Nossos Leitores Obrigado Por Ler

Vergonha como Cristão <<>> Igreja da Assembléia de Deus do Amapá Pediu a Prefeitura R$ 2 milhões de Verbas Pública Diante Crise que o País Passa<<>> MPF-AP está questionando na Justiça<<>> Líderes Parem de Prostituir a Igreja de Cristo






RENATO SANTOS 08-07-2017  Quando uma Igreja se corrompem ou se  prostitui de vez, ao pedir recursos seja qual for o governo, ela se torna sem sentido, se  torna a traidora do evangelho de Cristo  Jesus.


Não podemos  como CRISTÃOS, que  confessamos a nossa  FÉ em JESUS CRISTO, concordar com os mercenários que vendem a  Igreja para os políticos corruptos, seja  quem  for, não podemos ser hipócritas.

Sempre  combateremos líderes fariseus que querem fazer  da igreja de Cristo balcão de negócios, como  foi  o Senhor  Jesus e a Reforma Protestante.

Ao longo dos anos, tenho ouvido frases como “não voto em crente pra não ajudá-lo a se tornar um ladrão”; “crente não se mete em política”; “pastor é pastor e político é político”; “sou contra político dentro da igreja”; “Igreja e política não se misturam”, etc. E, com isso, tenho visto o império do mal sendo beneficiado com um pensamento que até parece puritano e bom, mas é contaminado pelo conceito discriminatório de que todo mundo é corrupto, só lhe faltando a oportunidade.

E, na ausência de um comprometimento mais efetivo dos cristãos com o exercício político, os não cristãos ficam cada vez mais à vontade para eleger aqueles que tratem das causas que lhes são afins.

E – mais grave ainda! – os cristãos, não tendo opções viáveis dentro dos seus quadros de afinidade, acabam ajudando a eleger mandatários que não defenderão assuntos do interesse da Fé Cristã.

Infelizmente, muitos dos que são tão escrupulosos na hora de dizer que não aceitam política na Igreja, não têm o mesmo escrúpulo ao aceitar vender o voto, trocá-lo por um favor, uma bolsa de estudos, uma dentadura, um milheiro de tijolos, etc... e acabam caindo no pecado que tanto condenam naquele que nem mesmo chegou a ser eleito, porque não recebeu os votos dos seus irmãos.

O Ministério Público Federal do Amapá (MPF-AP) questiona judicialmente a verba pública dada pela prefeitura de Macapá para as comemorações do centenário da Assembleia de Deus no Estado do Amapá, festividades que comeram em junho e se estenderão até o mês de outubro.
A Justiça Federal foi acionada por conta do valor de R$ 2 milhões que serviriam para custear essas festividades. “Confirmada a existência de verbas federais, a instituição quer o bloqueio do repasse, que pode chegar a mais de R$ 2 milhões”, diz a assessoria de imprensa do MPF-AP.
O texto pede para que, caso o repasse do dinheiro já tenha ocorrido, que a Justiça ordene “aos três entes federativos a adoção de medidas para ressarcir os valores ao erário”, pois para eles a entrega de dinheiro público para evento religioso fere o princípio de laicidade do Estado.
“O aporte financeiro de verbas públicas a entidade religiosa viola o princípio do Estado laico e provoca danos aos cofres públicos e à sociedade, especialmente em um estado onde há significativa deficiência na prestação dos mais diversos serviços públicos”, declara.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog