CUBA CAMINHA AOS POUCOS PARA UMA DEMOCRACIA SOCIALISTA <<>> Vão eliminar o termo " comunista" da Nova Constituição e Farão O Reconhecimento da Propriedade Privada








RENATO SANTOS  21/07/2018  CUBA    surpreende  a  esquerda  do BRASIL,  e elimina  o termo  "  comunista"  da sua  Nova  Constituição.  E  agora, hein, pra  quem defendia  comunismo cubano  no Brasil,  vão ter  que mudar  de posição.





Havana, 21 jul (EFE).- A Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba começou a debater neste sábado o texto da nova Constituição do país, que elimina o termo "comunismo" e inclui o direito à propriedade privada.

O anteprojeto constitucional, submetido a debate pelos mais de 600 deputados de hoje até segunda-feira, só menciona o "socialismo" como política de Estado, segundo revelaram hoje meios de comunicação oficiais, em contraste com o texto vigente desde 1976 que no seu artigo 5 consigna o "avanço para a sociedade comunista".

"Isto não quer dizer que renunciamos às nossas ideias, mas que em nossa visão pensamos em um país socialista, soberano, independente, próspero e sustentável", argumentou esta semana o presidente da Assembleia Nacional, Esteban Lazo, durante as sessões preliminares nas quais os deputados estudaram a proposta de reforma constitucional.

Para defender a supressão do termo comunismo, Lazo também alegou que a situação atual de Cuba e o contexto internacional são muito diferentes em comparação a 1976, segundo lembrou hoje o jornal estatal "Granma".

Por outro lado, o artigo 21 do novo texto submetido a debate reconhece "outras formas de propriedade como a cooperativa, a propriedade mista e a propriedade privada", e admite o investimento estrangeiro como "uma necessidade e um elemento importante do desenvolvimento".

Estas mudanças buscam adaptar a Constituição à nova realidade econômica de Cuba, onde, no calor das reformas econômicas impulsionadas durante a presidência de Raúl Castro, surgiram vários negócios privados, e atrair divisas para aliviar a endêmica crise econômica do país.

Os artigos dedicados à economia no novo texto marcam uma grande diferença com relação à atual Carta Magna, que só reconhece a propriedade estatal e a cooperativa agropecuária, em linha com o modelo de Estado comunista aplicado no país pelo falecido Fidel Castro após a Revolução de 1959.

Mesmo assim, o anteprojeto submetido a debate a partir de hoje ratifica o papel do Estado ao estabelecer que "a empresa estatal é o sujeito principal da economia como gerador da riqueza do país" e que "a propriedade socialista de todo o povo é o núcleo fundamental", segundo o antecipado hoje.

No âmbito político, o texto da minuta confirma que não haverá mudanças no "caráter socialista do sistema político e social" e mantém como "força dirigente superior" o Partido Comunista de Cuba, embora institua a figura do presidente da República, limite seu mandato a dez anos e proponha a criação de um primeiro-ministro.

A expectativa é que o anteprojeto seja aprovado na segunda-feira, para depois passar à consulta popular e mais tarde a um referendo.

Antes do plenário, ao qual não se permite o acesso à imprensa estrangeira, os parlamentares estudaram durante três dias a minuta da reforma constitucional reunidos nas dez Comissões Permanentes da Assembleia. EFE

Gazeta Central Google

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Espaço Publicitário

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog