Nossos Leitores Obrigado Por Ler

MICROCEFALIA : OMS E ANVISA : SERÁ QUE MENTIRAM OU A FALTA DO IODO É A CAUSA : HIPOTIRODISMO CAUSA ATRASOS NO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DO BEBE, O CRETINISMO <<>>> ALERTA A VACINA CONTRA A MICROCEFALIA PODE ESTAR RETARDANDO O TEMPO DE NASCIMENTO DA CRIANÇA PARA 40 SEMANAS E NA VERDADE JÁ ESTÁ COM 45 SEMANAS <<>> POR VIA DE DÚVIDA É MELHOR PREVENIR <<>> CABE INTERNAÇÃO DA MAMÃE !








RENATO SANTOS 13/02/2017    O Plano do controle da População  está  em andamento no Brasil e as pessoas ainda não perceberam, trata-se da falta do iodo no sal e nos alimentos. 

Com a mentira que a ANVISA publicou e todos acreditaram, hoje traz consequências as mulheres gestantes que precisam aplicar o iodo , já que não há  no uso natural das coisas. 

E há uma suspeita que a falta dele prejudica até o sistema neurológico do bebe, a qual é possível que a microcefalia esteja associada.

A Pergunta que surge é por que a Imprensa ficou calada ao tempo todo, faço aqui duas observações: 

Estava no Terminal do jardim São João . no dia 10 de fevereiro no ponto de onibus do Vila Rica. 

Quando ouvi uma conversa entre uma gestante e uma agente de saúde, a qual ela falava que estava com 40 semanas de gestação, quando chego em casa me deparo com uma notícia de que uma outra gestante perdeu o bebe por causa de 5 semanas que faltava para nascer em ITAPEVI .

No mesmo dia a RECORD TV, publicou uma matéria sobre uma mãe que perdeu seu filho, faltando apenas 5 semanas para dar a luz, seria um erro médico ou a contagem errada , isso precisa ser investigado mais profundo, por outro lado chamo atenção para perguntar se a mãe chegou  tomar a vacina contra a microcefalia,  ela pode retardar a contagem isso é enganar, sendo 40 semanas e na verdade já é 45 semanas , chamo atenção por isso, os médicos em meio a dúvida é melhor internar a mãe.

VAMOS RELEMBRAR O FATO : 

Um pai e uma mãe enterraram a filha com um dia de vida na Grande São Paulo. Era o primeiro filho do casal Márcio e Márcia. Uma gravidez tranquila, mas com um fim trágico. Segundo os pais da pequena Mayara, o hospital se negou a realizar o parto na hora certa. Márcio conta que chegou a questionar o hospital por dois dias sobre a necessidade de realizar a cesárea. Após 36 horas de vida, a bebê morreu. A médica que realizou o parto disse ao pai da criança que "passou da hora da Mayara nascer". No atestado de óbito, emitido pelo Hospital Geral de Itapevi, na Grande São Paulo, consta que a bebê morreu em decorrência de um choque séptico e sepse precoce, é como chamam a infecção generalizada. 





LEMBRAM DISSO EM 2013 ? SEGUINDO A OMS COMUNISTA .

A nova medida da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que diminui o teor de iodo adicionado no sal, provocou um debate entre especialistas.
Mais refeições fora de casa e o aumento do consumo de produtos industrializados deixaram a alimentação do brasileiro salgada demais. Com isso, cresceu também a ingestão de iodo, que é acrescentado ao sal para evitar doenças, como o bócio, um aumento no volume da glândula da tireoide.
Os fabricantes têm 90 dias para fazer adaptações. Hoje, a quantidade de iodo que as indústrias podem adicionar ao sal varia entre 20mg e  60mg por quilo. Ela terá que ser reduzida para, no mínimo, 15mg e, no máximo, 45mg por quilo de sal
“Deveríamos focar na redução do consumo de sal e não na redução da iodação do sal, uma vez que doenças muito graves cardiovasculares estão associadas com essa ingestão excessiva de sal", explica Carmen Pazos de Moura, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia.
Sanduíche com salsicha ou mortadela, comida pronta congelada. São opções práticas para refeições rápidas. O problema é a quantidade de sal nestes alimentos. Por exemplo, um prato com um macarrão instantâneo, quando a gente acrescenta o tempero pronto e duas colheres de queijo ralados, temos, nesta refeição, cinco gramas de sal.
Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome em média 12 gramas de sal por dia - uma das maiores taxas do mundo.
“Hoje, nós temos uma faixa de iodação de 35 miligramas de iodo por quilo de sal. Dá uma média de 400 microgramas por dia, enquanto que a Organização Mundial de Saúde recomenda que para adulto, o ideal seria 130 microgramas por dia. Então, nós estamos ultrapassando o dobro do que nós deveríamos consumir de iodo por dia”, diz Denise Resende, gerente de Alimentos da Anvisa.
A Anvisa esclareceu ainda que fez um acordo com a indústria para a redução de sal nos alimentos até 2020.

PRIMEIRO CASOS DE MICROCEFALIA  =  Quero chamar atenção da microcefalia que  os  Especialista não falam a verdade, e esconde, mas algo me chamou atenção diante de tanta pesquisas, e o que me alertou foi exatamente  " hipotiroidismo materno .
Hipotiroidismo 

(português europeu) ou hipotireoidismo (português brasileiro) é uma doença do sistema endócrino em que a glândula tiroide não produz hormonas da tiroide em quantidade suficiente. 

A condição pode causar uma série de sintomas, como a falta de tolerância ao frio, fadiga, obstipaçãodepressão e ganho de peso. 

Em alguns casos pode ocorrer aumento de volume da parte da frente do pescoço devido a um bócio. Se o hipotiroidismo durante a gravidez não for tratado, pode causar atrasos no crescimento e desenvolvimento intelectual do bebé, uma condição denominada cretinismo.

A causa mais comum de hipotiroidismo na generalidade do mundo é a deficiência de iodo na dieta. Nos países com iodo suficiente na dieta, a principal causa da doença é uma doença autoimune denominada tiroidite de Hashimoto. 

Entre as causas menos comuns estão um tratamento anterior com iodo radioativo, lesões no hipotálamo ou na adenoipófise, determinados medicamentos, hipotiroidismo congénito ou uma cirurgia à tiroide anterior. 

A suspeita de um diagnóstico de hipotiroidismo pode ser confirmada com análises ao sangue, que avaliam os valores de hormona estimulante da tiroide (TSH) e tiroxina. 

O hipotiroidismo sub-clínico é uma forma pouco grave de hipotiroidismo caracterizada por valores de tiroxina normais e valores de TSH acima do normal.

A prevenção ao nível da população em geral tem sido feita com a iodização do sal. O hipotiroidismo pode ser tratado com a hormona sintética levotiroxina. 

A dose é ajustada de acordo com os sintomas e da normalização dos valores da tiroxina e de TSH. A medicação para a tiroide é segura durante a gravidez. Embora seja importante alguma quantidade de iodo na dieta, o iodo em excesso pode agravar determinados tipos de hipotiroidismo.

Estima-se que em todo o mundo hajam mil milhões de pessoas com deficiência de iodo. No entanto, desconhece-se qual a percentagem que resulta em hipotiroidismo. 

Nos Estados Unidos, o hipotiroidismo afeta 0,3–0,4% das pessoas. Estima-se que o hipotiroidismo sub-clínico ocorra em 4,3–8,5% das pessoas nos Estados Unidos. O hipotiroidismo é mais comum entre mulheres do que em homens. 

As pessoas com mais de 60 anos são afetadas com maior frequência. A doença também ocorre em cães e, em casos raros, gatos e cavalos. 

O termo "hipotiroidismo" tem origem no grego hypo- ("diminuído"), thyreos ("escudo") e eidos ("forma)".

VEJAM AS CONSEQUÊNCIAS DA FALTA DO IODO NA GRAVIDES:

Estudo realizado com mulheres britânicas mostra que deficiência de iodo durante a gestação gera crianças com índices mais baixos de QI, especialmente no que se refere à comunicação verbal, à precisão e à compreensão de leitura. 

A Revista CRESCER , numa matéria publicada em 28/05/2013, faz um alerta sobre o assunto, e hoje a RECORD TV, fez uma matéria sobre o assunto, no programa HOJE EM DIA,  na data 13/02/2017, confirmando que  a GAZETA CENTRAL, alertava a falta do iodo pode sim prejudicar o bebe durante a gestação. 

Antes disso a cantora Kelly, fez uma revelação que toma iodo e ela foi muito criticada, mas, tem um motivo não só o QI, mas a possibilidade de evitar a microcefalia, isso a Imprensa não publicou por que será, né ?. 

Mas a GAZETA CENTRAL ( BLOG), foi descobrir  o assunto não com objetivo de causa panico , porém, a ANVISA  e a OMS , tem planos para controlar a população e a vacina que deveria dar proteção , pode estar fazendo efeito contrário, isso é, enganado os médicos " atrasando" , para 40 semanas enquanto na realidade já  está em 45 semanas como esta ocorrendo nos hospitais, levando ao óbito os bebes. e os médicos  não estão associando o fato, precisam ficar mais atento, por dúvidas interne-as as mamães, e deixe de observação, pode não dar tempo. 


O IODO PODE SALVAR VIDAS :


O iodo é tido como vilão por grande parte das pessoas. Isso porque, em exagero, desencadearia a chamada tireoidite de Hashimoto, doença autoimune em que o próprio organismo passa a atacar a glândula tireoide. 

Mas um levantamento conduzido por cientistas das universidades britânicas Surrey e Bristol prova que o nutriente tem seu lado positivo. 

Eles analisaram a concentração de iodo em amostras de urina de 1.040 mulheres, recolhidas durante o primeiro trimestre de gravidez e constataram que dois terços das mães apresentavam insuficiência leve ou moderada de iodo no organismo (menos de 150 mg/g). 

Futuramente, ao mensurar o QI dos filhos das participantes aos 8 anos de idade, os estudiosos notaram que ele era inferior nas crianças cujas mães tiveram carência do mineral na gestação.


Em nota, a nutricionista Sarah Bath do Departamento de Ciências Nutricionais da Universidade Surrey afirma que gestantes e aquelas que planejam uma gravidez devem assegurar a ingestão adequada de iodo. 



Boas fontes alimentares desse micronutriente são o leite, seus derivados e peixes. 


“Os resultados revelam claramente a importância de um aporte adequado de iodo durante a gravidez e enfatizam o risco que sua deficiência pode representar para a criança em desenvolvimento”, ressalta Margaret Rayman, uma das líderes do experimento.



“Substâncias como o sódio e o iodo são encontradas em grandes quantidades em muitos dos alimentos que consumimos hoje, pois a indústria os adiciona para conferir um prazo de validade maior a seus produtos. 



Acontece que, em falta ou em excesso, eles podem prejudicar o desenvolvimento do sistema nervoso do feto, especialmente no primeiro trimestre de gestação”, contou Karina Zulli, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz (SP).


E as crianças?


Se a deficiência de iodo pode ser um problema, o excesso também. E qualquer pessoa está suscetível a essas complicações – especialmente as crianças.


“Em exagero, o nutriente pode interferir no equilíbrio dos hormônios tireoidianos T3 e T4 e acarretar uma doença chamada hipotireoidismo, em que o paciente apresenta ganho de peso, dificuldade de evacuar, falta de disposição e diminuição no rendimento”, explicou Hamilton Robledo, pediatra do Hospital São Camilo (SP). 



Em quantidades baixas, por outro lado, pode levar ao bócio, problema caracterizado pelo aumento de volume da tireoide.


REFERENCIAS : 


Referências




Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog