GAZETA CENTRAL INSTAGRAM

SÃO INFORMAÇÕES DESENCONTRADAS SOBRE A MORTE DE FIDEL, ATUALIZANDO AS INFORMAÇÕES DE CANCER MATOU FIDEL ALEJANDRO CASTRO RUZ AOS 87 ANOS DE IDADE ! NE, A EMBAIXADA DE CUBA FAZ UMA CONFIRMAÇÃO OFICIAL E NEM RAUL CASTRO, DE FATO FIDEL ESTAVA INTERNADO BEM GRAVE!


 Fidel Alejandro Castro Ruz (Birán, 13 de agosto de 1926) é um revolucionário comunistacubano, primeiro presidente do Conselho de Estado da República de Cuba (1976-2008). Até 2006 foi primeiro-secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba2 .
Castro nunca foi eleito através de eleições diretas, não permitiu a criação de partidos de oposição, nem liberdade de imprensa – Cuba é considerado um dos países com menor liberdade de imprensa do mundo – durante o período em que esteve como líder do regime ditatorial cubano.3 4 Seu governo foi e continua sendo amplamente criticado pela comunidade internacional por violações aos direitos humanos.5 6 7 Apesar das controvérsias, foi durante o governo de Castro que Cuba alcançou altos índices de desenvolvimento humano e social e deu diversos exemplos de solidariedade humanitária, como a menor taxa de mortalidade infantil das Américas8 , erradicação do analfabetismo9 e da desnutrição infantil10 , tratamento gratuito de mais de 124 mil vítimas do acidente nuclear de Chernobyl11 , participação direta na luta pelo fim do Apartheid na África do Sul12 , treinamento de médicos do Timor Leste13 , entre outros.
Líder e secretário-geral do partido desde sua fundação, em 1965, em 19 de abril de 2011, Fidel, que já havia entregue o cargo de presidente em 2006, foi substituído como secretário-geral do Partido Comunista Cubano por seu irmão, Raúl Castro, retirando-se oficialmente da vida política do país.14 15
Ganhou o Prêmio Olivo da Paz do Conselho Mundial da Paz em 2011 pela coexistência pacífica entre as nações e por ser uma personalidade que contribuiu para o desarmamento.16

Infância e estudos

Castro nasceu fora do casamento na fazenda de seu pai em 13 de agosto de 1926.17 Seu pai, Ángel Castro y Argiz, foi um migrante de Cuba a partir da Galizanoroeste da Espanha.18 Ele tinha se tornado um bem sucedido produtor de cana-de-açúcar na fazenda de Las Manacas, emBiránProvíncia do Oriente,19 e depois do colapso do seu primeiro casamento, ele tomou sua serva doméstica, Lina Ruz González, como sua amante e mais tarde sua segunda esposa; juntos eles tiveram sete filhos, entre eles Fidel.20 Com 6 anos de idade, Castro foi enviado para viver com seu professor, em Santiago de Cuba,21 antes de ser batizado na Igreja Católica Romana aos 8 anos.22 Ser batizado habilitou Fidel a estudar no colégio La Salle, em Santiago, onde regularmente se comportava mal, e por isso foi enviado ao financiamento privado, a escolajesuíta Dolores, em Santiago.23 Em 1945 transferiu-se para o colégio jesuíta mais prestigiado, El Colegio de Belén, em Havana.24 Embora ele tivesse um interesse em história, geografia e debatido em Belén, ele não se destacou academicamente, em vez disso dedicou boa parte de seu tempo a praticar esportes.25
Em 1945, Castro começou a estudar Direito na Universidade de Havana.26 Admitindo que ele era "politicamente analfabeto", se envolveu em ativismo estudantil,27 e a violenta cultura gangsterista dentro da universidade.28 Apaixonado por anti-imperialismo e opondo-se a intervenção dos Estados Unidos no Caribe,29 ele, sem sucesso, fez campanha para a presidência da Federação de Estudantes Universitários (Federación Estudiantíl Universitaria - FEU) com uma plataforma de "honestidade, decência e justiça".30 Tornou-se crítico da corrupção e violência do governo do presidente Ramón Grau, com um discurso público sobre o assunto em novembro de 1946, que lhe valeu um lugar na primeira página de vários jornais.31
Em 1947, Castro entrou para o Partido Socialista do Povo Cubano (Partido Ortodoxo), fundado pelo político veterano Eduardo Chibás. Uma figura carismática, Chibás defendeu a justiça social, o governo honesto, e liberdade política, enquanto que o seu partido estava exposto a corrupção e exigia reformas. Apesar de Chibás perder a eleição, Castro permaneceu empenhado em trabalhar em seu nome.32 A violência estudantil em Grau logo se intensificou empregando líderes de gangues como policiais, e Castro logo recebeu uma ameaça de morte instando-o a deixar a universidade; recusando-se, começou a carregar uma arma e a cercar-se de amigos armados.33 Nos anos posteriores dissidentes anti-Castro o acusaram de cometer assassinatos relacionados com gangues na época, mas isto permanecem sem comprovação.34

 A partir de 1959 tem viajado a uma infinidade de países da América Latina, Europa, África eAmérica do Norte, para representar Cuba em congressos e conferências dos mais diversos tipos e organizações, assim como em outras atividades oficiais e visitas amistosas. Em 1959 foi ao Brasil, onde foi recebido pelo presidente Juscelino Kubitschek. Anteriormente já havia se encontrado com o deputado Jânio Quadros (que depois viria a ser presidente do Brasil). Em 2012, o jornal alemão Die Welt noticiou que, no contexto na Crise dos Mísseis de 1962, diante dos riscos de uma possível invasão à ilha, Fidel Castro teria contratado antigos soldados nazis das SS para treinar os militares cubanos. A partir da repercussão da matéria, o Jornal de Noticias informa que os serviços secretos alemães teriam como certa a presença em Cuba de pelo menos dois dos quatro membros das SS convidados pelo regime de Fidel Castro, que teriam ido para Cuba ganhar salários quatro vezes superiores ao que um alemão médio auferia naquela época36 . Ainda, segundo a mesma fonte, no mesmo ano Fidel Castro teria tentado comprar armamento belga através de intermediários da extrema-direita alemã.
Em 13 de março de 1995, Fidel faz sua primeira visita à França, a uma potência ocidental desde a revolução de 1959. Na ocasião, Fidel declarou que a visita significava o fim do apartheid imposto a Cuba pelo Ocidente e atacou o bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos há mais de três décadas.37
De especial significado tem sido sua presença nas cúpulas do Movimento de Países Não-Alinhados. Documentos políticos, discursos, intervenções, artigos e entrevistas suas têm sido difundidos em livros próprios ou compilações, em filmes e nos mais importantes órgãos de imprensa escrita e emissoras de rádio e televisão de Cuba e de todo o mundo. Em 1961 foi-lhe atribuído o Prêmio Lênin da Paz.
Várias universidades da Europa e América Latina lhe conferiram o título de Doctor Honoris Causa. Tem recebido também múltiplas condecorações por seu labor em prol das relações com outros países, assim como o Prêmio Mijail Sholojov outorgado pela União de Escritores da Rússia em 1995.

Transferência inédita e retirada de poder

Em 26 de julho de 2006, Fidel Castro ia a bordo de um avião que fazia a viagem entre as cidades cubanas de Holguín e Havana quando teve uma primeira hemorragia relacionada com a doença nos intestinos que o afastou da vida pública.
Não havia nenhum médico a bordo do avião, por isso o aparelho aterrou de emergência para que Fidel Castro fosse hospitalizado. A doença do líder histórico cubano foi então considerada segredo de Estado, mas foram mobilizados os melhores médicos e quatro meses depois, o médico espanhol José Luis Garcia Sabrido, chefe de cirurgia do hospital Gregório Marañón em Madrid, viajou até Cuba para acompanhar a situação38 .
Em 1 de agosto de 2006, Fidel Castro delegou em caráter provisório, por conta de uma doença intestinal que, segundo o próprio, seria grave,39 suas funções de comandante supremo das Forças Armadas, secretário-geral do Partido Comunista de Cuba e de presidente do Conselho de Estado (cargo máximo da República Cubana) ao seu irmão Raúl Castro, Ministro da Defesa. Inúmeras críticas surgiram, e em outubro de 2006 a imprensa mundial afirmou que ele tem um câncer,40 fato não confirmado.
Em 19 de fevereiro de 2008, Castro anunciou ao jornal do Partido Comunista, o Granma, que não se recandidataria ao cargo de presidente deCuba, cinco dias antes de o seu mandato terminar.1
O poder passou em definitivo para as mãos de seu irmão Raúl Castro após Fidel Castro decidir retirar-se do poder em 24 de fevereiro de 2008, após o parlamento definir a nova cúpula governamental.1 Cinco dias depois, Fidel anunciou que não aceitaria novamente, se eleito, o cargo de Chefe de Estado. Em uma mensagem publicada no jornal oficial Granma, ele escreveu e assinou:
Não aspirarei nem aceitarei - repito - não aspirarei nem aceitarei o cargo de Presidente do Conselho de Estado e Comandante-em-Chefe.41
Ele também escreveu que estaria traindo sua consciência ocupando uma responsabilidade que requer uma mobilidade que não estaria mais em condições físicas de exercer.
Mesmo com a resignação de Castro, o ex-presidente americanoGeorge Bush, não retirou as sanções americanas impostas a Cuba. Fidel Castro diz que continuará escrevendo sua coluna no jornal cubano e não pode continuar no poder por insuficiência em sua saúde. Ele permaneceu como membro do parlamento após a sua eleição como um dos 31 membros do Conselho de Estado. Também manterá o cargo de primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba.

Família

Com sua primeira esposa, Mirta Díaz Balart, Fidel Castro tem um filho chamado Fidel "Fidelito" Castro Díaz-Balart. Mirta e Fidel divorciaram-seem 1955, tendo ela se casado novamente e, após uma temporada em Madrid, teria voltado a residir em Havana para viver com Fidelito e sua família.42 Fidelito cresceu em Cuba e por um período dirigiu a comissão para a energia atômica do país, tendo sido retirado do posto por seu pai.43
Fidel tem outros cinco filhos com sua segunda esposa, Dalia Soto del Valle: Alexis, Alexander, Alejandro, Antonio e Ángel.43
Durante seu casamento com Mirta, Fidel teve uma amante, Naty Revuelta, que lhe deu uma filha, Alina Fernández-Revuelta,43 que deixou Cuba em 1993 fazendo-se passar por uma turista espanhola44 e pediu asilo nos Estados Unidos, onde tem sido uma ferrenha crítica das ações políticas de seu pai.
Uma irmã de Fidel, Juanita Castro, vive nos Estados Unidos desde o início da década de 1960, tendo sido retratada num documentário de Andy Warhol em 1965.45

Patrimônio

Em 2005 a revista Forbes especulou que o patrimônio de Fidel Castro atingiria aproximadamente 550 milhões de dólares. A Forbes chegou a esse número pela soma do patrimônio das empresas estatais do governo de Cuba. Com essa fortuna acumulada, especulou a revista, ele teria alcançado o décimo lugar na categoria "governantes e membros da realeza mais ricos do mundo".46
Forbes disse à BBC que, para estimar a presumível fortuna de Fidel, calculou o valor de mercado de várias empresas estatais cubanas, e atribuiu um percentual do valor assim obtido ao patrimônio pessoal de Fidel Castro. Um porta voz da revista confirmou à BBC que a revista não tem nenhuma prova de que Fidel Castro tenha contas bancárias no exterior, embora a revista mantenha que Fidel teria "uma fortuna".47
Esses dados foram prontamente negados por Fidel, que considerou a notícia uma infâmia.48 Na oportunidade, Fidel Castro desafiou:
Se eles provarem que tenho um conta no exterior de 900 milhões, de um milhão, de 500 mil, de 100 mil ou de um dólar, eu renuncio a meu cargo e às funções que desempenho.
Fidel ainda alegou que a revista estaria ligada aos serviços de inteligência dos Estados Unidos, e afirmou que o presidente Ronald Reaganteria nomeado o editor da revista para o cargo de coordenador das transmissões de rádio da Voz da América dirigidas à União Soviéticadurante a Guerra Fria.47 Ainda segundo Fidel, muitos meios de comunicação, por todo o mundo, estariam buscando, "de maneira suja e baixa, desprestigiar a Revolução, anular Cuba e pintar Castro como um ladrão".


GAZETA CENTRAL INFORMAÇÕES

15º Presidente de Cuba Cuba
Mandato2 de dezembro de 1976
24 de fevereiro de 20081
Vice-presidentenenhum
Antecessor(a)Osvaldo Dorticós Torrado
Sucessor(a)Raúl Castro
Primeiro-ministro de Cuba Cuba
Mandato16 de fevereiro de 1959
2 de dezembro de 1976
Antecessor(a)José Miró Cardona
Sucessor(a)Raúl Castro
Primeiro-Secretário do Partido Comunista de Cuba
Mandato3 de outubro de 1965
19 de abril de 2011
Vida
Nascimento13 de agosto de 1926 (87 anos)
Birán (Holguín) Faleceu  em  20 de abril de  2014,ao  meio  dia, de cancer.
Dados pessoais
CônjugeMirta Diaz-Balart (1948–1955)
Dalia Soto del Valle (1980–presente)
PartidoPartido Comunista
ReligiãoAteísmo
ProfissãoAdvogado
Assinatura
JUANITA  CASTRO 
Assinatura de Fidel Castro
Juanita de Castro, irmã do líder cubano que vive na Flórida, negou na sexta-feira que iria viajar para visitar a família em CUBA ,Eu não tenho nenhuma novidade. Não tenho planos de viajar. Isso não é verdade... São apenas rumores, tudo isso é absurdo - disse à agência AP.


. Em seu blog, o jornalista Nelson Bocaranda confirmou na quinta-feira a morte cerebral, também sem citar fontes.

O apresentador do canal americano Univisión Raúl de Molina também afirmou em sua conta no Twitter que “uma boa fonte” confirmava a morte do líder cubano


Sabemos que a saúde do ditador se deteriorou por mais de 50 anos de tal forma nos últimos meses que ele permaneceu ligado a um pulmão artificial como a única forma de o manter com ‘vida’, ainda que artificial”, escreveu. “Antes de 72 horas o governo de Raúl Castro fará o anúncio da morte do líder revolucionário”. Segundo ele, já estariam inclusive se preparando cerimônias de despedida, para as quais seriam esperados líderes de Estado liderados por Chávez.





DEMOCRATIZAÇÃO NÃO DEVE BROTAR DA MORTE DE FIDEL

ENTREVISTA-Democratização não deve brotar da morte de Fidel
“A transição será lenta e dependerá também da morte de Raúl Castro”
 
Gazeta do Povo – Como a senhora analisa o legado de Fidel Castro?
“A transição será lenta e dependerá também da morte de Raúl Castro”
 
Gazeta do Povo – Como a senhora analisa o legado de Fidel Castro?
Sabrina Evangelista* – A maior relevância de Fidel Castro hoje é a permanência de um Estado que se auto-intitula comunista, balizado em três comandos de estado fundamentais. Os três pilares são as Forças Armadas, o governo e o partido. O poder tripartite centrado em Fidel e não no modelo clássico centrado nos três poderes: Executivo, Judiciário e Legislativo. A Revolução Cubana foi bastante independente no cenário da Guerra Fria. Só ganhou reconhecimento do partido comunista soviético dois anos depois.

Qual deve ser o futuro da ilha sem o seu líder?
A expectativa da morte de Fidel Castro é anterior ao que está se vendo hoje. A própria CIA desenhou cenários possíveis com a morte de Fidel. Nos últimos anos, eles previam duas vias: Fidel morre e deixa como sucessor o Raúl Castro ou Raúl morre antes. O primeiro cenário é o mais provável. Se Raúl morresse antes, a morte de Fidel teria mais impacto. Especialistas dizem que o aviso da morte de Fidel jamais vai ser dado antes da ocupação das ruas. Não se vai deixar os conflitos populares tomarem conta das ruas antes de se ter o controle da situação. Ou seja, não irão avisar que Fidel morreu. Não há imprensa livre e as informações são sigilosas.
Como a população vê Fidel?
Nas ruas, se sente que as pessoas pobres têm grande admiração pela figura jesuítica de Fidel, mas a maior parte delas quer mudança de vida. A juventude é majoritariamente contra o Fidel. Pessoas acima de 50 anos tendem a apoiar o governo pelas conquistas heróicas dele e pelas garantias de insumos básicos. A juventude quer mais coisas do estado. A cesta básica não cumpre as exigências dos jovens, que não querem mais o regime só para não morrer de fome. A prostituição feminina é absurdamente alta e representa a grande chance de se casarem e saírem do país. Boa parte dos jovens se dedica às escolas de turismo, que permite a eles estágios no exterior. Todos pensam nessa vida fora de Cuba.
Raúl Castro terá legitimidade para liderar?
Não é tão simples assim e a democratização não irá romper da morte de Fidel. É constestável se Raúl terá legitimidade política suficiente para se manter no poder. A dúvida é se o governo do EUA ficará primeiro como observador, ou se vai criar proposta de intervenção. Os EUA não podem ter qualquer relação diplomática com Cuba, segundo a legislação de embargo norte-americana, sem que esteja estabelecida a democracia completa no país. Pode haver um cenário de estabilidade relativa quando Raúl assumir. Ele pode contornar os movimentos anti-castristas, mas progressivamente pode perder legitimidade e essas lideranças podem acabar criando um campo para que a democracia seja reestabelecida.
O que Fidel representa hoje para os EUA? A maior preocupação na América Latina será Hugo Chávez?
Hoje Fidel não é a maior preocupação dos EUA. Os lastros de Cuba na América Latina são muito pequenos, enquantos os chavistas são maiores, especialmente no concatenamento das esquerdas sul-americanas e no boicote aos Tratados de Livre-Comércio com os EUA. Chávez e Evo Morales são uma força de oposição muito mais forte do que Fidel Castro.
O que sustentou a estabilidade de Fidel por tantas décadas?
primeira-ministra da Jamaica, Portia Simpson-Miller, e Fidel Castro, em Havana, nesta segunda-feira (27). (Foto: Alex Castro/Cubadebate/AP)
FOTO  DO DIA  28  DE JANEIRO  DE 2014, VEJAM  A EXPRESSÃO  DELE
A sustentabilidade do regime se deu com o apoio soviético após o estabelecimento da revolução. A figura notória popular de Fidel, a submissão da população ao regime, ao controle efetivo, o fato de Cuba ser uma ilha (o que propicia o isolamento), a impossibilidade da guerra por terra. Não creio que, nos últimos 20 anos, fosse interessante para o governo dos EUA criar uma intervenção militar. Houve também uma paciência em relação à morte de Fidel Castro, tendo em vista que eles (os EUA) acreditam que a democratização será inevitável e que a oposição vai vencer quaisquer fontes de substituição de Fidel no partido comunista. Não teria sido possível a legitimidade dessa ditadura, de não liberdade, se não fossem também as condições econômicas que fizeram com que este regime sobrevivesse. (KC)



Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog