado  no HOSPITAL GERAL DE GUARULHOS, no PARQUE CECAP.

Ela  foi visitar  o irmão dela  que se encontra  no mesmo hospital  e deparou  com uma cena triste de um senhor  que  já se encontrava a  três meses e  não se tem nenhuma  informação de seus  familiares desde que deu entrada  no  hospital.

A  GAZETA CENTRAL  em seu papel pede  para  que  todos  os usuários  da rede  facebook e  dos nossos  2015  mil  leitores compartilhem ao máximo até  localizar seus familiares.

Segundo as  declarações da  CAROL VIEIRA, ela pediu  essa ajuda  por que  sabe da importância  do nosso  trabalho  de informar, disse  ela  na sua conta  social :" -  Então eu resolvi tirar uma foto dele para ver se encontra a familia vamos ajuda lo esse senhor quem poder estar compartilhando ja esta ajudando e muito ou quem o.conhecelo ou conhecer algum familiar ajude ele .pois ele precisa de alguem com ele no hospital .o nome dele é JAIR DOS SANTOS nascido em 24/10/1955 & tem 60 anos .vamos ajuda lo .


Vamos ajuda lo cam dele para

ANTES TARDE DO QUE NUNCA ALVARO DIAS ABRIU OS OLHOS E DEIXOU O PSDB E FOI PARA O PV


renato santos
08/01/2016

O mundo político  esta tendo mudanças, claro a  foto abaixo  é uma brincadeira, mas na  realidade  ALVARO DIAS, deixou  de ser  do PSDB   e  passou  para  o PV.
O senador Alvaro Dias assinou na quinta-feira (7), em Londrina, a desfiliação dele do PSDB do Paraná. Segundo a assessoria do parlamentar, o destino será o Partido Verde (PV), e a ficha de filiação deve ser assinada nos próximos dias.


Apesar de ainda não ter ingressado oficialmente no PV, o senador já gravou uma propaganda partidária de rádio e televisão que deve ser exibida na próxima terça-feira (12).
A assessoria de Alvaro Dias confirmou a existência um convite por parte do PV para que ele seja candidato a presidente da República em 2018 pela legenda. Apesar disso, o senador diz não confirma a intenção de ser candidato, e diz que mudança teve por base o desconforto dele em relação ao PSDB do Paraná.
Alvaro Dias rompeu com o grupo político do governador Beto Richa (PSDB) em 2010, quando ambos disputaram a indicação para ser o candidato tucano ao governo do Paraná. Preterido na disputa, estava afastado da vida partidária desde então.
Em 2014, na campanha pelo Senado, houve uma reaproximação entre os dois políticos, mas segundo a própria assessoria do senador ambos não mantêm relacionamento partidário.
Sobre a escolha pelo PV, o senador informou que foi baseada dos compromissos de que o partido mantenha oposição aos atuais governos federal e do Paraná, além de ser um partido sem envolvimento nos desdobramentos da Operação Lava Jato.
Alvaro Dias teve duas passagens pelo PSDB – uma entre 1994 e 2001, e outra entre 2003 e 2016. Pelo partido, foi eleito senador em 1998, 2006 e 2014. Foi filiado ainda ao MDB e ao PMDB entre 1968 e 1989, partido pelo qual foi eleito deputado estadual, federal, senador e governador do Paraná. Passou também pelo PST, pelo PP, e pelo PDT ao longo da vida pública.

BILHETE ÚNICO DE GUARULHOS NÃO SERVE PRA NADA A NÃO SER APENAS O BÁSICO É UMA VERGONHA NESSES SEUS CINCO ANOS NADA A COMEMORAR TEM CINCO FALHAS



renato santos
08/01/2016
Não adiante  comemorar  sem prestar serviços  direitos  o  bilhete único em Guarulhos ainda  tem falhas, mas,  ainda  o secretário do  transporte  que  é  "  cego"  não vê ou tapa seus olhos, vamos as  falhas:

foto JOSE LUIS PMG ASSESSORIA  DE IMPRENSA 


a) DEVERIA  TER  MAIS UMA HORA, POIS AS VEZES  NÃO DA TEMPO  PARA OS PASSAGEIROS USA SEM PAGAR  OUTRA  PASSAGEM  PELO TRANSITO EM GUARULHOS QUE  É LENTO.
B)OS TERMINAIS  DE  ÔNIBUS DEVERIA  ESTA  FUNCIONANDO OS  GUICHES ATÉ AS  22  HORAS  E  NÃO PRESTAR SERVIÇOS  DE PÉSSIMA QUALIDADE, ELES FECHAM AS  18  HORAS DEIXANDO  VÁRIOS  PASSAGEIROS  NA MÃO  PRINCIPALMENTE  O GUICHÊ  DO TERMINAL  JARDIM SÃO JOÃO.
C) INTEGRAÇÃO  COM ÔNIBUS DA  EMTU E  NÃO DESCONTAR  O VALOR INTEGRAL, NÃO ESTA  REALIZANDO O SEU PAPEL COMO DEVERIA.

D) E  CRIAR  O BILHETE  ÚNICO MENSAL COMO  TEM EM SÃO PAULO E  COM INTEGRAÇÃO  NO SISTEMA  DO METRO E  CPTM, COMO EM  SÃO PAULO.
E O PIOR  NÃO TEM INTEGRAÇÃO COM ÔNIBUS  QUE SAI DO SHOPPING INTERNACIONAL  COM ÔNIBUS DA  LINHA AEROPORTO INTERNACIONAL, AO CONTRÁRIO DE  SÃO PAULO  MESMO COM AR  CONDICIONADO  TEM INTEGRAÇÃO.

Em 8 de janeiro de 2011, Guarulhos deu início a sua reorganização do setor de transportes públicos, com a implantação do Bilhete Único, que hoje completa cinco anos, alcançando a marca de 588 milhões, 81 mil e 539 viagens, proporcionando uma economia ao sistema que ultrapassa os R$ 405 milhões.

Sucesso absoluto entre os usuários, o Bilhete Único proporcionou durante esse período uma economia de R$ 9.703,20 a cada passageiro, sendo R$ 182,00 por mês para quem usa o bilhete mais de duas vezes ao dia de segunda a sábado. Com esse dinheiro, dá para mobiliar boa parte de uma casa, adquirindo fogão de quadro bocas, geladeira de 300 litros, mesa com quatro cadeiras, TV led de 32”, rack, cama de casal e beliche.
Além da economia, o Bilhete Único é prático. Por isso, cada dia mais é utilizado por um número maior de pessoas. Até o momento, são mais de 425 mil bilhetes ativos, que proporcionam de 535 a 550 mil viagens nos dias úteis. No ano passado, a média de viagens aos sábados ficou em torno de 322 mil, e aos domingos 171 mil, quando a maioria das empresas não tem expediente.
Há de se destacar também a segurança para os motoristas e cobradores, que fazem as viagens com menos dinheiro em circulação nos ônibus. As vantagens do Bilhete Único são diversas e vão aumentando cada vez mais.
Hoje, a cidade conta com 127 postos de recarga do Bilhete Único. A lista consta do site da Prefeitura www.guarulhos.sp.gov.br
Evolução do sistema
O Bilhete Único foi o primeiro passo para a evolução do sistema, que atualmente conta com 1001 ônibus e micro-ônibus que cobrem 116 linhas.
Em 2015, Guarulhos passou a contar com os primeiros ônibus articulados em sua frota. Foram incorporados 20, entre as linhas 233 Terminal São João/Terminal Vila Galvão (via Anel Viário) e 234 Terminal São João/Centro (via Cumbica), além de 30 alongados, com cinco portas, que dão mais espaço, segurança e conforto aos usuários.
A cidade conta ainda com seis terminais, sendo três municipais - Pimentas, São João e Cecap - e três metropolitanos – Cecap/Varejão, Taboão e Vila Galvão. Passam 180 mil passageiros/dia pelos seis terminais.
O município conta com 8,4 km de faixas exclusivas de ônibus, que reduzem em até 30% o tempo de viagem nas avenidas Eduardo Fronner, Emílio Ribas, Monteiro Lobato (trecho Base Aérea), Delfinópolis e Brigadeiro Faria Lima.
Demanda
Demanda por mês e dia tipo e quantidade de cartões do B.U - Em uso hoje:
Média mensal de passageiros transportados (2015)
14.557.933
Média de passageiros transportados por dia útil (Setembro-2015)
535.902
Média de passageiros transportados por sábado (Setembro-2015)
322.962
Média de passageiros transportados por domingo (Setembro-2015)
171.828
Volume de cartões ativos do Bilhete Único (Setembro-2015)
425.429

O VAI E VEM DAS INDUSTRIAS BRASILEIRAS SE CONTINUAR ASSIM A PROJEÇÃO É PERDA DE DINAMISMO EM 9,3% ATÉ 2021 SE NÃO FIZERMOS NADA DILMA MOSTRA QUE REALMENTE NÃO TEM COMPETÊNCIA




renato santos
08/01/2016

A indústria brasileira encolheu em média 0,3% ao ano desde 2011, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
O setor cresceu 0,4% em 2011, recuou 2,5% em 2012 e recuperou parte das perdas no ano passado, ao avançar 1,2%.

Comparando a evolução da indústria dentro do período de cada um dos recentes presidentes da República, a média anual do governo Dilma Rousseff é a pior desde Fernando Collor de Mello.

HOJE 2015 

O Brasil  na contra  mão os  preços  industriais  tiveram  uma forte desaceleração e  com isso  explica-se  por que esse  mercado demitiu  tanto  funcionários  em  2015, o IPP, teve a queda de  2,05 %, olhando  para  outro  lado  tivemos  também  uma deflação de  0,28% em novembro, mas,  o que causa  estranheza  é que  em outubro  tinha fechado em alta de  1,77%, o que chamamos de  instabilidade de mercado  isso  é  ruim por que  traz  insegurança  aos investidores.


Com o resultado de novembro, o IPP passou a acumular nos nove meses do ano (janeiro a novembro) alta de 9,35%, também registrando desaceleração em relação aos 9,66% do acumulado até outubro. 

A taxa acumulada dos últimos doze meses (a inflação anualizada) também desacelerou entre um mês, caindo de 10,89% para 9,55%, entre outubro e novembro.


Variações

Os dados do IBGE indicam que, entre as 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação, 12 apresentaram variações positivas de preços, contra 18 do mês anterior. 

O Índice de Preços ao Produtor das Indústrias Extrativas e de Transformação mede a evolução dos preços de produtos “na porta de fábrica”, sem impostos e fretes, e abrange informações por grandes categorias econômicas: bens de capital, bens intermediários e bens de consumo (duráveis e semi-duráveis e não duráveis).


O item bens de capital fechou novembro de 2015 com inflação negativa de 0,22% frente a outubro; bens intermediários em -0,76%; bens de consumo em 0,5%. Desmembrada, esta categoria acusou deflação de 0,15% em bens de consumo duráveis e de 0,71% em bens de consumo semi-duráveis e não duráveis.


Segundo o IBGE, em novembro, 12 das 24 atividades apresentaram variações positivas de preços em relação ao mês imediatamente anterior, contra 18 do mês de outubro. 

As quatro maiores variações foram em indústrias extrativas (-10,08%), madeira (-2,74%), calçados e artigos de couro (-2,54%) e bebidas (-2,11%). Já as maiores influências para a deflação do IPP de novembro para outubro foram exercidas pelas indústrias extrativas (-0,33 ponto percentual), refino de petróleo e produtos de álcool (0,18 pontos), alimentos (0,08 pontos) e outros produtos químicos (-0,07 pontos percentuais).


Já no resultado acumulado no ano, as maiores variações deste indicador vieram de outros equipamentos de transporte (31,13%), fumo (29,52%), papel e celulose (23,56%) e outros produtos químicos (15,03%). As maiores influências para a alta de 9,35% de janeiro a novembro vieram de alimentos (2,57 pontos percentuais), outros produtos químicos (1,56 pontos), papel e celulose (0,80 pontos) e outros equipamentos de transporte (0,66 pontos percentuais).

EM 2015, A INFLAÇÃO BATEU RECORD ACUMULOU ALTA DE 10,67% MAIOR QUE DURANTE OS 13 ANOS QUE FICOU EM 12,53% E A BOLSA FAMÍLIA PERDEU O PODER DE COMPRA


RENATO SANTOS
08/01/2016

O Brasil só se ferra  em todos  os sentidos, aumento e  mai  aumento que ganhamos e desta  vez até a  tal da bolsa família ficou desvalorizada, perdeu  o seu valor de compra em referência  a  inflação que  começou  em  alta, esse programa  do governo  para  combater a  maldita .




Pressionada pela elevação dos preços dos alimentos, combustíveis e energia elétrica, a inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou 2015 com alta acumulada de 10,67% - a maior dos últimos 13 anos desde os 12,53% de dezembro de 2002. 

A inflação do ano passado chega a ser 4,16 pontos percentuais superior ao teto da meta fixada pelo Banco Central para 2015, que foi de 6,5% e 6,17 pontos percentuais acima do centro da meta: de 4,5%.


Os dados foram divulgados hoje (8), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), juntamente com o resultado do IPCA de dezembro.


Em novembro do ano passado, o índice variou 0,96%. Mesmo desacelerando 0,05 ponto percentual em relação a outubro (1,01%), a taxa do último mês de 2015 é a maior desde os 2,1% registrados em 2002. Em dezembro de 2014, foi de 0,78%.


Foi determinante para que a inflação fechasse acima dos dois dígitos o impacto da energia elétrica, que no ano exerceu peso de 1,5 ponto percentual. O peso dos combustíveis foi de 1,04 ponto. Juntos, os dois setores representam 24% do índice do ano.


Segundo o IBGE, em 2015 o consumidor passou a pagar mais caro “por todos os grupos de produtos e serviços que compõem o custo de vida”, especialmente pelas despesas relativas ao item habitação, que subiram 18,31%. Em relação ao ano anterior, apenas nos artigos de residência (5,36%) a variação foi menos intensa.


A pesquisa mostra, ainda, que o maior resultado foi registrado no primeiro trimestre (3,83%), uma vez que o início do ano concentrou reajustes significativos nas tarifas de ônibus urbano e intermunicipal, de energia elétrica e de água e esgoto. “Nestes dois últimos itens, houve tanto reajustes ordinários quanto extraordinários”.

O instituto lembra, ainda, que o primeiro trimestre refletiu o efeito de acréscimo nas tarifas de energia elétrica decorrentes da adoção do Sistema de Bandeiras Tarifárias, modelo de cobrança dos gastos com usinas térmicas”.

As contas de energia elétrica aumentaram, em média, 51%, cabendo a São Paulo (70,97%) e a Curitiba (69,22%) as maiores variações. Nos combustíveis (21,43%), o litro da gasolina subiu 20,10% em média, chegando a 27,13% na região metropolitana do Recife.

O etanol teve um reajuste médio de 29,63%, atingindo 33,75% na região metropolitana de Curitiba, próximo dos 33,65% de São Paulo.



No grupo alimentação e bebidas, o de maior peso no IPCA (25,1%), a alta foi de 12,03%, com aumento generalizado nos alimentos adquiridos para consumo em casa. Vários produtos ficaram bem mais caros de 2014 para 2015 como a cebola, que subiu 60,61%; o tomate (47,45%); a batata-inglesa (34,18%) e o feijão-carioca (30,38%) - produtos importantes na mesa do consumidor.


Sobre os alimentos, o IBGE ressaltou que esse grupo, que tem muita importância no consumo das famílias, vem exercendo nos últimos anos pressão sobre o custo de vida. De 2007 a 2015, os resultados do grupo foram: 2007 (10,79%), 2008 (11,11%), 2009 (3,18%), 2010 (10,39%), 2011 (7,18%), 2012 (9,86%), 2013 (8,48%), 2014 (8,03%) e 2015 (12,03%).


Nos transportes (10,16%), grupo que detém 18,37% de peso no IPCA, superado apenas pelos alimentos, houve pressão dos meios de transporte público, além dos combustíveis: ônibus urbanos (15,09%), trem (12,39%), ônibus intermunicipal (11,95%), ônibus interestaduais (11,42%) e táxi (7,24%).


Quanto aos grupos despesas pessoais (9,5%), educação (9,25%) e saúde e cuidados pessoais (9,23%), os resultados ficaram próximos. Nas despesas pessoais, (9,5%), a pressão foi exercida pelos serviços dos empregados domésticos pelos quais as famílias passaram a pagar rendimentos mais elevados em 8,35%. 

Itens que também se destaram por terem ficado mais caros de um ano para outro foram jogos lotéricos (47,5%), serviço bancário (11,4%), excursão (9,69%), cabeleireiro (9,2%), cigarro (8,2%) e manicure (7,82%). Os grupos com as menores taxas no IPCA de 2015 foram saúde e cuidados pessoais (9,23%), puxados, principalmente, pelo item plano de saúde, que exerceu a principal pressão, já que as mensalidades subiram 12,15%; artigos de residência (5,36%); vestuário (4,46%); e comunicação (2,11%).


IPCA por regiões


Os dados do IPCA divulgados pelo IBGE indicam que, entre as 11 regiões metropolitanas e os dois municípios que compõem a inflação oficial, cinco fecharam 2015 com taxas acima da variação média global para o total do país (10,67): Curitiba, a maior do país, com alta de 12,58%, resultado 1,91 ponto percentual acima da média; Fortaleza (11,43%); Porto Alegre (11,22%); São Paulo (11,11%); e Goiânia (11,1%). 

São Paulo é a região metropolitana que mais influência exerce na taxa média global, com peso de 30,67% - cerca de 1/3 do total. A menor inflação do país em 2015 foi registrada em Belo Horizonte, cujo resultado de 9,22% é 1,45 ponto percentual abaixo da média. 

A região exerce a terceira maior pressão sobre a taxa global, com peso de 10,86%. No Rio de Janeiro, que tem o segundo menor peso na taxa global (12,06%), a alta foi de 10,52%; em Porto Alegre, 11,22% e em Brasília, 9,67%.

Em Curitiba, a região com a maior taxa, a maior pressão veio do reajuste de 50% nas alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre uma quantidade expressiva de itens, com vigência desde abril. Destaca-se a alta dos alimentos consumidos em casa (16,36%), além da energia elétrica, cujas tarifas aumentaram 69,22%.


Já a inflação mais baixa do país, verificada em Belo Horizonte (9,22%), foi influenciada pela alta de 9,69% nos preços dos alimentos, menor que os 12,03% do resultado nacional.


O IPCA se refere ao aumento de preços abrangendo famílias com rendimento entre 1 e 40 salários mínimos e envolve 11 das principais regiões metropolitanas do país (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Vitória e Porto Alegre, Brasília), além de Goiânia e Campo Grande.
Inflação maior para os de menor renda

A inflação apurada pelo IBGE, relativa ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), e que envolve famílias de menor renda (um a oito salários mínimos) subiu mais do que a medida pelo IPCA – que abrange famílias com rendimento de até 40 salários.

O indicador fechou o ano com alta de 11,28%, resultado 0,61 ponto percentual superior aos 10,67% do IPCA de 2015.

Segundo o IBGE, em dezembro, o INPC apresentou variação de 0,9%, resultado 0,21 ponto percentual abaixo de 1,11% de novembro. Foi a taxa mensal mais alta para o mês desde 2007 (0,97%).

Os produtos alimentícios tiveram variação de 1,6% em dezembro, enquanto em novembro a variação foi de 1,98%. O grupamento dos não alimentícios apresentou taxa de 0,59% em dezembro, abaixo de 0,73% de novembro.


Sobre os índices regionais, o mais elevado ficou com a área metropolitana de Fortaleza (1,44%), onde os alimentos tiveram alta de 2,3%. O menor índice foi o da região metropolitana de Belo Horizonte (0,5%).

A NOVA NOVELA DO BRASIL A PREFEITA DO WHAST APP CONTINUA POSTANDO NAS REDE SOCIAIS SUAS FOTOS ELA ESTA DE TORNOZELEIRA



renato santos
08/01/2016
fonte
BBC-MUNDO

Uso à internet
A decisão da Justiça Federal no Maranhão (JF-MA) que revoga a prisão preventiva Lidiane não faz qualquer menção ao uso de internet e redes sociais. 


A determinação prevê que a ex-prefeita seja monitorada por tornozeleira eletrônica; compareça mensalmente a juízo para justificar as atividades; seja proibida de frequentar a Prefeitura de Bom Jardim e só se ausente de São Luís mediante autorização judicial.




Denúncia do MPF

Lidiane Leite responde a processo criminal ajuizado pelo Ministério Público Federal (MPF) por desvio de verbas, fraude licitatória e associação criminosa durante gestão à frente da Prefeitura de Bom Jardim.

A gazeta central procurou o  Ministério Público Federal (MPF) para saber como está o andamento do processo contra Lidiane Leite, mas a Assessoria de Comunicação informou que o órgão está em período de recesso e só retona às atividades no dia 7 de janeiro.




Em meados de 2015, o jovem prefeito da cidade brasileira de Bom Jardim, no nordeste do país, fugiu depois de ser acusada de desviar milhões de fundos públicos.




Lidiane Leite se gabava de sua fortuna na rede social Instagram e era conhecida como o "WhastApp prefeito" como membros de seu gabinete se dirigia exclusivamente através da rede social.

Os problemas da prefeita que "governadas" por WhatsApp
Leite tornou-se um símbolo da corrupção no Brasil.

Durante anos, o povo de Turi fazer Augusto foi prometido que ela teria uma nova escola.

Esta pequena cidade no município de Bom Jardim, onde cerca de 60 famílias vivem, está no centro de uma das regiões mais pobres do Brasil.

Jonas da Silva abre a porta de madeira irregular do prédio que hoje serve como a escola da aldeia. O estado da classe é terrível. 

O chão está cheio de buracos, as paredes de barro estão caindo aos pedaços e da calha está quebrado.

"É como um lugar para criar porcos", diz Silva, chefe da escola.

Escola Turi fazer Augusto

Escola Turi fazer Augusto, um dos muitos que foi ferido pelo escândalo de corrupção.

Escola Turi fazer Augusto

Anos que prometem melhorar a escola, mas até agora ninguém foi cumprida.

Na escola de tempo cerca de 50 crianças que ali estudam e em uma comunidade tão pobre como este, sem água corrente, muitas famílias dependem da escola para alimentar seus filhos.
"Quando Lidiane foi prefeito nunca teve almoço na escola", diz ele.

Era, na verdade, a falta de merenda escolar em toda a Bom Jardim -denunciada por pais que levaram à investigação do prefeito e seus arredores.

As autoridades viram o que Leite escreveu nas redes sociais:
"Antes de se tornar prefeito foi pobre. Tinha um Land Rover, agora dirige um (Toyota) SW4 "colocar no Instagram. "Talvez eu devesse comprar um carro de luxo que, graças a Deus e têm o dinheiro para fazê-lo."



"Eu posso comprar o que eu quero", vangloriou-se. "Eu vou gastar dinheiro com o que eu quero e eu não me importo com o que as pessoas dizem sobre mim."

Os alarmes começaram a tocar. Há meses que analisaram as finanças de esta pequena cidade, os promotores acreditam que a equipe foi sobre US $ 4 milhões dos cofres públicos.

Leite conta Instagram

Leite vangloriou-se de sua fortuna nas redes sociais.
Como poderia algo assim ter acontecido em uma comunidade de 40.000 pessoas?

Lidiane Leite, 25, vendeu leite porta em porta. Em 2012, seu namorado, Bob Rocha (que também está sob investigação) foi proibido de concorrer à prefeitura porque a legislação barehanded no Brasil, o que não permite fuga que foi acusado de corrupção.

Leite tomou o lugar de seu parceiro. Uma vez no cargo Rocha nomeado como secretário para assuntos políticos, e, aparentemente, era ele quem cuidava da gestão diária do Bom Jardim.

Enquanto isso, Leite passou a maior parte de seu tempo na capital do estado do Maranhão, São Luis, quatro horas de carro.

Lá, ele bebia champanhe em festas, era dedicado ao ginásio e fazer compras.

Ele disse a seu estilo de vida nos meios de comunicação social, mas também eleito como prefeito foi a necessidade de cuidar de questões administrativas.

Foi lá que apelou para WhatsApp, criando o grupo "Command", através do qual se comunicava com seus secretários em Bom Jardim.

Mas as autoridades federais começaram a investigar a falta de fundos e quando emitiu um mandado para sua prisão Leite, no estilo de uma novela brasileira, foi fugiram.

Durante seu tempo como um fugitivo, ele continuou a enviar WhatsApp seus conselheiros, ordenando-lhes que não cooperar com os investigadores e insistindo em que ela ainda era o prefeito.

O procurador da República, Fabio Santos de Oliviera

O procurador da República, Fabio Santos de Oliveira, pilhas de provas recolhidas contra Leite.

O procurador da República, Fabio Santos de Oliviera balança a cabeça e ainda não consigo acreditar ... Há mais de dez pessoas sob investigação, faltando dinheiro ao redor do orçamento, mas em particular nas áreas da saúde e educação.

"Em um caso, falso contratado para reconstruir três escolas em Bom Jardim, para ficar com as empresas que dinheiro", diz ele.

Entre pilhas de envelopes com documentos mostra uma foto de uma pequena empresa com prateleiras cheias de óleo, açúcar e outros produtos de consumo nos lares.

"Como pode este negócio ganhar um contrato de mais de US $ 150.000 para reconstruir escolas? Isso é o que aconteceu aqui. "

Por enquanto nem um centavo do dinheiro foi devolvido.

"Nós bloqueou as contas bancárias de todos os réus, mas encontrou dinheiro neles. No entanto, temos confiscou casas e carros ", diz ele.

39 dias após o início sendo procurado Leite se entregou às autoridades. Ele agora vive em São Luis e deve usar uma pulseira electrónica enquanto está a ser investigada.

Seu advogado baseou sua defesa é jovem e inexperiente, e insiste que ele é inocente. Por ordem do tribunal é proibida de visitar 

Bom Jardim.

Bom Jardim

Bom Jardim pessoas preferem não discutir o caso, mas sente vergonha e raiva.

Em que aldeia as pessoas estão relutantes em falar sobre o caso. Instintivamente evitar comentários sobre os interesses políticos que dominaram por gerações Maranhão.

Mas também sentem vergonha e raiva, e difícil de entender como eles poderiam vir a este.

O que aconteceu aqui reflete um problema muito mais amplo no Brasil. A nível nacional há escândalo bilionário descrença envolvendo a Petrobras, a companhia estatal de petróleo.

O chamado "Lava Jato" u "operação de lavagem de carro" - já produziu mais de 100 detenções, incluindo políticos e peso industrial.

O que aconteceu Petrobras do Brasil escândalo campanha orgulho?

Suspiro brasileiro na escala do escândalo, os maços de dinheiro encontrados na roupa de um contrabandista de dinheiro, a quantia de dinheiro roubado e usado para comprar arte e jóias.

Com uma moeda frágil, que em 2015 perdeu mais de um terço do seu valor, uma economia encolhe e Presidente Dilma Rousseff sob ameaça de impeachment sob a acusação de irregularidades orçamentais, o que acontece na Petrobras só agrava crise nacional.

Brasil: Congresso apoiou o pedido de impeachment contra o presidente Dilma Rousseff
"Nossas leis são demasiado fracos para enfrentar isso", diz 

Francisca Maria Mimora, um professor da escola em Turi fazer Augusto.


"Prometeram-nos uma nova escola aqui em Turi, mas ninguém acredita a ser construído. E não apenas por causa do que aconteceu com Lidiane. A corrupção ocorre aqui há muito tempo, e ninguém pode fazer nada sobre isso. "
Mimora Maria Francisca, um professor da escola em Turi fazer Augusto.

Professor Turi não Augusto, Maria Francisca Mimora (l.), Ele não acredita que uma nova escola foi construída.

Quando eles afastado do cargo Lidiane Leite Bom Jardim vice-prefeito assumiu o cargo.
"É difícil para melhorar os nossos edifícios escolares e comprar comida para as crianças por o défice orçamental", diz Malrinete Gralhada.

"Mas estamos empenhados em fazer algo bom para as crianças e Bom Jardim resgatar um lugar escuro."

Ele também garante que o município iniciou o processo para construir uma nova escola em Turi fazer Augusto.

Por que é que as pessoas em posições de poder, como ela, não relatou o que estava acontecendo?

"Eu era o vice-prefeito de Lidiane mas me proibiu de assistir às reuniões. O conselho era como uma ditadura ", diz ele.
Pesquisas sugerem que em todo o Brasil há pouca confiança nos políticos. Em vez disso, os promotores se tornaram muito populares: todo mundo quer um selfie com Sergio Moro, o juiz federal encarregado do caso da Petrobras.


Os manifestantes carregam cartazes com sua figura recortada e restaurantes recebeu aplausos espontâneos dos outros clientes.
Malrinete Gralhada

Malrinete Gralhada era vice-prefeito e assumiu o cargo. Ele diz que não sabia da corrupção.

Em Bom Jardim, o procurador da República Fabio Santos de Oliveira está determinado a fazer justiça.

"A corrupção é um problema nacional, a pior doença que temos no Brasil. Mas eu não acho que isso piorou. É agora mais visível, porque mais pesquisas, sabemos mais sobre o que está acontecendo no país. "

Leite espera que seu caso vai a julgamento. Alguns o vêem como uma vítima, uma jovem mulher que tomou decisões erradas e se juntou às pessoas erradas.

Outros acreditam que era grande o suficiente para saber o que estava se metendo.

De qualquer forma, devido ao mal projetado presença na mídia, Lidiane Leite tornou-se o símbolo infeliz de corrupção no Brasil.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog