Nossos Leitores Obrigado Por Ler

Jairo da Marinete Elias Gleizer NÃO MORREU VIVE NOS NOSSOS CORAÇÕES OBRIGADO

Para mim ele foi sempre o Jairo da Marinete, personagem que interpretou como ninguém (na foto, com Rosane Gofman) na minha novela “Tieta”. Não que ele não tenha vivido outros personagens marcantes. PALAVRAS  DE  AGUINALDO SILVA 


Era um exímio criador de tipos, tinha um talento raro para valorizar os bordões que os autores lhe davam… Enfim: era um grande ator da velha guarda, mais um que se foi, mas que, se depender de mim e de milhares de telespectadores que o viram atuar nunca será esquecido.

Filho de judeus poloneses que fugiram da perseguição na Europa, Elias Gleizer apareceu na TV Tupi, em fim da década de 1950. Fez a novela José do Egito, em 1959. 

Depois engatou uma série enorme de novelas e outros teleteatros, na TV Tupi. Fez nada menos que 25 trabalhos. Seu tipo bonachão, um corpo grande, aliados ao olhar doce, encaixam-se sempre em variados papéis. 

Dessas 25 novelas, fez Se o Mar Contasse, O Mestiço, Olho Que Amei, A Outra, A Inimiga, A Ré Misteriosa, Os Irmãos Corsos, Presídio de Mulheres, Os Rebeldes, Antônio Maria, Nino, o Italianinho, Simplesmente Maria, 

A Fábrica, Signo da Esperança, Rosa dos Ventos, Salário Mínimo, Xeque-Mate e O Machão. Quando a TV Tupi foi fechada, Elias Gleizer foi para a TV Bandeirantes, onde trabalhou em Dona Santa e Sabor de Mel. No SBT fez Acorrentada e Uma Esperança no Ar. Foi quando ingressou na Rede Globo. 

E mais uma vez, engatilhou uma série de 25 participações em teledramaturgia. Seu tipo físico e seu jeito de atuar, parece abrirem-lhe os caminhos. Jamais se casou nem teve filhos.

Internado desde o dia 6 de maio após sofrer uma queda em uma escada rolante resultando em fratura de cinco costelas e perfuração do pulmão, morreu em decorrência de complicações que levaram à falência circulatória após uma broncopneumonia.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog