É FATO <<>> HMU de Guarulhos esta morrendo por falta de dinheiro <<>> Cadê o dinheiro Guti <<>Prefeitura de Guarulhos não deposita dinheiro e hospital fica sem médico









RENATO  SANTOS  05/08/2018   Guarulhos  a  cidade da corrupção, depois da baertura  de um processo  realizado  pela  doutora Marcia  e supostos  jornalistas de Guarulhos,  comprados  para  combater a verdade,  que ocorre  na Cidade, como  acusar  de fake news  a  mascara  caiu.  A  verdade.  



A situação do Hospital Municipal de Urgências (HMU) de Guarulhos está ruim há mais de um ano e, na última terça-feira, depois que médicos e funcionários ameaçaram fechar as portas por causa de atraso no pagamento dos salários e más condições de trabalho, a Prefeitura de Guarulhos e o "Instituto Gerir" - que administra o hospital - fizeram um acordo para manter esses atendimentos.
O instituto alega que os recursos que têm sido repassados estão sendo insuficientes, porque os custos aumentaram. Desde abril, o hospital sofre com a falta de insumos e medicamentos.
Agora, pelo novo acordo, o pagamento dos médicos e funcionários seria feito até sexta-feira (3). Só que isso não ocorreu, e quem procurou atendimento no hospital neste sábado (4) não encontrou nem médico no local.
Na entrada, as cadeiras estão todas vazias e as secretárias informam, no balcão, que o atendimento parou. “Estamos, no momento, estamos sem médico. Só emergência”, diz a atendente.
Várias pessoas saíram do hospital sem atendimento. Um deles era o açougueiro Luiz Felipe Campelo. “Informaram que não há médico, e não há atendimento”, disse ele.
“Falaram que não está atendendo”, falou a vendedora Alexandra de Andrade, que estava com fraqueza e tontura quando procurou o hospital e saiu sem atendimento.
A mãe desta da dona-de-casa Josenil Alves Fernandes está internada no hospital, e disse que nenhum médico foi ao local hoje. “Só tem enfermeiro e pouco enfermeiro também.”
Já a operadora de telemarketing Sônia Andrade chamou a polícia para tirar a filha do hospital. A filha já tinha recebido alta médica depois de uma cirurgia no pescoço, mas o hospital não queria liberá-la.
“Tive que chamar a PM pra conseguir tirar minha filha daqui de dentro, não tem médico, não tem nada, não tem um médico lá dentro”, afirmou.
O hospital informou que “mantém os atendimentos de urgência e emergência funcionando normalmente neste final de semana”.
A Prefeitura confirmou que os repasses ao Instituto Gerir “não foram efetuados nesta sexta-feira, conforme estava previsto, devido ao atraso na assinatura do contrato entre as partes, o que só ocorreu no fim do dia, depois do expediente bancário”.
No entanto, diz a Prefeitura, “já existe dotação orçamentária” e o repasse será realizado na segunda-feira (6).

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog