OPERAÇÃO LAVA JATO: A DESGRAÇA DO BRASIL PODE LEVAR AO JOEL SANTANA E O PREFEITO FERNANDO HADDAD

O comerciante do Partido dos Trabalhadores (PT), que governa o Brasil, Joel Santana, está sendo investigado pela Polícia Federal por suspeita de que lavava dinheiro por 16 milhões de dólares, informou a imprensa local.


As autoridades suspeitam Santana, através de duas empresas de propriedade, estava a decorrer em 2012 para o Brasil esse montante vindo de Angola, o papel Folha de S. Paulo.

"Esta é uma operação completamente legal e transparente," Santana, jornalista e chefe das campanhas eleitorais dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, em 2006, em 2010 e 2014, três bem sucedido disse.

Os investigadores suspeitam que o dinheiro recebido em Angola Santana foi pago por empresas de construção brasileiras que operam naquele país para cancelar indiretamente uma dívida que tinha com a campanha eleitoral do PT à prefeitura de San Pablo, Fernando Haddad.

Em 2002, Santana trabalhou em campanhas eleitorais Haddad eo presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

No contexto da investigação de Santana já testemunhou perante a Justiça Haddad e ex-secretário de Finanças PT João Vaccari Neto, preso desde o mês passado por supostos vínculos com o escândalo de corrupção da estatal Petrobras.

VENEZUELA PSUV SE DIVIDE ASSIM COMO O PT NO BRASIL COM A SAÍDA DA MARTA SUPLICY AO PSB

PSUV,  começa a  se dividir  na VENEZUELA, exatamente como o PT, no BRASIL, e  em CUBA   começa a  surgir  um partido  que  não  apoia  os  irmãos  castros, no resumo da opera  o FORO DE  SÃO PAULO,  começa  a  ter  sérios problemas.



PSUV liderados por Maduro sofre primeira divisão / O Nacional / "Aqui está Socialista Tide", um sinal de 20 casas na zona rural. 

Há a sede formais de uma organização política. Famílias, PSUV e identificado com "o verdadeiro Chávez", oferecendo suas casas para as reuniões para que esperam que seja uma organização política nos próximos meses, e são a prova de que o Partido Socialista Unido da Venezuela sofre baixas na sua fileiras quebrados e a base para não permitir críticas internas ea predominância de sectarismo.

É a primeira divisão do PSUV está acontecendo no governo do presidente Nicolas Maduro.

Desde Novembro de 2014, que dissentirem PSUV reservados nome e sigla da Marea Socialista no Conselho Nacional Eleitoral e está aguardando sua aprovação. 

Mas na Conferência Nacional de Promotores, ele realizada em 26 e 27 de Abril, acordado, por maioria absoluta, optar por um cartão eleitoral e propor candidatos para a Assembleia Nacional. Em que missão 150 desenvolvedores trabalhando em 19 estados.

Se a CNE não autoriza a designação, militantes Marea Socialista, incluindo o cientista político Nicmer Evans e fundador da Aporrea, Gonzalo Gomez, indicou que a CNE não vai violar seu direito à organização e participação política.

"Vamos ativar o 'Missão Ladilla'; todos os dias vemos perguntando :? O que aconteceu com o cartão que aconteceu com o cartão não é uma questão de tempo, é um direito constitucional que não pode ser violado", alertou Evans, consciente de que a CNE são enfileiradas quatro grupos identificados com o governo, como Democracia Direta (liderada por William Izarra), que não foram legalizadas sob pressão do PSUV, como fontes eleitorais.

Por enquanto eles não pensam de um "plano B" se a resposta for negativa CNE. No entanto, Evans não descarta alianças com outros pró-Chávez e movimentos independentes: "Não temos nenhum problema em apoiar candidatos de outras organizações se eles vêm de pessoas de poder, se você se encaixa no perfil de ser um revolucionário, um socialista e subscrever os nossos critérios para resgatar o legado Chavez. 

Nós não temos nenhum esforço eleitoral, apesar de uma clara vocação de poder, ea coisa principal é cumprir o mandato da Conferência Nacional tem um cartão eleitoral e definir a sua própria personalidade. 

Nós não descartam converse com o Pólo Patriótico, desde que sejam dispostos a ter uma organização crítico, socialista e defensor do legado de Chávez. Se assim for, perfeito! As circunstâncias não são dadas, mas não feche ".

Gonzalo Gómez explicou: "Marea Socialista é uma corrente de PSUV, mas negar o direito de criticar e denunciar os desvios tinha que decidir e ir contra o sectarismo".

O peso eleitoral. Embora seja cedo para dizer qual a porcentagem de eleitores que levaria o PSUV Socialista Tide eo número de deputados obtidos, o palco é visto como controverso. Hinterlaces polling descreve o surgimento de um "novo sujeito histórico" que poderia mudar o equilíbrio de forças e até mesmo organizar a acomodação de facções em guerra. 

Quem não descarta a oposição concorda com a idéia de "mareistas" para auditar os fundos públicos se o assunto é apresentado no novo Parlamento? "Não há oposição, de maneira independente ou Ni-Ni. É um" novo centro "em ambos os representa e reúne a maioria. Este novo sujeito representa o atual centro político de Chávez", diz estudo Hinterlaces.

Marea Socialista "Chavez, socialista" é declarado e nega que o objetivo é dividido Chávez, embora ela corrói o apoio à liderança do PSUV. "Se Marea não participar nas eleições corre-se o risco de que a revolução está perdido do ponto de vista eleitoral. No momento, são o fator que garante descontente Chávez para não votar na oposição ou abster-se, porque eles têm uma referência . 

Tide resgatar a revolução a partir da raiz, ele se afasta da cúpula ligada à corrupção. Se nenhuma alternativa real para a rotação, a revolução estaria perdido ", diz Evans. Com esse argumento negado cientista político "comer o bolo parte do PSUV": "Em vez disso, adicionar, o que você perde perder PSUV sozinho, então nós não existimos Nós levamos, sim, os votos na oposição, porque remoralizamos e reenamoramos. chavismo. A nossa luta não é com Chávez, é com as coisas ruins com desvios, com pintada de vermelho, com a corrupção ".

"Mareistas de armário"

O plano é ir Marea Socialista infeliz com o governo Chávez e do PSUV e "não há adversários anti-Chávez" que declaram Ni-Ni, exigindo-se a tese de despolarização eleitoral e político. "Em 100% da população votante, o maior grupo é definido como Ni-Ni. 

Dentro do Chavez 40% não se identificam com as políticas de Maduro, e a oposição de 35% não é o MUD. Ou seja, 70% não reconhece a liderança atual. 

Eles não estão com Tide, mas vai responder a essa demanda como uma alternativa para a mudança, revolucionária, que retorna para a raiz do processo revolucionário e resgatou o positivo da revolução. 

Nós não somos uma terceira via ou terceira via "ele explicou Evans Nicmer. Gonzalo Gomez disse PSUV tem que rejeitar o que a liderança do partido e do governo é executar, e como o debate ea crítica é reduzida. 

"O outro bloco é sectores do PSUV, tais como movimentos sociais e sindicatos, que são marginalizados. Eles não se articulam com o PSUV, apesar de ser registada. O objetivo do Marea e todo revolucionário é salvar o processo revolucionário e não seqüestrá-la condução ". Hector Navarro e ex-ministros Ana Elisa Osorio são considerados "tão perto como amigos Tide", e ainda nenhuma decisão sobre se eles serão candidatos para o Parlamento. 

Evans revela que eles têm aliados no governo, cujas reservas nomes por medo de represálias, "Eles são funcionários que compartilham a crítica, são 'mareistas armário' que enviar mensagens de e quem as pediu para deixar aquele lugar Se u Osorio Navarro. o 'mareistas armário' virá com a gente, bem-vindo!, desde que cumpram o perfil e vir das bases ".

DENUNCIA : MÉDICO CHINES FOI FAZER ESTÁGIO NO SISTEMA MÉDICO MILITAR E VIU TRANSPORTES DE ÓRGÃOS DE PACIENTES VIVOS

O sistema médico-militar chinês utiliza há décadas órgãos de prisioneiros executados em transplantes de órgãos. Sempre se suspeitou que, em alguns casos, a extração do órgão foi realizada enquanto a vítima ainda estava viva para, assim, assegurar que o órgão tivesse máxima qualidade.
Sr. Wang" (um pseudônimo) em recente fotografia em Toronto, no Canadá. Quando ainda era um jovem estagiário de medicina na China, na década de 1990, o sr. Wang disse que testemunhou a extração forçada de órgãos de uma pessoa ainda viva. (Yi Ling / Epoch Times)

O relato a seguir é uma recente entrevista dada pelo sr. Wang ao jornal Epoch Times, editada por questões de brevidade e clareza, e com a adição de subtítulos. Segue o relato:

Aconteceu na década de 1990. Eu era um médico estagiando no departamento de urologia do Hospital Geral Militar de Shenyang, na província de Liaoning. Certo dia, o hospital recebeu um telefonema da Região Militar de Shenyang requisitando imediatamente uma equipe médica para uma missão militar.

De tarde, o diretor de minha divisão médica começou a convocar pessoas para essa missão. Seis funcionários do Hospital foram convocados: dois enfermeiros, três médicos e eu.

Foi-nos dito para que não nos comunicassemos com o mundo exterior até que a missão estivesse concluída e isso incluía ligar para familiares e amigos.

Fomos transportados em uma van modificada. Veículos militares escoltaram-nos; senti que íamos bastante rápido. As janelas da van foram cobertas com panos azuis para que não pudéssemos ver para onde estavam nós levando.

Chegamos a um lugar cercado de montanhas onde havia vários soldados. Um oficial militar recebeu-nos; através dele ficamos sabendo que estávamos numa prisão militar perto da cidade de Dalian.

A extração de um rim de uma pessoa viva

Na manhã seguinte, depois que uma das enfermeiras, acompanhada de dois soldados, ter tirado amostras de sangue de uma pessoa, fomos chamados para entrar na van. Paramos num lugar desconhecido; soldados armados cercaram a van.

Em seguida, quatro soldados carregaram um homem até a van e colocaram-no sobre um saco plástico preto de cerca de dois metros de comprimento.

Os pés desse homem estavam fortemente amarrados com algum tipo de fio bem fino, mas bastante resistente. O fio estava fortemente amarrado ao redor do pescoço, que sangrava, e daí ia até os braços amarrados nas costas e aos pés. Isso impedia que a pessoa pudesse se mecher.

Quando toquei as pernas da pessoa, pude sentir que elas estavam quentes.

Os médicos e as enfermeiras rapidamente se vestiram para a cirurgia. Eu era assistente deles e fiquei responsável por cortar a artéria, a veia e a ureter [o canal que liga o rim à bexiga].

A enfermeira cortou a camisa do homem e aplicou desinfetante no peito e na barriga três vezes. Em seguida, o médico, com o bisturi, cortou do subxifóide [abaixo do peito] até o umbigo. Vi as pernas do homem tremerem, mas sua garganta não pôde emitir sons.

Então, quando o médico fez a incisão na pessoa, o sangue ainda circulava, o que indicava que a pessoa ainda estava viva.

Rapidamente, os rins foram removidos. Eu cortei a artéria e veia. As ações dos médicos foram habilidosas e rápidas. Eles colocaram os dois rins em uma caixa termostática.

Quando olhei para o rosto do homem, vi nele uma expressão de terror. Eu senti como se ele estivesse olhando para mim. Suas pálpebras se moviam. Ele ainda não estava morto.

Fiquei atônito, minha mente ficou vazia. Meu corpo tremia, foi terrível!

Eu me lembrei de ter ouvido na noite passada um militar conversando com o médico responsável e dizendo “…não tem nem 18 anos. É saudável, cheio de vida”. Falavam da pessoa que estava bem diante de mim?! Nós extraímos os rins de uma pessoa ainda viva. Foi horrível!

Eu disse ao médico que eu não poderia continuar.

Em seguida, outro médico, com um fórceps, arrancou completamente os globos oculares daquela pessoa.

Eu não pude fazer nada. Eu tremia e suava; estava esgotado e perplexo.

Esperando os órgãos

Quando acabou, o médico bateu na lateral da van. Um soldado sentado no banco do passageiro da frente começou a falar via rádio. Quatro soldados logo vieram para envolver o corpo, agora mole, no saco plástico e jogá-lo em um caminhão militar.

Fomos levados rapidamente de volta ao hospital militar. Os órgãos foram entregues uma equipe médica, que estava numa sala de cirurgia,  já pronta, para realizar o transplante.

Espírito desmoronado

Sob medo extremo e choque, já em casa, eu tive uma forte febre. Eu não tive coragem de contar a ninguém o que aconteceu. Ninguém da minha família sabe disso. Logo depois dessa cirurgia, eu deixei o Hospital Geral de Shenyang Militar.

No entanto, o terror da cena estava longe de terminar. Eu testemunhei uma vida humana que foi torturada e morta bem diante de mim. A pressão mental me deixou num estado lastimável.

Durante muito tempo, não importa se de dia ou de noite, eu vi a expressão de sofrimento e terror no rosto daquele homem; é como se ele estivesse olhando para mim.

Eu nunca falei disso, porque, sempre que pensava nisso, eu queria sumir do mundo.

Quando a mídia de outros países expôs a extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong [em 2006, na China], eu imediatamente soube que era tudo verdade. Tais práticas já eram realizadas no sistema militar do Partido Comunista Chinês. A perseguição ao Falun Gong apenas deu a eles uma fonte mais ampla de órgãos.

DINHEIRO QUE A DILMA EMPRESTOU A NICOLAS MADURO SÓ SERVE PARA MATAR ESTUDANTES VENEZUELANOS COMEÇOU A CAÇADA NOVAMENTE PELA GNB

Lembram que NICOLAS MADURO esteve  no Brasil a  dois meses  atráz  em BRASILIA   para  pedir  empréstimos  a DILMA,  para  financiamento  das  obras naquele  País, na verdade o  dinheiro  foi desviado  para  comprar armamentos atendendo  as  necessidades da  GNB.



Já  começou a  ordem de NICOLAS  MADURO  em matar  os ESTUDANTES  VENEZUEOLANOS estudante Kliver Roa, 14 anos, foi morto pela Guarda Nacional Bolivariana (GNB) durante um protesto nas imediações da Universidade Católica de Táchira, em San Cristóbal, no oeste da Venezuela.

Roa, aluno do colégio Agustín Codazzi, não estava participando da manifestação contra o governo do presidente Nicolás Maduro, que começou por volta das 10h30 desta terça-feira, 24 (12h no horário de Brasília).

Meia hora depois do início dos protestos, o adolescente foi levado ao Hospital Central de San Cristóbal com um tiro na cabeça, mas não resistiu ao ferimento.

No ano passado, 43 pessoas morreram na Venezuela em confrontos entre opositores e as forças do governo de Maduro, que passa por grave crise econômica e turbulência política.

As críticas ao presidente venezuelano se intensificaram desde que, na última quinta (19), ele mandou prender o prefeito metropolitano de Caracas, Antonio Ledezma, a quem acusa de conspirar para derrubar seu governo.

Outro líder oposicionista, Leopoldo López, está preso desde fevereiro do ano passado, acusado de fomentar protestos violentos.

EXCLUSIVO : GAZETA CENTRAL , IRBING INTERNACIONAL DIÁRIO LAS AMERICAS OPERAÇÃO LAVA JATO VAI LEVAR A QUEBRADEIRA NÃO SÓ DA PETROBRAS MAS VALE DO RIO DOCE E BNDES E AINDA REVELAMOS POR QUE O PMDB NÃO QUER O IMPEACHMENT DA DILMA, CAIRA JUNTOS MICHEL TEMER, RAUL CASTRO ,,E VAI PIORAR A SITUAÇÃO DE NICOLAS MADURO : O DO BRASIL ESTA SENDO DENUNCIADO POR FORNECER ARMAS PARA O GOVERNO DA VENEZUELA MATAR OS ESTUDANTES, AGORA COMEÇA A DESMONTAR O FORO DE SÃO PAULO

É  o que  dá  deixar  o Brasil nas  mãos  de um analfabeto  como Presidente e  uma estrangeira  bulgara Dilma, esses  dois ferraram  o BRASIL, a  VENEZUELA, e  só não  foram mais pra  frente  graças as  DENUNCIAS,  E  AINDA  PARA COMPLETAR, ELES  QUEBRARAM NÃO  SÓ  A PETROBRAS, MAS,  A  VALE  DO  RIO  DOCE, BNDES agora  o PMDB  não quer  o  impeachment  da  DILMA, pela simples razão, levará  junto  MICHEL TEMER.



A investigação criminal sobre o presidente brasileiro Lula da Silva no Brasil foi inaugurada em meados de abril. A bomba notícia foi divulgada pela revista Cambio 30ABR15 noite e juntou-se aos sinais dos corrupción cometidos por altos funcionários do Partido dos Trabalhadores em seu próprio benefício, da organização do partido e grandes empresas privadas brasileiras.


*****

A 23MAR14 Relatório Otálvora, publicado pela primeira vez por Diario Las Américas, delineou os esforços de Lula a governos estrangeiros. O líder esquerdista que salió de 31DIC10 a Presidência mantém grande poder no governo de seu sucessor Dilma Rousseff e protegidos e continuou como relatório empresas promotoras brasileñas.

En Otálvora que poderia ser lido: "Na noite de 02JUN11, de Cuba, Lula visitou Chávez acompanhado pelo Presidente do Conselho de Administração da Odebrecht, Emílio Odebrecht. O governo venezuelano manteve uma dívida de bilhões de dólares para a empresa de construção civil Odebrecht. 


A visita de Lula ao palácio presidencial Miraflores coincidiu com o pagamento de parte da dívida, de acordo com várias fontes. 

Naquela noite, também, Chávez Odebrecht atribuído um novo contrato para US $ 4.000 milhões de euros. " Esta informação foi posteriormente confirmada por vários meios de comunicação brasileiros, revelando que as relações "ideológicas" do regime de Lula e Chávez aceitabanlos entre o governo venezuelano e as empresas brasileiras que beneficiam de obras públicas administrativas geralmente atribuído sem concurso.
SÃO CARTUCHOS DO BRASIL  NA VENEZUELA 

*****

O papel dos lobistas é normalmente exercida por ex mandatarios em muitos países diferentes e, geralmente, não é considerado um crime. Mas Lula não teria sido limitado a usar suas conexões políticas para "ajudar" nos negócios complicados com outros governos. 

O Escritório do Brasil República de suspeita Lula fora da Presidência e usando suas influências, recursos canalizados a partir do Estado BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social obras executadas pela Odebrecht cuja construção é lobista para o governo da República República Dominicana e Cuba. 

De acordo com a revista Time, o BNDES destinou US $ 4 bilhões para projetos atribuídos a Odebrecht na Venezuela, Cuba, República Dominicana e Gana, durante os governos de Lula e Dilma Rousseff, em que se suspeita de superfaturamento, além de ter tido condições financiamento excepcional, sem garantias de desempenho. "tráfico de influência em transação internacional" e "tráfico de influência" crimes sob o Código Penal Brasileiro, seriam levados a Lula na abertura de investigações judiciais.

*****

O Ministério Público brasileiro seria voltada para a questão da atribuição de empréstimos do BNDES a governos estrangeiros desde 2011, com Lula fora do governo. Várias fontes brasileiros consultados para este relatório diz que a tendência será a de analisar todos os empréstimos concedidos pelo BNDES a empresas de construção brasileiras para realizar obras no exterior por governos do PT iniciado em 2003. 

O porto de Mariel, em Cuba, pontes sobre o rio Orinoco, na Venezuela, Caracas metro funciona, o centro Dominicana termelétrica Punta Catalina, seria apenas parte da lista de obras no porto de Mariel entredicho.

En, projeto central na estratégia do regime cubano de abertura econômica, o BNDES faria fornecida, de acordo com algumas fontes, US $ 628 milhões, equivalentes a 72% do valor declarado das obras. Outras fontes estimam em US $ 1.092 milhões os recursos totais canalizados para o porto brasileiro de Mariel, que foi "aberta" por Raul Castro eo 27ENE14 Dilma Rousseff e Lula visitou um mês depois.

*****

A incerteza a respeito dos valores contribuídos pelo Brasil para trabalhar governos aliados de Lula é devido ao sigilo legal com o qual o BNDES gerencia. 

No entanto, recentes comentários do Tribunal de Contas da União do Brasil, têm demonstrado que as dotações para o trabalho em países como a Venezuela ou Cuba durante os governos do PT foram decididos por acordos políticos Lula com Castro ou Hugo Chávez irmãos. 

Os fundos foram concedidos à empresa brasileira de construção civil sem títulos de desempenho do banco, oficialmente como o devedor foi o governo revista extranjero.

La Time, em sua edição de 04ABR15, referidas obras do Metrô de Caracas, negociado por Lula e Chavez em 2009, atribuído sem licitação Odebrechtcon financiamento do BNDES para 747 milhões dólares americanos.

O 29ABR15 o bloco de oposição no Senado brasileiro impôs uma mudança na legislação relativa ao financiamento concedido pelo BNDES aos governos estrangeiros. Medida Provisória 661 terminaria o suposto segredo pelo Banco do Estado sobre os termos do financiamento de projetos de governos estrangeiros. 

Na época do presente relatório, a presidente Dilma Rousseff não havia sancionado ou vetado reforma da lei.

*****

Lula não é o único chefe político brasileiro funciona como intermediária entre governos estrangeiros e um grande negócio neste país. José ZéDirceu, co-fundador do Partido dos Trabalhadores com Lula, têm sido as empresas brasileiras entroncando muito ativa, com vários governos estrangeiros, especialmente o de Hugo Chávez. 

Dirceu, que era o poderoso ministro da Casa Civil (Presidente), no início do governo Lula, foi julgado e condenado em 2012 por corrupção, como chefe do esquema de compra de votos de parlamentares com recursos públicos. 

Nesse caso, denominado "escândalo do Mensalão" Dirceu feita fora do governo Lula em 2005 e foi seu status ultrajante de deputado. Dirceu tornou-se um operador político lulismo sigiloso e "conselheiro" para empresas brasileiras e estrangeiras que ofereciam os seus conhecimentos e relações dentro do governo de Lula e Dilma Rousseff, e suas relações especiais com os governos da Venezuela, Cuba, Nicarágua , Bolívia e Equador.

*****

O nome da empresa ZéDirceu, JD Assessoria e Consultoria, apareceu na lista de beneficiários de pagamentos incomuns de empresas envolvidas no esquema de corrupção com a Petrobras, conhecido como "Lava Jato". 

O caso, que atualmente já em tribunal, envolvendo grandes corporações brasileiras como a OAS, Camargo Correa, Odebrecht, a Engevix, UTC, Queiroz Galvão, Mendes Junior, Galvão Engenharia e IESA Óleo & Gásempresas. Empresas, muitos beneficiários também negócios com governos estrangeiros amigos de Lula, a Petrobras teria recebido contratos sem licitação em troca de financiamento orientada PT e seus líderes seniores. 

Lava Jato escândalo apontou diretamente Dilma Rousseff, que foi presidente do Conselho de Administração da Petrobras, mencionar que na sua qualidade de candidato presidencial da campanha do PT poderia ter beneficiado de financiamento dos contratantes.

*****

Um efeito colateral das investigações do escândalo Lava Jato foi a descoberta das atividades da "ajuda internacional" Dirceu, que, como Lula foi dedicado a abrir as portas do gabinete do presidente venezuelano, em troca de recompensas. Aldo Vendramin, proprietário de uma empresa brasileira de construção com base no estado do Paraná, asas autoridades judiciais e revelou à imprensa ter pago para o acesso a Hugo Chávez. 

A empresa Vendramin, ConsiluxTecnologia, que não faz parte das grandes empresas de construção brasileiras ganhou contratos governo de Chávez em 2006, depois de uma viagem de negócios a Caracas organizada pelo então governador do Paraná e atual senador proficialista Roberto Requião. Segundo Vendramin, desde 2011 ele contratou Dirceu para garantir o pagamento de dívidas do governo da Venezuela. 

"Dirceu me levou três vezes para Habar Chavez, pessoalmente, depois que o dinheiro começou a ir mais rápido", confessou o São Paulo jornal Folha Vendramin. 

A gigante da mineração Vale do Rio Doce, também, havia contratado Dirceu para ser recebidos por Chávez e Fidel Castro.

La produtor brasileiro de bebidas Ambev, o jornal O Globo, contratou Dirceu para impedir Chávez ordenou a expropriação de suas fábricas Venezuela.

Um nome particularmente notável na lista de clientes ZéDirceu é o venezuelano Gustavo Cisneros, que tenham assinado brasileiro para realizar lobby junto ao governo de Hugo Chávez.A expirou em meados de 2012 a concessão de canal de sinal aberto Venevision e Cisneros faria recorreram à esquerda amigos brasileiros Chávez que garanta uma renovação. A concessão 23MAY12 Venevisiónfue renovadapor cinco anos.

*****

O enjuiciamientode Lula da Silva e Dilma Rousseff impeachment e entrou na agenda política no Brasil. O negócio grande e principal partido da oposição (o tucanoPSDB de Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves) ainda está hesitante em se aventurar em um processo para a remoção de Rousseff, mas a possibilidade de neutralizar judicial Lula começa a ganhar apoio. 

Cardoso mostrado pouco batido um caminho que leva para demitir o presidente, seu partido ordenou um grupo de juristas para estudar a viabilidade jurídica de impeachment. O influente senador tucano AloysioNunes escribió sua conta Facebook 27ABR15: "Impeachment é a maneira mais difícil (...) defender aberto um inquérito [Rousseff] por crime comum contra a Lei de Responsabilidade Fiscal" .

O impeachment prosperar apenas com os votos do PMDB no Congresso mas isso poderia empurrar o precipício próprio vice-presidente Michel Temer, chefe do partido. Dilma e Lula foram devidamente lembrado.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog