GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

PEDIDO DE ANISTIA NO BRASIL FOI GOLPE NA REALIDADE, JAMAIS FOI UM PAÍS DEMOCRATA, TODOS FORAM ENGANADOS DESTE 1985

Caio Macio Rodrigues


Infelizmente, "democrata" não tem nada de democracia. 
Aliás, a constituição USA é republicana. 

Democracia não é regime de governo nem sistema de organização de Estado: é método de decisão.

E mais, a tal "decisão pela maioria" - como muitos tomam como sinônimo de democracia - é um dos maiores embustes dos totalitaristas. "Democracia do voto da maioria" é 

manipulável - note como os estados totalitários da nossa era, todos se denominam "democrático": Coréia, Venezuela, a antiga Alemanha Comunista RDA e outros. 

A decisão democrática se dá em 3 instâncias:

1. Consenso, e se não der consenso
2. Consentimento (uma aprovação provisória para dar chance de verificar se a proposta é ou não boa)
3. Se nem consenso nem consentimento der, então tem que haver a secessão ou seja: separação: a lei por exemplo, é fatiada e cada município, ou estado federado faz a lei 

que melhor se aplica ao seu povo.

Isso é que é democracia. 

Em vez disso, com a desculpa de "facilitar" ou de "ficar mais prático" criaram o Voto da Maioria.
O voto da maioria só é capaz de eleger O MAIS POPULAR,  e não O MAIS COMPETENTE ou melhor. 
O mais popular é resultado de propaganda, da mídia. 
Por isso, a democracia de voto universal majoritário é apenas capaz de eleger o mais popular e não o melhor ou o mais competente.

O tal Fundo de Participação de Municípios que possibilitou a criação de municípios INVIÁVEIS financeiramente, típicos cabides de emprego, de um lado, e ferramenta de 

controle - micro-controle pelo governo central.

E, como em todo lugar, quando o governo central cria seus tentáculos em pequenas cidades, eles montam o esquema de "coronéis locais" para segurar o controle.

Se, num caso como, um opositor entra, o Governo Central perde o controle (sustentado pelo Fundo de P dos Municípios).

O correto é que cada município tenha sua indenpendência, autonomia, auto-determinação e soberania, ligado ao governo central somente através do estado federado, e não 

no sentido contráio: a União passando por cima da administração estadual e mandando $ para municípios diretamente (atraves de mecanismo artificial).

O Governo Central deveria viver não com impostos mas com algo do tipo "rateio de despesas de condomínio" pagas pelo povo para manter as funções próprias da União. Ou 

bem temos uma Federação e municípios com suas identidades políticas sérias, ou temos apenas uma putaria feudal - um grande esquema de governo do tipo "familiar" como o 

cubano.

Acaba com o FPM e se algum município não se aguenta ou não tem competência, que se funda com alguns vizinhos.

Lembro que a identidade política tem quatro características: 

1. Autonomia: é capaz de produzir o necessário para o seu povo e assegurar o desenvolvimento e prosperidade; 

2. Independência: é viver conforme as decisões de seu próprio povo, sem tutela de outros municípios ou da União; 

3. Auto-determinação: é o município agir conforme suas aspirações, vocação e seguir suas próprias ambições, e não ser parte de planos de outras entidades políticas; 

4. Soberania: Decidir suas próprias leis e decidir e recolher seus próprios impostos (sem essa coisa de mandar impostos para Brasilia e de lá voltar para o município!), escolher seus líderes.

E isso está na Constituição, não é invenção minha: ou jogamos o jogo pelas regras da Constituição, ou mudamos aquele documento.


EX PROCURADOR PEDE DESCULPA A FAMILIA DE LEOPOLDO LOPES

Franklin Nieves foi um dos dois procuradores em que possa ser "caso mais vigiada do mundo de perseguição política.

A deserção de uma figura importante na trama para aprisionar adversário político de liderança do governo venezuelano está levantando uma nova ameaça para a, cambaleante, regime ultra-anti-americano corrupto.



O ex-legalista é Franklin Nieves, que fugiu em outubro de Caracas a Miami, onde ele está em busca de asilo. Nieves foi um dos dois procuradores em que possa ser "mais vigiada caso do mundo de perseguição política, show de julgamento da líder da oposição Leopoldo Lopez o, que agora está cumprindo uma sentença de quase 14 anos por alegadamente" incitar a violência ", baseado uma carga em um discurso que pronunciou em uma manifestação contra o governo no início do ano passado.

Nieves está agora pedindo desculpas por seu papel no caso Lopez, declarando que o líder da oposição de idade de 44 anos foi acusado injustamente em um "julgamento totalmente político", e atacando o governo por se recusar a permitir que Lopez para apresentar testemunhas e provas em sua defesa. O ex-promotor está afirmando que ele teria enfrentado anos de prisão se ele se recusou a prosseguir com o caso "falso". Conta dentro Nieves 'de como o regime do presidente Nicolas Maduro orquestrado a prisão de Lopez, e ditou a sentença foi solta uma nova explosão de raiva nas ruas, cafés e campos de petróleo da Venezuela.

Eu colecionava recentemente uma história em primeira-mão do pai de Lopez, Leopoldo (Leo) Sr Lopez, que eu conhecia como um estudante na Escola Hun, uma escola preparatória de Nova Jersey, nos anos 1960. (Seu filho, Leopoldo, é graduado Hun também.) No telefone a partir de Madrid, Leo relatou como Diosdado Cabello, um tenente Maduro superior e um protegido de liderança do falecido ditador Hugo Chávez, tentou empurrar seu filho a deixar a Venezuela, em seguida, realizou sua prisão, e conseguiu seu julgamento. "Leopoldo passou a se esconder em meados de fevereiro de 2014 depois de o governo colocar para fora um mandado de prisão", relembra Leo. "Em 14 de fevereiro, cerca da meia-noite, eu tinha 30 caras vestidos de preto com metralhadoras em torno de minha casa em Caracas procurando por ele."

Duas horas depois, Leo teve um visitante. Era o presidente da Assembleia Nacional, Cabello. "Ele falou para minha esposa e eu para duas horas", diz Leo. "Ele me disse Leopoldo estava em perigo, que muitas pessoas queriam matá-lo. Ele voltou dois dias depois às 2 da manhã, e tivemos a mesma discussão. Ele disse Leopoldo deve ir a uma embaixada, procurar asilo, e deixar o país. Ele recomendou que ele fosse para a China. "A ameaça implícita, diz Leo, era que a escolha foi entre os anos de prisão e exílio permanente. Leo informou Cabello que seu filho iria se recusam a sair Venezuela, sejam quais forem as consequências.

O dia da segunda reunião, Leopoldo entregue a Cabello, que inicialmente prometido, um julgamento célere justo. "Ele era civilizado, não em todos agressivo ou ameaçador", diz Leo. "A idéia era que deveríamos confiar no sistema judicial. Eu disse a esposa de Leopoldo: 'Este homem é um mentiroso. Não acredite nele. '"

Leo acha que as revelações Nieves 'vai inchar a crescente onda de oposição e até poderia apressar a queda do governo. Os venezuelanos estão sofrendo de escassez de alimentos, blackouts, e assistindo os preços sobem mais de 15% ao mês no pior surto mundial de hiperinflação. A queda nos preços do petróleo expôs a má gestão desenfreado do governo Maduro. Seu Partido Socialista Unido é profundamente impopular.

A votação crucial a médio prazo para o parlamento da Venezuela está prevista para dezembro. Agora, o partido liderado por Leopoldo, Livre Arbítrio, deve ganhar em um deslizamento de terra-se os votos são realmente contados. "Nós não sabemos se vamos ter eleições justas ou não," preocupa Leo. "Nós deve obter 75% dos assentos. Mas o voto é tudo eletrônico. Todo o sistema é uma caixa preta. O governo tem adulterado votos antes. "A oposição, diz ele, não tem o direito de exigir uma recontagem em caso de fraude. "A oposição está pedindo desesperadamente ter uma auditoria válido, ou de um observador internacional", diz ele. Até agora, essas chamadas não foram atendidas.

As regras dizem que o parlamento pode declarar anistia com uma votação por maioria simples. Portanto, se o Livre Arbítrio assume o controle, é certo que vai ganhar Leopoldo liberdade, e recuperar a sua posição como o principal reformador da Venezuela. Nesse papel, ele iria reunir os eleitores a exigir um referendo que poderia forçar Maduro do cargo, e talvez onde ele queria forçar seu oponente: o exílio permanente.

A mudança de regime na Venezuela poderia provocar uma grande renascimento econômico para este país de 33 milhões que é duas vezes o tamanho da Califórnia e possui as maiores reservas de petróleo do mundo. "É incrível como muitos grandes auto EUA e outras empresas continuam trabalhando na Venezuela", maravilha-se Leo. "Isso mostra o quanto o potencial que temos, e quanto eles querem estar aqui quando as mudanças de regime. Para carros sozinho, Venezuela deve ser tão grande de um mercado como a Itália. "

Treinado como um economista da Universidade de Columbia e Wharton School, o próprio Leo Lopez entrou em conflito com Cabello. Ele faz parte do conselho editorial de um jornal Caracas proeminente que decorreu recentemente histórias acusando Cabello de tráfico de drogas. Um juiz emitiu uma ordem de restrição Leo de deixar a Venezuela. Felizmente, ele estava em os EUA por um exame médico quando a ordem foi feita, e ele agora está essencialmente vivendo no exílio. Enquanto isso, seu filho é mantido em uma prisão militar por si só. "Eles têm dois edifícios", diz o pai. "Em um deles, há 170 prisioneiros, generais para soldados. No outro, há quatro pisos e um detento, Leopoldo. "Ele é a figura mais popular na Venezuela, a jovem dissidente que poderia resgatar seu país e as boas-vindas a seu pai para casa.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog